Quem busca uma vaga no mercado precisa saber o que colocar no currículo. Ainda que os processos seletivos tenham se modernizado, estamos falando sobre um instrumento que permanece indispensável nas contratações.

Talvez não mais em papel, mas no formato eletrônico, ainda assim, o currículo está presente. E é importante saber que ele pode ser decisivo tanto para classificar quanto para eliminar um candidato. Uma pesquisa recente de uma empresa de recrutamento aponta que 30% dos recrutadores levam em média de 6 a 10 segundos para descartar um currículo.Ou seja, não é exatamente fácil ser notado na multidão. Porém, você pode ser bem-sucedido nesse desafio. E tudo começa agora, com a leitura deste artigo que aborda como estruturar seu currículo.

O que colocar no currículo: passo a passo

O currículo funciona como uma porta de entrada para um novo emprego. O documento, que reúne as suas qualificações profissionais, costuma ser um dos primeiros contatos com recrutadores. Por isso, é muito importante que ele traga as informações necessárias.

Não sabe o que colocar no currículo?

A sua estrutura deve prever, pelo menos, os seguintes campos:

  • Dados pessoais, como nome completo, data de nascimento, endereço,telefone e e-mail.

  • Objetivo profissional.

  • Experiências profissionais.

  • Formação acadêmica.

  • Idiomas.

  • Cursos complementares.

  • Informações adicionais.

O que informar em cada um desses campos?

É o que veremos agora.

Tire suas dúvidas sobre o que colocar no currículo

Abaixo, reunimos dicas valiosas para quem tem dúvidas sobre o que colocar no currículo.

Você vai notar que elas se aplicam a situações bastante específicas. É o caso de quem procura a primeira oportunidade no mercado de trabalho, dos que buscam recolocação ou daqueles que já possuem uma ocupação, mas querem um emprego novo.

O que colocar no objetivo de um currículo

O campo “Objetivo profissional” apresenta a sua área de atuação ao recrutador e ajuda a entender a função que você está procurando.Dessa forma, é importante deixar claro o seu interesse. Por exemplo: atuar com planejamento financeiro.

O ideal é que haja somente um objetivo, mas é possível informar mais de uma opção, desde que ligadas à sua trajetória profissional.


De qualquer forma, seja sempre conciso e prefira usar frases curtas.Se optar por colocar o cargo, lembre que ele deve ser igual ao atual ou apenas uma posição acima. Por exemplo: se você é analista financeiro júnior e busca uma promoção, o seu objetivo deve constar como analista financeiro pleno. Antes de enviar seu currículo para as empresas, faça uma revisão do objetivo.


Veja se o escrito no documento está de acordo com os requisitos da vaga. Vale ainda um ponto de atenção: evite usar frases genéricas e pouco explicativas. Fuja de discursos como “À disposição da empresa” ou “Quero contribuir com o crescimento da organização”.

O que colocar no currículo em experiência profissional

Essa parte do currículo precisa ser igualmente clara e atrativa.De nada adianta acumular informações pouco relevantes e desorganizadas. A primeira dica vai para a ordenação das experiências - das mais recentes às mais antigas.

Já aquelas mais remotas podem ser omitidas, a menos que sejam relevantes para a vaga pretendida. Com relação a estrutura de apresentação de cada experiência, coloque em primeiro lugar o nome da empresa onde trabalha ou trabalhou.


Abaixo, faça uma breve descrição sobre a organização, falando um pouco sobre o ramo, a nacionalidade e o porte. Em seguida, vem o período trabalhado: coloque mês e ano de entrada e saída. Caso ainda esteja trabalhando, sinalize que é o seu emprego atual.


A informação das datas deve vir acompanhada também do cargo ocupado.Depois de relacionar todos esses itens, procure elencar as suas principais responsabilidades naquela posição. Vale usar marcadores para facilitar a leitura. Por último, caso tenha obtido resultados expressivos que mereçam destaque, é uma boa prática citá-los, porém, seja direto. Se você ocupou mais de uma posição na mesma empresa, organize as informações como se fosse uma nova experiência.

O que colocar no currículo em pretensão salarial

Você já deve ter sido questionado sobre a sua pretensão salarial ao participar de um processo seletivo. É uma pergunta ainda comum, embora cause certo desconforto aos candidatos.


O salário aspirado não precisa, obrigatoriamente, constar no currículo.

Aliás, é mais provável que esse assunto seja abordado durante uma entrevista.

Porém, existem recrutadores que solicitam o envio da pretensão salarial com o currículo.

Nesses casos, opte por inserir o valor desejado logo abaixo das informações pessoais.

O que colocar no currículo em informações adicionais

Esse campo é destinado a informações diversas, que não se encaixam no restante da estrutura do currículo. Você pode incluir atividades desenvolvidas ou participações relevantes, como trabalhos voluntários, intercâmbios culturais, workshops e eventos.

Também pode ser útil citar certificações de cursos que não cabem em outros campos, mas que possuem relação com a sua jornada profissional. Premiações são outro exemplo de informações adicionais. Ainda há espaço para mencionar a sua disponibilidade para trabalhar e se possui habilitação e de qual categoria.

Essas informações não competem a todas as áreas de atuação, mas podem ser úteis para algumas posições.

O que colocar no currículo como motivo da saída

Falar sobre o motivo da saída de um emprego pode ser embaraçoso para alguns candidatos. O assunto deve ser tratado com atenção, principalmente se as razões que levaram ao desligamento são delicadas.

No currículo, opte por informações gerais sobre as empresas nas quais trabalhou. Entre elas, a data de início e de fim do contrato de trabalho. Já as razões sobre a saída não precisam ser detalhadas.

Você pode explicar durante a entrevista, sempre com cuidado para não abrir margem a interpretações que possam ser vistas como pontos negativos.

O que colocar no currículo de primeiro emprego

Se você não tem experiência profissional, como vai deixar seu currículo atrativo para os recrutadores? Apesar de ser uma preocupação pertinente, os profissionais de seleção já estão habituados a avaliar currículos de quem ainda não iniciou a carreira.

Por isso, outros aspectos são levados em conta para a contratação. Os famosos “bicos”, por exemplo, são bem vistos. Trabalhos voluntários e intercâmbios culturais podem ser evidenciados.


Se você não realizou qualquer das atividades acima, não há motivo para o desespero.

Para o currículo de quem procura o primeiro emprego, o ideal é sempre destacar pontos fortes e também competências comportamentais, além das habilidades técnicas.

Domínio de algum idioma, formação acadêmica ou cursos complementares podem aparecer ali. Um curso de Coaching para desenvolver comunicação, empatia e relacionamento interpessoal se encaixa nesse exemplo.

O que colocar no currículo quando ainda está trabalhando

Salário maior, mais benefícios, melhor ambiente de trabalho ou um novo desafio.

São diversos os motivos que levam um profissional a procurar um novo emprego mesmo quando já está no mercado.


Uma das barreiras encontradas nesses casos é a dificuldade de se destacar da concorrência. Por isso, o currículo precisa estar atraente para os recrutadores.

Ao mencionar suas experiências profissionais, destaque os resultados alcançados pela empresa e para os quais contribuiu. E não se esqueça de sinalizar qual é o seu trabalho atual. Jamais omita essa informação.

Como o Coaching pode ajudar você a se colocar no mercado?

Como vimos até aqui, o currículo representa um dos primeiros passos na busca por uma oportunidade de trabalho, não dá para se limitar ao que coloca no papel. Com o mercado cada vez mais acirrado, exigindo profissionais altamente capacitados, você precisa investir no seu desenvolvimento.

Para isso, nada melhor do que conhecer o Coaching de Carreira para destacar seus pontos fortes e corrigir aqueles nos quais pode evoluir.

Entenda que você pode ter um currículo perfeito e ser reconhecido pela alta qualidade profissional, mas muitos outros estão na mesma condição que você. Vale desenvolver competências e habilidades comportamentais através do processo de Coaching.

Essa metodologia, que possui embasamento científico, pode conduzir você do estado atual para o estado desejado, promovendo a realização de seus objetivos profissionais.

Conclusão

Este artigo apresentou dicas sobre o que colocar no currículo para deixá-lo mais atrativo aos recrutadores. O que acha, então, de ir além e investir no seu desenvolvimento para aumentar a competitividade e alcançar seus objetivos de carreira?

Nesse desafio, conte com a metodologia de Coaching. Novas competências e habilidades comportamentais podem estar ao seu alcance. Visite o site da SLAC® Coaching para conhecer nossas formações e encontrar aquela que melhor atende aos seus objetivos.

Se preferir, faça contato conosco.


E-book Carreira

E-BOOK GRATUITO

Descubra como transformar sonhos em realidade utilizando a metodologia coaching na sua vida!