Desde que ele havia chegado ao palácio, ele permanecia no mesmo galho; até mesmo sua comida precisava ser levada diariamente a ele, no galho.

O rei chamou diversos curadeiros, especialistas em aves, mas nenhum conseguiu fazer o pássaro voar. Desesperado, ele emitiu um decreto proclamando uma recompensa para aqueles que fizessem o falcão voar.

Na manhã seguinte, o rei viu o pássaro voando em seus jardins.

– Traga o autor deste milagre! Ordenou o rei.

Apareceu diante dele um simples camponês. O rei perguntou:

– Como você conseguiu fazer o falcão voar? Você é um mago?

– Não foi muito difícil, meu rei – disse sorrindo o homem. – Eu só cortei o galho em que ele estava. Naquela ocasião, o pássaro foi deixado sem nenhuma alternativa senão levantar vôo."

Aqui está uma história que ilustra bem a realidade de muitos de nós.

Ficar acomodado em uma zona de conforto é garantir a segurança do conhecido. Muitos de nós temos medo de mudanças, pois elas implicam em riscos, em aventurar-se ao desconhecido, em uma possibilidade de perder o que já foi conquistado, mesmo que seja pouco ou nada.

Pessoas que custam a sair da zona de conforto costumam colocar em prática, mesmo que inconscientemente, um mecanismo de autossabotagem. São mentiras que contamos para nós mesmos, querendo nos convencer de que não devemos mudar. Algumas dessas mentiras foram impregnadas em nós desde nossa infância através de nossa educação e, por isso, muitas vezes é difícil percebê-las e contorná-las. Vencê-las significa mudar nossos paradigmas, nossa mentalidade.

Mindset Empreendedor x Autossabotagem
O que é Mindset Empreendedor? É a postura positiva de uma pessoa perante situações de enfrentamento e saída da zona de conforto, em vista da conquista de sonhos. Uma pessoa possuidora de um Mindset Empreendedor é alguém com um profundo autoconhecimento e com definição clara e precisa de seus objetivos, e que promove ações para alcançá-los. A pessoa oposta, ou seja, que não tem um Mindset Empreendedor, é um Autossabotador.

Existem diversos tipos de comportamentos de autossabotagem. A seguir apontaremos alguns e esperamos com isso favorecer o seu autoconhecimento e a mudança interior para uma mentalidade empreendedora.

1 - Autoilusão
Algumas pessoas preferem viver na mentira, até mesmo de forma consciente, para não ter que enfrentar a verdade, que, acham, será terrível. Exemplo: uma esposa que não quer descobrir as infidelidades do marido, apesar dele muitas vezes deixar vários indícios sobre sua traição. A consequência desta autoilusão é a falsa felicidade em que vive a esposa.

Outro exemplo é o indivíduo que "tampa o sol com a peneira" e não quer perceber que sua empresa está falindo. A cada dia a situação piora mais e ele não toma nenhuma atitude. Chegará o momento do desespero e da falência, mas muito provavelmente ele nem assumirá seu vacilo de não ter acordado para a realidade a tempo.

2 - Procrastinação
O procrastinador é aquele indivíduo que arranja sempre uma desculpa para não fazer alguma coisa, deixando-a para o dia seguinte. Tem também aquele que se justifica dizendo que está aguardando o momento certo - e este momento perfeito nunca chega!

Alguns procrastinadores dizem: "Vou começar quando..." e vinculam a possibilidade da ação a uma situação do futuro. Neste caso, o indivíduo não quer fazer a ação mas também não quer dizer que desistiu. É a desculpa perfeita.

Muito provavelmente quando a demanda da situação for resolvida, o procrastinador criará outra e mais outra, adiando sempre a condição de realizar.

3 - "Não tenho tempo!"
Dizem que quando precisamos que algo seja feito, devemos pedir às pessoas que estão ocupadas. Isso demonstra que aqueles que não fazem nada geralmente são os que não têm tempo, porque fazer nada os ocupa demais.

Para entender melhor esse exemplo de autossabotagem, as pessoas que dizem não ter tempo são aquelas que desperdiçam seu precioso bem em coisas totalmente sem importância. Gastam suas energias em coisas não produtivas, em distrações. (Com o evento da viralização das redes sociais, esta autossabotagem, hoje em dia, torna-se cada vez mais comum).

A grande falha dessas pessoas é que pecam por não planejar adequadamente suas ações e quando listam suas tarefas, o fazem apenas para mostrar para si mesmas como são ocupadas e, por isso, não têm tempo. Geralmente, 90% da lista não é cumprida e o pouco realizado são tarefas não importantes. (Imagino que alguns leitores vestiram a carapuça. Desculpe-me se falo a verdade e isso incomoda a você, mas, sinceramente, não sou eu que estou comentendo o erro de autossabotagem neste caso).

4 - Baixa autoestima e Insegurança
Muitos que sofrem de baixa autoestima e insegurança costumam se justificar dizendo que "não merecem" ou que "tal situação não é para eles". Esta é uma desculpa usada por pessoas que têm medo do mundo e se fecham para novas experiências.

Palavras que ouvimos em nossa infância, quando nossa personalidade estava se formando, forjaram nossos paradigmas. "Você nunca faz nada certo!", "Não faça isso senão você vai se dar mal!", "Você só atrapalha!" são exemplos de crenças limitantes que carregamos em nossa mente e que impõem o entendimento de que não merecemos uma vida melhor.

Se você sofre desse mal, saiba que existe uma solução. O tratamento requer uma profunda mudança interna de autoentendimento com um trabalho de resgate da valorização pessoal.

5 - “Eu não sei como fazer”
Para ficarmos em nossa zona de conforto costumamos dizer que não sabemos como enfrentar o desafio. Justificamo-nos com a falta de habilidade para resolver os problemas. Todavia esquecemos que quando há um porquê, os "comos" se desenvolvem.

Mais uma vez concluímos que o que falta para sairmos da nossa zona de conforto é simplesmente o autoconhecimento e o desejo ardente de realizar um sonho definido. Quando temos um real motivo para realizarmos algo, encontramos as formas de resolver a questão.

Nelson Mandela disse: “Impossível é tudo aquilo que não se tenta” e Michel Jordan, o famoso jogador de basquete certa vez disse: “Você erra 100% das bolas que não arremessa“.

6 - "Tadinho dele!"
Na infância, alguns de nós percebemos que quando não conseguimos alguma coisa, reunimos ao nosso redor um grupo de pessoas que "passam a mão na nossa cabeça" e dizem "tadinho dele!". Esta sensação de consolo gera um falso bem-estar e nos desobriga de nos esforçamos mais para alcançarmos os nossos objetivos. Crescemos, mas não amadurecemos e, adultos, continuamos muitas vezes com esse comportamento de esperar dos outros uma palavra de dó e de consolo. Preferimos o ganho secundário ao prêmio principal.

Conclusão:
Como na história dos falcões, é preciso que nosso galho seja cortado para que possamos voar, para que possamos empreender. Se você é um autossabotador, mas tendo lido este artigo deseja mudar, parabéns! Você já está no caminho certo, pois o primeiro e principal passo já foi dado: desejo de mudança. Agora, você precisa se autoconhecer e definir seus objetivos. Se deseja mais informações sobre o assunto e precisa de apoio para a sua transformação, procure um Coach.

"Sozinho se vai mais rápido. Juntos vamos mais longe." (Provérbio Africano)



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

  0   0

Aldo Marques de Oliveira Junior

Life Coach

Web Designer e Consultor de Marketing Digital, especializado em sistemas de CMS. Personal e Professional Coach pela Sociedade Latino Americana de Coaching. Idealizador do projeto Vencer Agora.