Escrito por Sulivan França - 03 de Dezembro de 2019

Em um mundo cada vez mais complexo e repleto de desafios, podemos considerar a autoestima e a autoconfiança como ferramentas vitais para nossas vidas. No entanto, não é fácil para muitas pessoas ter isso fortalecido. E tal situação pode se retroalimentar. O indivíduo não tem confiança em si mesmo e não consegue melhorar neste aspecto, justamente, por não conseguir valorizá-lo. 

E a maior parte das pessoas não vai querer dar seu apoio a quem pode ser classificado como inseguro, atrapalhado ou que pede desculpas por tudo o que faz. Assim, a situação tende a piorar.

Em contrapartida, as pessoas costumam se encantar por alguém que fala de forma clara, segura e que, sem titubear, responde de forma direta quando não domina um assunto. 

Em outras palavras, indivíduos que demonstram confiança transmitem isso para os demais. Mas e você? Como se considera neste aspecto?

Qualquer pessoa pode mudar algumas coisas em si se tiver sensibilidade, disciplina e estiver comprometida com seu desenvolvimento. A própria vida é fruto de constantes mudanças. Cada vez mais, portanto, vale a pena considerar o que pode te ajudar a evoluir. Pessoas confiantes não só acreditam em si, mas também cuidam mais de seu bem-estar e tendem a fazer a diferença na vida dos outros, por isso, se tornam inspiradoras.  

É fundamental, neste sentido, estar aberto ao autoconhecimento. Falar sobre seus sentimentos e pensamentos com alguém, por exemplo, é algo que pode ajudá-lo. Conhecer pessoas que também sejam confiantes pode fazer você ficar mais atento ao que faz, sentindo, desse modo, como melhorar a autoestima. Ampliar a própria consciência de seus atos é bom, pois nos faz ir pensando sobre como queremos ser. 


O poder da confiança

É fácil verificar como quem é confiante também inspira isso confiança nos outros. E a tarefa de conquistar a confiança dos outros é um dos principais fatores pelos quais alguém alcança o sucesso.

Autoconfiança, no entanto, é um elemento que pode ser adquirido e fortalecido. O nível de autoconfiança de um pessoa pode aparecer de várias formas. Por meio de seus comportamentos, da maneira como se comunica, incluindo o uso de linguagem corporal, entre outros aspectos. 

Reflita sobre atitudes de alguém que você considera confiante e compare com o comportamento de quem demonstra baixa autoconfiança. Agora, olhe para si mesmo. Quais pensamentos ou ações você observa em você e nas pessoas ao seu redor?

Por exemplo, quem tem boa autoconfiança faz aquilo que acredita estar certo, mesmo se for alvo de críticas vindas de outras pessoas ou mesmo de deboche. Com boa autoestima, o indivíduo demonstra mais disposição de correr riscos e ir mais longe para conseguir evoluir. Alguém autoconfiante admite seus erros e aprende com eles. Também lida bem com o reconhecimento, pois confia em suas realizações. Portanto aceita bem elogios. 

Já alguém com baixa autoconfiança se comporta com base no que os outros pensam, por medo de ser criticado ou caçoado. Prefere permanecer na zona de conforto, por medo de falhar. Assim, evita correr riscos. Por não se julgar merecedor, dispensa elogios de imediato quando os recebe. 

A baixa autoconfiança, portanto, pode ser autodestrutiva e, em geral, se manifesta de uma forma negativa. Pessoas confiantes costumam ser mais positivas, pois acreditam em si e em suas habilidades, e também acreditam em viver a vida ao máximo.


Qual o caminho?

Para construir autoconfiança genuína, é preciso ir além de simples afirmações e pensamentos positivos. É preciso definir e alcançar metas, construindo assim algumas competências. Sem isso, tem-se algo apenas superficial, com todos os problemas, defeito e falhas que isso acarreta. Uma falsa sensação de confiança, na verdade. 

Para se tornar mais confiante, é preciso ter foco e determinação para realizar alguns passos. O primeiro passo consiste em se preparar para percorrer a trajetória para a autoconfiança. Nesse momento, é preciso fazer um balanço de onde se está, pensar onde se deseja ir, colocar-se com uma mentalidade adequada para a caminhada e se comprometer a iniciá-la, assim como permanecer nela.

Nessa fase de preparação, procure refletir sobre as coisas que você já conseguiu. Pense na sua vida e escreva uma lista com dez coisas que você já conquistou. Com a lista pronta, imprima e coloque num local que você possa ver com frequência. De tempos em tempos, passe alguns minutos desfrutando do sucesso que você já teve.

Em seguida, use uma técnica como a análise SWOT para verificar quem você é e onde está. Olhe suas conquistas e reflita sobre sua vida recente. Pense no que seus amigos poderiam considerar seus pontos fortes e fracos. A partir deles, pense nas oportunidades que você tem e nas ameaças que pode enfrentar.

Em seguida, pense no que é realmente importante para você e no que você deseja alcançar na sua vida. Definir e atingir metas é uma parte essencial disso, e a verdadeira confiança decorre daí. Estabeleça metas que utilizem seus pontos fortes, minimizem seus pontos fracos, contribua com suas oportunidades e controlem as ameaças.

Você também vai precisar gerenciar sua mente. Aprenda a entender e vencer o diálogo interno negativo que pode ameaçar sua confiança. Veja a importância do pensamento positivo neste artigo. A partir daí, comprometa-se com o seu êxito. Faça uma promessa de que você está comprometido com o percurso até o sucesso.

Se, ao longo do caminho, surgirem dúvidas, anote e examine com calma e racionalidade. Caso elas se dissolvam após essa análise, perfeito. No entanto, se forem baseadas em riscos reais, defina metas adicionais para gerenciá-las de forma adequada. 

No segundo passo você deve começar, lentamente, a caminhar em direção ao seu objetivo. Comece com pequenas e simples conquistas. Assim você se colocará no caminho do sucesso e começará a construir a autoconfiança que acompanha isso.

Em seguida, você deve criar o conhecimento necessário para chegar ao sucesso. Olhando para seus objetivos, identifique as habilidades necessárias para alcançá-los. E então veja como você pode adquirir essas habilidades com confiança. Não aceite apenas uma solução superficial. Em vez disso, procure um programa ou curso que o prepare integralmente para atingir o que deseja e lhe dê um certificado ou qualificação.

Mantenha o foco no básico. Quando começar, não busque a perfeição, apenas desfrute as coisas simples. Comece com objetivos pequenos, adquira o hábito de defini-los, alcançá-los e celebrar as conquistas. Não faça metas desafiadoras, apenas adquira o hábito de alcançá-las e celebrá-las. E, pouco a pouco, comece a acumular conquistas.

Siga gerenciando sua mente, mantenha o pensamento positivo e continue comemorando e desfrutando do sucesso. E, por outro lado, aprenda a lidar com as falhas. Aceite que erros ocorram quando você está tentando algo novo.

De fato, se você adquire o hábito de tratar os erros como experiências de aprendizado, pode começar a vê-los sob uma luz positiva. 

O terceiro passo é acelerar para o sucesso. Nesse estágio, você sentirá sua autoconfiança aumentando. Este é o momento de aumentar a velocidade. Torne os objetivos um pouco maiores e os desafios um pouco mais difíceis.

Aumente o tamanho do seu compromisso. E amplie as habilidades que você provou em áreas novas.

E-book Comportamento

E-BOOK GRATUITO

Descubra como transformar sonhos em realidade utilizando a metodologia coaching na sua vida!