Uma vez que você não pode contar com a sua organização para orientá-lo em seu novo papel, é preciso que você administre a sua própria transição. Isso significa criar estratégias para administrar suas próprias expectativas, assim como as do seu chefe e da sua própria equipe. Ao iniciar diálogos abertos sobre as questões de maior importância para os stakeholders-chave no seu sucesso (colegas, clientes internos e conselhos de administração), você está fortalecendo relacionamentos que são vitais à consecução dos seus objetivos.

Imagine um CEO recém-nomeado, escolhido em razão de suas excepcionais aptidões de consultoria financeira. Tendo desfrutado uma longa e bem-sucedida carreira prestando que suas aptidões financeiras lhe possibilitarão desincumbir-se plenamente do novo cargo. Infelizmente, essa pessoa não reconhece a importância do desenvolvimento de relacionamentos com a sua equipe e com o conselho de administração.  

Pouco à vontade nas reuniões do conselho, ele recorre a seu forte na área técnica – falar de números. A equipe se sente microgerenciada, e os conselheiros têm dificuldade em acompanhar o seu pensamento. Essa pessoa está na via rápida do descarrilamento. A fim de entender melhor as expectativas do conselho e da equipe, ele deveria ter, logo de inícios, investido seu tempo em desenvolver relacionamentos, administrar expectativas e aprender a delegar em nível executivo. 


Como gerenciar à altura 

Você talvez ache que o seu novo chefe vá esmiuçar para você todas as metas e questões empresariais que serão críticas para o seu sucesso, mas esse pode não ser necessariamente o caso. São muitos os possíveis motivos dessa falta de clareza. Com frequência, as informações mais importantes não vêm à tona com a presteza desejada, portanto não tenha receio de pressionar por uma definição e estabelecer os seus próprios benchmarks de performance e progresso.

Considere o caso da executiva de operações que é promovida a um cargo muito mais importante. Gerente de projetos altamente capacitada e possuidora de sólidas aptidões técnicas, ela realmente “entende do riscado”. No entanto, está prestes a se deparar com desafios inesperados. Seu chefe, por exemplo, não entende nem dá valor à sua competência técnica e talento em lidar com detalhes. Numa cultura que valoriza o estilo mais do que a substância, a preocupação primordial dele é que ela demonstre um entusiasmo visível. A fim de satisfazer as expectativas do chefe e ser bem-sucedida na cultura, ela terá de delegar mais e redirecionar o seu conjunto de aptidões. Embora possa parecer um tanto puxado, isso é viável com as ferramentas abaixo.

Ferramentas de aprendizado: As expectativas do seu chefe

Identifique os seus principais clientes e stakeholders.
Defina aquilo pelo que você deverá prestar contas em seu novo papel em termos de:

- Pessoas
- Recursos financeiros
- Resultados

Entenda o que o seu chefe realmente quer de você. Por exemplo, embora ele possa estar dizendo “quero que você implemente mudanças”, o sentido subjacente é “quero que você elimine o peso morto da organização”.

Saiba quais são as expectativas do conselho de administração (se você for CEO).

Determine um cronograma e uma metodologia para obter feedback do seu chefe. Por exemplo, marque reuniões com o seu chefe, dentro de três e seis meses, a fim de avaliar o seu progresso.

Marshall Goldsmith em Coaching: o exercício da liderança, editora Campus, 2003.