Invariavelmente, o CEO como líder isolado de um grupo cuja pertinência depende mais de posições formais do que de habilidades individuais, com propósitos e metas que não se distinguem dos propósitos e metas gerais da corporação, e cujos comportamentos são ativamente determinados por sua confiabilidade pessoal.