Tudo que se faz na vida exige melhoria em certas linhas de desenvolvimento – interpessoal, cognitivo, etc. Mas existe outro aspecto que deve ser acrescentado a essas linhas: o equilíbrio. Na vida, certas atividades se concentram em determinadas áreas. Os modelo dos Quatro Quadrantes de Wilber compreende quatro áreas principais: mente, corpo (cérebro e comportamento), cultura e sociedade. Todas as quatro devem ser consideradas, com investimento de tempo e esforço. Quando concentramos as energias em uma área, as linhas de desenvolvimento necessárias ficam evidentes. Por exemplo: toda vez que você conversa com alguém, aplica seu nível de desenvolvimento nas linhas interpessoal, afetiva, cognitiva, etc. Assim, a sua capacidade nas atividades executadas é determinada por sua evolução nas áreas ligadas a elas. Muitos cursos para crescimento pessoal (ou habilidades de comunicação) são uma combinação de vários conjuntos de habilidades relevantes para várias linhas de desenvolvimento, como melhoria de relacionamentos (Aceitação e apreciação das diferenças individuais), habilidades intrapessoais (autodomínio), afetividade (“ter” emoções em vez de ser tomado por elas) e talentos (ao aprender com os outros, as pessoas fortalecem a linha de desenvolvimento de um talento, como tocar um instrumento, por exemplo). Além disso, dependendo do nível alcançado pelo professor do curso, e havendo a figura de um mentor, os alunos podem até mesmo enriquecer o desenvolvimento moral. Ao adotar uma abordagem equilibrada, o indivíduo desenvolve muito mais suas habilidades do que o faria por qualquer outro meio. Nesse caso, pode usar as linhas de desenvolvimento para melhorar simultaneamente: cognição e afetividade (emoções), habilidades interpessoais, atuação na comunidade e situação no sistema social (influência sobre os negócios, etc.). O princípio é ilustrado por estes dois exemplos: Exemplo 1 Se o indivíduo é um excelente filósofo (atividade mental e cerebral), precisa de outras pessoas para discutir suas ideias (cultura) e de um meio de atuar sobre a sociedade como um todo (sistema social). Exemplo 2 Outro exemplo de aplicação de uma abordagem equilibrada é praticar ioga ou artes marciais, ensinar o que sabe, atuar na comunidade e ganhar dinheiro com isso. Ou, então, administrar uma empresa, contribuir para a comunidade, aprender mais sobre si mesmo (internamente) e agir de modo a expressar os próprios valores. Tal abordagem leva em conta as ideias, os sentimentos e a parte física da pessoa, estendendo-se para a sociedade e a cultura. As pessoas crescem em uma espiral, para a realização de seu potencial nas quatro áreas – esse é o caminho do desenvolvimento pessoal. Como coach, você começa a elaborar o mapa da apreciação que pode ajudar o coachee a trilhar seu caminho. As decisões acerca das linhas a seguir são escolhas individuais, determinadas pela história de cada um; a riqueza das experiências vividas por você também influenciam o desenvolvimento do coachee. Você não é um observador passivo do processo – a sua mão vai no ombro dele, enquanto ele avança. Finalmente, quero falar mais especificamente sobre como você pode utilizar as linhas de desenvolvimento no contexto do coaching. Conforme vimos em outros textos nessa página, as linhas são saúde  negócios e relacionamento, mas acrescentei a linha do “talento”, para explicar outras, em relação ao Coaching Integral. Martin Shervington, em Coaching Integral: além do desenvolvimento pessoal, editora Qualitymark, 2006. Sulivan França Atual Presidente da Sociedade Latino Americana de Coaching, Sulivan França é Master Coach Trainer por meio da International Association of Coaching Institutes, possui licenciamento individual conferido pelo Behavioral Coaching Institute (BCI) e credenciamento individual junto a International Association of Coaching (IAC) além de Master Trainer por meio da International Association Of NLP Institutes. Siga-me no GOOGLE+