A vida existe dentro dos quatro quadrantes. Por isso, precisamos entender a igual importância de cada um deles e sua união e interdependência – sua integração.

Existe uma tendência a exagerar a importância de um dos quadrantes: o superior esquerdo – “eu”. No entanto, embora o locus da consciência (mente) seja o quadrante superior esquerdo, trata-se de uma função distribuída em todos os quatro. Em outras palavras: não se pode apenas desenvolver qualquer um dos quadrantes, sem que isso acarrete uma visão distorcida.

Dentro de cada um dos quadrantes – mente (Eu), corpo e comportamento (Isto), cultura (Nós) e sociedade (Istos) – existe um caminho de desenvolvimento, e cada um deles é afetado pelo desenvolvimento de outra área. No quadrante do sistema social (Istos), por exemplo, o movimento em direção ao desenvolvimento, e cada um deles é afetado pelo desenvolvimento, e cada um deles é afetado pelo desenvolvimento de uma outra área.

No quadrante do sistema social (Istos), por exemplo, o movimento em direção ao desenvolvimento da informação corresponde a um movimento no quadrante cultural (Nós), um aumento da “visão” que é mais centrado no “mundo” do que no “self”. Mas também haverá alterações nos outros quadrantes, uma vez que são inseparáveis e interdependentes. Assim, o indivíduo apresentará novos comportamentos ( o uso do computador, por exemplo), e talvez novos modos de pensar que o ajudarão a integrar todas as outras partes.

O caminho do desenvolvimento não é direto e, como disse Wilber, as coisas podem dar errado – e dão. Talvez haja distorções em qualquer um dos quatro quadrantes. Embora sejam visíveis algumas formas de progresso, podemos ser detidos pelas distorções de um progresso ineficaz. Exemplos: Um indivíduo pode alcançar níveis mais altos de pensar e ser e, no entanto, ser retido por uma mentira que diz a si próprio, como trazer à tona um acontecimento que não pode encarar, o que, inconscientemente, afeta seu comportamento.

Veja estes exemplos:

Uma pessoa pode ter uma condição como dislexia e, embora seu cérebro funcione plenamente em todas as outras formas, não possuir condições de executar determinada tarefa.

Uma cultura pode ser construída com base em uma religião que enfoque a devoção. No entanto, se destorcida, pode tornar-se uma arma poderosa: “Quem mata em nome da religião alcança a vida eterna”.

- Uma sociedade pode afirmar estar desenvolvendo o poder nuclear como forma segura de energia, quando de fato tem uma visão distorcida, na qual os subprodutos são usados para fazer bombas.

Cada domínio, portanto, tem seus caminhos e suas distorções. Quando um indivíduo cresce e se desenvolve (“eu”), sua visão pessoal muda. No entanto, a menos que aprecie as mudanças correspondentes em todos os quadrantes, não verá as necessárias mudanças de comportamento (“isto”) no serviço à comunidade e nas atividades culturais (“nós”), nas infra-estruturas técnico-econômicas e nos sistemas sociais (“istos”).

Para uma abordagem ainda mais integral, o leitor precisará de uma completa avaliação de todas as áreas, já que toquei somente em alguns quadrantes. Em resumo, o desenvolvimento de um indivíduo se manifesta em todos os quatro quadrantes. O propósito primordial do modelo dos Quatro Quadrantes é sua aplicação à compreensão da vida. Sem essa aplicação, é um modelo interessante, mas limitado. Como resultado, podem ser encontrados pontos de aplicação em negócios, educação, medicina, política, etc.

Martin Shervington, em Coaching Integral: além do desenvolvimento pessoal, editora Qualitymark, 2006.