Como coach, você tem contato com grande variedade de pessoas, de habilidades diversas em diferentes setores da vida.

Devido às diferenças de interesses, níveis/tipos de habilidade e áreas de aplicação, este texto trata do que você pode fazer para despertar as qualidades especiais do coachee, e também aonde ele quer chegar – e aonde, provavelmente, chegará, se tiver olhos para ver.

É por meio da relação coach/coachee que ambos podem desenvolver-se, alcançando todo o seu potencial.

O psicólogo Abraham Maslow disse: “O homem deve ser o que puder ser. Chamo essa necessidade de auto-realização”.

A sua tarefa, como coach integral, é ajudar neste perfeitamente natural processo de realização do potencial inato que todos possuímos. O coaching integral é a maneira de um indivíduo, dentro de contextos culturais e sistemas, tornar-se tudo que pode ser.

A teoria das linhas de desenvolvimento

Para começar, vamos traçar um panorama geral da teoria. Quando se fala de desenvolvimento individual, um fato fica evidente: somos todos diferentes. As pessoas podem, portanto, desenvolver diferentes capacidades, e com frequência tornam-se muito evoluídas em um determinado campo de atividades.

Existem pessoas que possuem a capacidade natural de enfocar automaticamente uma área da vida. Por exemplo:

- Um político com brilhantes qualidades de comunicação e liderança

- Um atleta com grande capacidade física

- Um homem de negócios com talento para ganhar dinheiro

- Um professor universitário com a mente altamente desenvolvida

- Um pai ou mãe com alto nível de cuidado e intuição.

Podemos encontrar gente muito desenvolvida em diferentes setores da vida. O interessante é que alguns indivíduos são altamente desenvolvidos em várias áreas – não é preciso escolher uma só; e quem pretende progredir deve enfocar mais de uma.

Desenvolvimento com o apoio do coaching

No caso do coach que quer apoiar o coachee a escolher entre vários caminhos, é preciso saber quais desses caminhos já foram percorridos, não somente pelo coachee, como também pelo coach, para que este entenda o princípio. Veja alguns exemplos.

Se uma pessoa se desenvolveu em várias áreas, deve ser capaz de:

- Apreender intelectualmente (cognição)

- Falar sobre o que faz (habilidades interpessoais)

- Dar atenção ao corpo

- Contribuir para o sistema social em que vive.

Transforme sonhos em realidade

No entanto, não existe desenvolvimento pessoal nem processo de coaching que sirva para todas as situações. Logo, tenha a certeza de que os coachees que entrarem em contato com você estarão prestes a escolher a própria orientação.

Se quiser, porém, saber mais sobre o perfil do coachee (ou sobre seu foco de desenvolvimento), observe o que faz na vida, e como essas atividades se relacionam às diferentes linhas de desenvolvimento (ou maneiras de desenvolver as capacidades).

As nove linhas de desenvolvimento

Antes de retornar à aplicação das linhas de desenvolvimento pelo coach, vamos ver uma breve explicação. Adotei nove linhas de desenvolvimento, para demonstrar como indivíduos diferentes podem desenvolver-se em determinadas áreas:

- Cognitiva – Inclui a capacidade de apreender, nas áreas de pensamento matemático, lógica, raciocínio, etc.

- Afetiva (emocional) – Está relacionada aos sentimentos.

- Habilidades interpessoais – Trata-se da capacidade de se relacionar (que, combinada ao afeto, é semelhante à “inteligência emocional”).

- Financeira – Está relacionada à capacidade de suprir as necessidades.

- Visão do mundo – Apreciação das diferenças entre as culturas.

- Habilidade e talento naturais – Inclui a facilidade de aprender idiomas, o talento musical, etc.

- Desenvolvimento psicológico – Habilidade para esportes, cuidado com o físico, etc.

- Desenvolvimento moral – Inclui o nível de preocupação com os outros.

Vou lançar mão de uma metáfora para explicar a teoria. Imagine que uma pessoa seja representada visualmente por uma jarra de vidro.

Dentro da jarra, uma coleção de contas representa o nível de habilidade em cada área.

Quanto mais alta a pilha formada pelas contas, maior a habilidade. Cada nível está associado a uma cor. Desde a infância, as cores vão mudando, para indicar o progresso no desenvolvimento, mas nem todos se desenvolvem da mesma maneira; alguns se concentram em linhas diferentes, que os levam a níveis diversos. Assim, a jarra possui contas de cores diferentes, demonstrando o foco do desenvolvimento pessoal.

O conteúdo da jarra, portanto, representa dois conceitos principais. O primeiro é o foco pessoal no desenvolvimento de determinadas linhas: moral, psicológica, emocional, etc. O segundo é a representação de nível de desenvolvimento em uma linha.


Esse texto possui informações extraídas do livro "Coaching Integral: além do desenvolvimento pessoal" de Martin Shervington, editora Qualitymark, 2006.