Em princípio, o monitoramento se preocupa com questões de carreira de longo prazo, enquanto o coaching está mais atento às questões mais imediatas de desempenho. O referencial aqui é que recursos e habilidades são apontados como críticos para o coaching, como foi descrito, e tornarão aquele que faz monitoramento mais eficaz. Um mentor que se apóia em, digamos, um estilo amigo e tem considerável experiência na organização, no negócio e na vida pode muito bem proporcionar grandes benefícios e ser uma pessoa maravilhosa para se ter por perto. Contudo, quem faz monitoramento teria que, no mínimo, ser capaz de ouvir com muita atenção para garantir que suas pérolas de sabedoria seriam verdadeiras aos olhos daquele que é monitorado.

De um modo mais positivo, um momento com vasta experiência, que seja capaz de usá-la com efeitos positivos, e que possa empregar uma abordagem não diretiva, terá um impacto muito maior. Fora do local de trabalho, há muitas outras oportunidades para usar o coaching.

Myles Downey, em Coaching Eficaz, editora CENGAGE Learning, 3ª edição, 2010.