Outra fonte de confusão é a diferença entre coaching e mentoring. Na prática, o desempenho de um coach progressivo é muito similar ao do mentor progressivo. Ambos ajudam as pessoas a caminharem na direção de suas metas, construindo sua autopercepção, fortalecendo sua motivação e oferecendo apoio emocional. O que distingue as duas abordagens, essencialmente, está no propósito do relacionamento. Ou seja, o coaching responde à seguinte pergunta: “No que você deseja melhorar?”, enquanto o mentoring responde a esta outra: “O que (ou quem) você quer se tornar?”. Em algum momento no meio desses processos, dependendo da natureza do objetivo, está outra questão: “O que você quer alcançar?”.
Num determinado nível executivo, o coaching progressivo também se distingue do mentoring progressivo nos seguintes aspectos:
  • O coaching tem uma duração tipicamente mais curta, e trabalha com uma meta específica a ser melhorada, como a técnica de fazer apresentações, administrar reuniões ou desenvolver alguns atributos específicos da liderança. Esse processo pode ser desencadeado tanto por um problema como por uma oportunidade. O mentoring, por sua vez, tem uma seleção de tópicos tipicamente muito mais aberta, com metas de longo prazo. Muitas vezes, essas metas identificadas num relacionamento de mentoring levam a intervenções de coaching. Quase sempre, o mentoring concentra-se em oportunidades de longo prazo, embora também possa tratar de problemas atuais, no contexto da obtenção de uma mudança mais extensa.
  • O profissional que trabalha como coach progressivo tende a não dar conselhos. O mentor progressivo tende a não dar conselhos. O mentor progressivo também costuma adotar essa mesma atitude, ajudando seu coachee a primeiramente pensar sozinho sobre suas questões, mas fica disponível, quando necessário, a orientar, sendo até mesmo qualificado para isso, com base em sua experiência profissional.
  • O processo de mentoring progressivo é muito mais abrangente que o do coaching, e seus papeis abrangem desde sondar as reações do coachee diante de um projeto até ajudá-lo a desenvolver redes melhores e mais largas de canais de informação e influência (ou seja, a se equipar com mais recursos), ou às vezes simplesmente se mostrar aberto e disposto a ouvir e a se solidarizar.

Tanto o coaching como o mentoring, em todas as suas vertentes, dizem respeito a efetivar mudanças. Ambos os tipos de profissionais lidam com processos que as pessoas podem mobilizar em si mesmas, tornando-se ainda mais potentes:

  • Ao intensificar a consciência de cada uma sobre o que acontece tanto em seu íntimo como à sua volta.
  • Ao ajudar o coachee a se sentir mais envolvido e comprometido (às vezes o coach ou mentor se torna aquele com quem os coachees se comprometem).
  • Ao expressar confiança na capacidade das pessoas para mudar.
  • Ao ajudá-las durante os inevitáveis momentos de recaída.
  • Trabalhando com a qualidade de seu pensamento.

David Clutterburck em Coaching Eficaz: Como orientar sua equipe para potencializar resultados

Sulivan França
Atual Presidente da Sociedade Latino Americana de Coaching, Sulivan França é Master Coach Trainer por meio da International Association of Coaching Institutes, possui licenciamento individual conferido pelo Behavioral Coaching Institute (BCI) e credenciamento individual junto a International Association of Coaching (IAC) além de Master Trainer por meio da International Association Of NLP Institutes.
Siga-me no GOOGLE+