A Psicologia Positiva é um movimento que propõe a mudança de foco na análise da mente humana.

Entusiastas dessa proposta defendem que podemos alcançar a felicidade sem buscar nada externo, pois, internamente, temos as ferramentas para sermos felizes.

É, portanto, uma abordagem diferente da psicologia, que se concentra em transtornos e distúrbios mentais e escolhe apostar no potencial que cada indivíduo tem.

Então, se você quer dar um passo importante na direção do bem-estar, satisfação com a vida e felicidade autêntica, está no lugar certo.

Neste artigo, vamos falar sobre o que é Psicologia Positiva, qual sua origem, como pode ser aplicada na vida pessoal e profissional, além dos benefícios que acarreta.

Você também vai conhecer as principais técnicas utilizadas e entender de que forma a Psicologia Positiva pode ser empregada como ferramenta em um processo de Coaching.

Se o assunto interessa, não perca uma só linha.

Boa leitura!

O que é Psicologia Positiva?

Psicologia Positiva é um movimento que surgiu nos Estados Unidos, por iniciativa do psicólogo Martin Seligman, que desenvolve pesquisas voltadas para a promoção de aspectos positivos da vida e construção de virtudes.

A ideia é que promovendo as sensações positivas dos pacientes, elas surgissem e de maneira que as eles olhassem a vida com um ponto de vista mais otimista. 

Isso tudo, além de prevenir as mesmas doenças que a psicologia tradicional se ocupa de estudar.

O movimento começou por volta de 1997, mas começou a se expandir além dos centros acadêmicos em 2002, quando Seligman publicou o livro Felicidade Autêntica - Usando a Nova Psicologia para a Realização Permanente.

A abordagem inclui pesquisas acadêmicas e empíricas e não se restringe apenas a teoria. 

Seligman desenvolve programas com sugestões de exercícios que visam aumentar o bem-estar e combater a depressão.

Em seus livros, descreve casos clínicos em que expõe os resultados dessas intervenções.

O bem-estar é apenas um termo mais científico para o que as pessoas chamam de felicidade, segundo Seligman e seu companheiro de pesquisa, o húngaro Mihaly Csikszentmihalyi.

O bem-estar e a felicidade são muito subjetivos, é claro, mas podem ser medidos justamente a partir do relato das pessoas sobre o que elas pensam e sentem em suas vidas.

Qual a origem da Psicologia Positiva?

Várias ideias da Psicologia Positiva já vinham sendo discutidas, no ramo conhecido como Psicologia Humanista.

Autores renomados como Carl Jung, Roberto Assagioli, Abraham Maslow e Carl Rogers já propunham um comprometimento com os aspectos positivos do desenvolvimento humano.

Essas ideias, porém, não tiveram muita repercussão na época.

Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, a psicologia voltou ao foco em estudo das doenças mentais, por conta da necessidade de tratar os traumas causados pelos conflitos no continente europeu.

Na segunda metade da década de 1990, os estudos de Seligman, Csikszentmihalyi, Christopher Peterson, Albert Bandura, C. R. Snyder e outros, encontraram um contexto mais propício para reverberar.

Com o mundo em paz, a tecnologia avançava no mesmo passo em que problemas como a depressão e a ansiedade consumiam as mentes da população mundial.

O avanço dos transtornos mentais era observado sobretudo em países nos quais a população experimentava um grande avanço no poder de compra.

As pessoas perceberam que o acúmulo de bens materiais traz conforto e até certo prazer, mas não o bem-estar e felicidade autênticos e constantes que todo mundo busca.

Foi esse o cenário que permitiu que os estudos da Psicologia Positiva repercutissem, além das universidades americanas e canadenses que foi onde surgiram.

Quem é Martin Seligman

Martin Seligman é um psicólogo e professor universitário americano, considerado o grande nome da Psicologia Positiva.

Nascido em Albany, no ano de 1942, Seligman é professor na Universidade da Pensilvânia, já foi presidente da Associação Americana de Psicologia (APA) e publicou vários livros sobre desenvolvimento pessoal.

De família judia, Seligman se graduou em Filosofia na renomada universidade de Princeton, em 1964, com distinção máxima.

Depois, estudou filosofia analítica na Universidade de Oxford e em seguida cursou Psicologia na Universidade da Pensilvânia, onde conseguiu o título de PhD e leciona até hoje.

Ao criar a Psicologia Positiva, sua grande influência foi a já citada Psicologia Experimental.

Contudo, Seligman já tinha também uma experiência sólida de décadas de prática clínica, que ajudaram a moldar seu modo de enxergar a ciência psicológica.

Foi principalmente a partir de 1997, quando se tornou presidente da APA, que os estudos que realizava sobre Psicologia Positiva passaram a ser divulgados no mundo todo.

O que diz a Teoria da Felicidade de Seligman

Em sua teoria da Felicidade Autêntica, Martin Seligman fala sobre os três pilares da Psicologia Positiva.

O primeiro é referente ao estudo das emoções positivas, como a fé, esperança e confiança.

O segundo pilar da Psicologia Positiva é o estudo dos traços positivos, sendo eles os pontos fortes, virtudes e habilidades como inteligência ou capacidade atlética.

Por fim, o terceiro pilar diz respeito às instituições positivas, como a democracia, família e liberdade de investigação, que apoiam as virtudes, que, por sua vez, apoiam as emoções positivas.

Segundo Seligman, experiências que induzem emoções positivas fazem os pensamentos positivos se dissiparem rapidamente.

Esse é o cerne da sua teoria da felicidade. 

Em vez de apenas pensar em maneiras de combater a infelicidade, o autor sugere que cultivar os valores contrários é mais eficaz.

"As forças e virtudes funcionam para proteger contra o infortúnio e contra os distúrbios psicológicos, e podem ser a chave para construir resiliência", escreve Seligman no prefácio do livro Felicidade Autêntica - Usando a Nova Psicologia para a Realização Permanente.

"Os melhores terapeutas não apenas curam danos, eles ajudam as pessoas a identificar e construir suas forças e virtudes", conclui.

No que consiste o Modelo PERMA

Ainda dentro da teoria de Seligman, encontramos o modelo PERMA, um acrônimo que nos ajuda a entender quais são os principais elementos que levam ao bem-estar.

Cada letra representa uma palavra. 

No pensamento do psicólogo, os elementos que compõem o modelo PERMA correspondem as bases do desenvolvimento positivo.

Seguindo cada um deles, fica mais fácil construir uma vida feliz, com relações saudáveis e muitos objetivos alcançados.

A seguir, veja quais são esses elementos e saiba um pouco sobre cada um deles.

Positive Emotion (Emoção Positiva)

Todo mundo já deve ter experimentado, ao longo da sua vida, uma montanha-russa de emoções.

É comum que a mesma pessoa tenha momentos de grande felicidade e confiança, mas também horas em que está triste, desanimada e sem esperança.

A Psicologia Positiva defende que há maneiras de fazer com que as emoções positivas falem mais alto.

Cultivando-as, entramos em um círculo virtuoso, pois elas tomam o espaço dos sentimentos ruins e nocivos, chamando mais para a positividade.

As emoções positivas também geram bem-estar para os demais, porque qualificam os relacionamentos e são inspiradoras.

Do ponto de vista prático, existem métodos e exercícios que podem ser conduzidos em uma terapia ou processo de Coaching que ajudam a focar nessas emoções.

Engagement (Engajamento)

Engagement é uma palavra que também pode ser traduzida como compromisso. Quem está engajado está comprometido com algo.

Para entender melhor, tente lembrar de algum momento em que você experimentou o que o psicólogo Mihaly Csikszentmihaly, que fundou a Psicologia Positiva junto com Seligman, chama de flow, ou fluxo.

Segundo ele, o flow é um estado em que a pessoa está tão envolvida com determinada atividade que seu foco e concentração nela são totais - e as distrações são zero.

Quem experimenta essa sensação com alguma frequência em sua rotina costuma sentir um grande prazer e ter grande satisfação pela vida.

Isso tem relação com o engajamento. O comprometimento com aquela atividade torna a vida mais prazerosa.

É um sentimento comum em pessoas que são apaixonadas pelo seu trabalho. 

Se o seu emprego não é muito empolgante, não tem problema.

Você pode se engajar com outras coisas, como estudos, hobbies, atividades sociais ou até mesmo trabalhos voluntários.

Use seu tempo livre para se ocupar com algo que lhe dê cause tamanha satisfação que resulte em estados de flow frequentes.

Outra possibilidade é mudar a maneira de encarar seu trabalho. É plenamente possível transformar sua perspectiva e encontrar propósito e prazer no que você faz hoje.

Esse é também um ótimo exercício de Psicologia Positiva, pois tem tudo a ver com focar nas forças e virtudes em vez de ver sempre o lado negativo das coisas.

Relationship (Relacionamento)

Cultivar relacionamentos saudáveis é muito importante para o bem-estar e felicidade.

Por isso, esse fator não poderia ficar fora da lista de elementos do modelo PERMA de Martin Seligman.

Esse é um campo muito difícil, porque controlar as ações e reações das outras pessoas é impossível.

A solução é desenvolver a empatia, colocando-se no lugar do outro e nunca agir com violência ou má fé. Mesmo que a outra pessoa não demonstre a mesma consideração.

É preciso ter muita serenidade, equilíbrio e saber entender que o exemplo positivo pode ser transmitido até que se crie uma relação de respeito e confiança mútuos.

O relacionamento ideal não é uma via de mão única, pois as duas pessoas devem dar e receber - sem dependências.

Essa interação e troca de experiências é enriquecedora para ampliar as nossas perspectivas. Além disso, ajuda a desenvolver a capacidade de focar nas emoções positivas em diversas situações.

Ouvindo e colaborando com os demais, nosso leque de ideias aumenta, o que resulta em comportamentos mais equilibrados.

Meaning (Propósito)

Fica muito mais fácil colocar em prática os conceitos de que falamos nos tópicos anteriores quando há um propósito por trás do que fazemos.

Por exemplo, falamos antes que é possível transformar a maneira com que enxergamos nosso trabalho, mesmo quando não gostamos da atividade que desempenhamos.

Pense em alguém que trabalha como garçom em um restaurante. Ele pode odiar ter de servir as outras pessoas, não ter prazer nenhum em desempenhar essa função.

Ou ele pode encarar sua situação sob a ótica do propósito, entendendo que ele cumpre um papel muito importante na alimentação de dezenas ou centenas de trabalhadores, que precisam de energia para desempenharem seus propósitos particulares.

Essa é uma mudança de visão que transforma tudo,  pois o mesmo profissional pode começar a enxergar prazer no que faz, já que encontra um significado naquilo.

O segredo é estabelecer uma conexão com algo maior, ligado a um objetivo de vida.

Muitos perguntam: esse propósito pode ser ganhar dinheiro?

O dinheiro por si só não é nada além de números ou notas de papel. O que importa é o destino que se pretende fazer desse dinheiro.

Se você tem o objetivo de comprar uma casa com um jardim ou uma horta, por exemplo, isso custa dinheiro.

Adquirir esse imóvel ainda não é o propósito, mas sim a vida mais confortável, saudável e feliz que terá morando nele e cultivando suas flores e plantas no terreno.

Para encontrar o propósito, pense sempre no que está além do material, portanto.

Accomplishment (Realizações)

Se o tema deste artigo atrai o seu interesse, provavelmente, é porque está em busca de evolução pessoal ou profissional, certo?

Pois o último conceito do modelo PERMA é transformar toda a positividade de que falamos antes em ações, e as ações em resultados, em realizações.

Alguns podem argumentar que a jornada é mais importante que o destino, o que faz bastante sentido até. Mas se nós temos metas e objetivos, temos que trabalhar para alcançá-las.

Afinal, quando as realizações chegam, elas funcionam como verdadeiros propulsores para as próximas conquistas.

Nos contagiam com confiança, autoestima e plenitude, nos motivam a seguir buscando sempre mais.

Só que ninguém consegue grandes realizações sem errar e sem ter muita força de vontade para superar os percalços.

Aí entra a Psicologia Positiva, ensinando a não superdimensionar esses eventos e focar nas realizações que virão para quem seguir tentando.

Onde aplicar a Psicologia Positiva

Ao chegar até aqui, é possível que você já tenha lembrado várias situações atuais ou passadas da sua vida em que a Psicologia Positiva se encaixa como uma luva, não?

A verdade é que essa é uma abordagem que serve para tudo, é capaz de melhorar a vida em geral, em todas as suas esferas.

Na saúde, por exemplo. Não apenas mental (como mencionamos antes, a Psicologia Positiva combate doenças e transtornos mentais), mas também física.

Se uma pessoa tem o objetivo de se alimentar melhor e praticar exercícios físicos, a Psicologia Positiva ajuda ela a se concentrar no prazer de sentir-se bem depois de uma refeição saudável ou de uma corrida.

Os estudos são outra área em que essa abordagem tem grande utilidade, pois orienta o estudante a apreciar os detalhes e confiar na própria capacidade.

Uma mentalidade que tem grande utilidade, sobretudo no estudo de temas complicados, que exigem uma grande imersão no assunto, o tal estado de flow.

Nos relacionamentos, é o que falamos antes: a Psicologia Positiva ajuda a cultivar relações mais saudáveis, o que gera grande satisfação, gratidão e aprendizado.

Por fim, mas não menos importante, o trabalho. No exercício de uma profissão, a pessoa coloca tudo o que falamos aqui em prática.

Ela enfrenta desafios, precisa aprender coisas novas constantemente e depende de um bom-relacionamento com colegas, subordinados, superiores, parceiros, fornecedores, clientes, etc.

Por tudo isso, sem dúvidas, experimentar os métodos da Psicologia Positiva colabora muito no desenvolvimento pessoal e profissional.

Benefícios da Psicologia Positiva

O principal benefício da Psicologia Positiva você já sabe: ela existe para tornar nossa vida mais feliz, repleta de bem-estar e satisfação.

O que só é possível graças a pequenos efeitos e benefícios que a abordagem traz, sobre os quais falamos um pouco abaixo:

Desenvolve a inteligência emocional: chamamos de inteligência emocional a capacidade de controlar suas próprias emoções e também de reconhecer e respeitar as emoções dos outros

Melhora a autoestima: a Psicologia Positiva ajuda o sujeito a entender que ele é único em suas forças e virtudes e pode ter uma avaliação positiva de si próprio mesmo buscando a evolução

Prática a gratidão: o equilíbrio entre a ambição e a gratidão (foco nos aspectos positivos da vida) pelo que foi conquistado até aqui é um dos segredos da felicidade

Aumenta a motivação: com um propósito e a capacidade de estimular emoções positivas e entrar em estado de flow, o indivíduo tem um grande salto na motivação do dia a dia

Traz resultados: a combinação de todos os benefícios anteriores faz com que a Psicologia Positiva ajude o sujeito a alcançar as metas e objetivos a que se propõe

Psicologia Positiva: técnicas mais utilizadas

Depois de tanto saber a respeito da Psicologia Positiva, você deve estar querendo saber como praticá-la, não é mesmo?

A seguir, apresentamos algumas das técnicas mais utilizadas dessa abordagem.

Diário positivo

Proponha-se a manter um diário por duas semanas ou mais. 

Ele deve ser escrito sempre à noite, e com uma condição: deve narrar três acontecimentos positivos do dia que acabou de passar.

É um excelente exercício para quem tem dificuldade para enxergar o lado bom das coisas. 

Em um dia sem grandes eventos, essa pessoa se força a analisar acontecimentos banais por uma perspectiva positiva.

Carta de gratidão

É uma técnica bem parecida com a anterior. A ideia é pensar em três pessoas que fizeram a diferença na sua vida positivamente.

Escreva uma carta a cada uma delas, expressando seus sentimentos de gratidão por ela fazer parte da sua vida.

Supere a vergonha e entregue as cartas. 

É uma ótima maneira de qualificar suas relações e espalhar a semente da Psicologia Positiva.

Meditação

A meditação é uma técnica milenar na tradição oriental, que ajuda o sujeito a focar no presente.

Excelente para quem tem os fantasmas do passado ou as preocupações com o futuro como obstáculos à felicidade.

Procure um instrutor para começar. 

Cursos de mindfulness (atenção plena) são fáceis de encontrar atualmente e seguem a mesma lógica.

Praticar o foco

Tem uma tarefa que você julga muito difícil pela frente, que pensa que não será capaz de cumprir? Encare-a com serenidade.

Acalme a mente, reserve um horário e lugar que seja livre de distrações, desligue o celular, saia das redes sociais e procure se concentrar na atividade.

Essa é a melhor maneira de chegar ao estado de flow

Treinando essa prática, sua perspectiva quanto à dificuldade de um projeto muda completamente.

Psicologia Positiva como ferramenta do Coaching

Por tudo que falamos até aqui, a Psicologia Positiva é uma excelente ferramenta de Coaching, um processo que visa o desenvolvimento pessoal e profissional.

O coach (profissional que orienta o processo de Coaching) utiliza as técnicas que acabamos de apresentar e outras práticas dessa abordagem da psicologia.

O processo começa com exercícios de autoconhecimento, a partir dos quais a pessoa aprende a identificar suas forças e também suas fraquezas.

O objetivo não é focar nos pontos negativos de sua personalidade, mas apenas identificá-los para adotar uma perspectiva positiva, motivada pelo desejo de melhorar naqueles aspectos.

Já as características positivas são o ponto de partida para o coachee (cliente) exercitar a gratidão e melhorar sua autoestima.

Após os exercícios de autoavaliação, o Coaching envolve a criação de um plano de ação, que busca aproveitar ao máximo as virtudes e desenvolver as deficiências para atingir metas e objetivos.

Tudo a ver, portanto, com os princípios da Psicologia Positiva, que prefere enxergar oportunidades em vez de lamentar obstáculos.

Conclusão

Você está satisfeito com sua vida atual? 

Responder a essa pergunta é muito difícil. Quem se diz satisfeito pode ser chamado de acomodado ou sem ambição.

Já quem se queixa e se diz insatisfeito pode ser taxado de ingrato, uma pessoa que "reclama de barriga cheia".

A Psicologia Positiva nos ensina a dar a primeira resposta, ou seja, agradecer pelo caminho trilhado até agora, enxergando o lado bom das coisas.

Como explicamos ao longo do artigo, essa mentalidade traz muitos benefícios, como a melhora na autoestima, motivação e, claro, bem-estar.

Mas como ser grato sem ser acomodado? Uma coisa não anula a outra, você pode cultivar emoções positivas ao mesmo tempo que persegue objetivos maiores.

É aí que entra o Coaching, que permite dar um passo adiante, ajudando você a planejar a evolução que pretende dar na vida pessoal ou na carreira.

Quer saber mais? Navegue pelos demais artigos do site, conheça nossos cursos ou entre em contato conosco.


E-book Psicologia

E-BOOK GRATUITO

Descubra como transformar sonhos em realidade utilizando a metodologia coaching na sua vida!