Dois selfs e o jogo interior

Quando uma pessoa está concentrada e a interferência, ou a maior parte dela, é removida, ela entra no chamado estado de fluxo.

Num Jogo Interior de Tênis, percebeu-se que as pessoas são capazes de conversar consigo mesmas, e você pode ouvir tais conversas todos os dias e em todos os lugares. Talvez isso seja mais evidente nos esportes. Essas conversas são notáveis pelo tom crítico, julgador e de condenação que os indivíduos usam contra si mesmos.

Apresento um conjunto de instruções sobre como fazer melhor qualquer que seja a tarefa:

“Seu idiota, você sabe que devia ter batido a bola na sua frente. Você é tão preguiçoso! Fique de olho e comece a raquetada antes”.

“Quem está falando com quem?”

Os dois selfs

Obviamente o primeiro e o segundo que são pessoas diferentes ou não haveria conversa; então poderia se dizer que dentro de cada jogador existem dois ‘Selfs’. Um parece dar instruções, o outro parece disparar a ação. Vamos chamar o ‘aquele que fala de’ de Self Um e o ‘aquele que faz’ de Self Dois’’. Descrevemos o Self Um e o Self Dois na School of Coaching assim:

• O Self Um é a voz internalizada de nossos pais, professores e outros em posição de autoridade. Ele procura controlar o Self Dois e não confia nele. O Self Um se caracteriza por tensão, medo, dúvida e tentar demais.

• O Self Dois é o ser humano completo, com todo o seu potencial e capacidade, incluindo a capacidade inata de aprender. Caracteriza-se pela concentração relaxada, alegria e confiança.

Nos workshops, muitas vezes peço às pessoas que descrevem momentos em que experimentaram o Self Dois. As primeiras pessoas a falar são normalmente aquelas que praticam algum esporte – esqui é um dos favoritos -, seguidas das que tocam algum instrumento ou cantam. Então vêm os escritores e os artistas, até que todos na sala consigam identificar algum momento em que “estão fluindo”. Enquanto a conversa progride, mais e mais situações são identificadas, incluindo aquelas que acontecem no trabalho: escrever um relatório difícil, fazer uma apresentação, participar de um encontro de vendas ou promovê-lo.

Em qualquer momento, em qualquer situação, você tem a oportunidade de estar no Self Um ou no Self Dois. Isso é relevante por três motivos:

• O objetivo de um coach é operar a partir do Self Dois. É nesta situação que você fará seu melhor e mais gratificante trabalho.

• No coaching, um outro objetivo é ajudar o player a entrar e permanecer no Self Dois. Assim, ele pode ser mais objetivo, sensível, intuitivo e criativo.

• Ajudar o player a se manter no Self Dois, em seu dia a dia e particularmente em momentos críticos como reuniões e apresentações importantes, talvez seja parte do papel de um coach ou gerente de linha.


Esse texto possui informações extraídas do livro Coaching Integral: além do desenvolvimento pessoal de Martin Shervington, editora Qualitymark, 2006.