Inteligência emocional é um conceito que descreve a capacidade de um ser humano reconhecer e avaliar os seus próprios sentimentos e os dos outros, assim como a capacidade de lidar com eles.

Está relacionada a habilidades de automotivação, persistência diante das frustrações, autocontrole e canalização apropriada das emoções em cada uma das situações diárias.

Com a evolução da administração na área da gestão de pessoas, o fator humano tem sido considerado fundamental no ambiente empresarial, e o sucesso de uma organização ficou cada vez mais atrelado às competências pessoais.

A maior evidência dessas mudanças é que o conhecimento técnico, anteriormente considerado primordial para a contratação de um profissional, atualmente já não representa mais garantia para conquista de uma vaga no mercado de trabalho.

A atenção às emoções é tão importante no ambiente corporativo quanto à atenção ao desenvolvimento do intelecto, pois hoje não são apenas as competências técnicas que fazem os profissionais se destacarem e fortalecem a empregabilidade.

Atualmente, tornou-se fundamental investir em inteligência emocional, pois esta influencia diretamente o desempenho dos gestores, sua capacidade de lidar com situações inesperadas e até mesmo com conflitos que surgem no dia-a-dia de uma empresa.

Equilíbrio entre Razão e Emoção

Quando há o equilíbrio entre razão e emoção, é possível tomar decisões e atitudes de maneira produtiva e alcançar resultados satisfatórios.

Embora os grupos sejam formados por seres distintos que carregam uma bagagem emocional inerente à sua personalidade, há a necessidade interpessoal de se estabelecer e manter relacionamentos saudáveis.

Os indivíduos emocionalmente inteligentes são os que usam a razão para compreender as emoções e lidar com elas, tanto as próprias, quanto as dos outros. Essa habilidade representa a capacidade para conciliar emoções e razão.

Transforme sonhos em realidade

Usar as emoções para facilitar a compreensão da razão, e raciocinar inteligentemente acerca das emoções, buscando um equilíbrio dessas duas vertentes que embora pareçam opostas, podem ser utilizadas em conjunto, favorecendo o bom desempenho de cada indivíduo que compõe o quadro funcional de uma organização.

A capacidade de administrar com eficácia as próprias emoções e das pessoas que o cercam, impacta diretamente no clima organizacional e pode ser um fator determinante para o sucesso das estratégias globais da empresa.

Pois, as pessoas que conseguem manter o equilíbrio das emoções, são capazes de criar um ambiente de harmonia e bem-estar, onde os conflitos internos tendem a ser reduzidos, e consequentemente a produtividade torna-se alta e eficiente.