O coaching feito entre amigos e em um grupo de colegas é talvez o mais simples, pois há menos obstáculos para um relacionamento produtivo. Nesse tipo de coaching, é menos provável que haja uma relação do mesmo nível com interesses conflitantes ou que o coach tenha interesse no resultado (além do bom êxito da sessão, o que é um obstáculo em si mesmo). Algumas organizações instituíram um sistema de coaching “camarada” ou co-coaching. Nesse sistema, duas pessoas que têm algum conhecimento de habilidades de coaching se apoiam mutuamente na busca de objetivos de desempenho ou aprendizado. Como se pode imaginar, alguns dos pares se encontram uma ou duas vezes, e então as pressões do trabalho ultrapassam a boa intenção inicial. Outros pares mantêm a prática mesmo quando os indivíduos são transferidos para outros setores da organização ou outros países, fixando no telefone seu ponto de encontro do coaching. Sei de pelo menos um caso em que o relacionamento do coaching camarada persistiu depois mesmo que ambos os protagonistas mudaram para novos empregos. Myles Downey, em Coaching Eficaz, editora CENGAGE Learning, 3ª edição, 2010. Sulivan França Atual Presidente da Sociedade Latino Americana de Coaching, Sulivan França é Master Coach Trainer por meio da International Association of Coaching Institutes, possui licenciamento individual conferido pelo Behavioral Coaching Institute (BCI) e credenciamento individual junto a International Association of Coaching (IAC) além de Master Trainer por meio da International Association Of NLP Institutes. Siga-me no GOOGLE+