Inteligência emocional e autocontrole
Manter o controle dos próprios impulsos e sentimentos é uma característica valorizada no ambiente de trabalho, principalmente quando falamos em cargos de liderança e gestão de pessoas. Os impulsos biológicos dirigem as nossas emoções e eliminá-los não é possível, porém, ter a capacidade de administrá-los é um forte sinal de inteligência emocional.

O autocontrole, ou autogestão, é um componente da inteligência emocional que faz com que não sejamos reféns de nossos sentimentos, impulsos e emoções, funcionando como uma conversa interior constante.

Ter autocontrole é encontrar meios de controlar os impulsos emocionais e canalizá-los de maneira útil, escolhendo com cuidado as palavras que vai utilizar, não se precipitando em julgamentos, analisando e refletindo as questões antes de expor seus sentimentos e opiniões. É um componente da inteligência emocional que nos liberta de sermos prisioneiros dos nossos próprios sentimentos.

Reconhecemos o autocontrole através de algumas características fáceis de serem percebidas em uma pessoa. Tais como: a propensão pela reflexão e ponderação, boa adaptação à ambiguidade e mudança, e, pela capacidade de dizer não aos impulsos - essa, chamada por Daniel Goleman, como integridade.

Goleman ressalta que às vezes o autocontrole pode fazer com que uma pessoa seja vista como fria, pois suas reações ponderadas podem dar a impressão de "falta de paixão".

Autocontrole e Liderança: Por que o autocontrole é importante para os líderes?

- Pessoas com autocontrole são capazes de criar um ambiente de confiança e equidade;

- Como dominam suas emoções, são capazes de acompanhar mudanças e, por vezes, chegam a liderar o percurso;

- Conseguem suspender o julgamento, ouvir e buscar informações;

- Aumenta a integridade, que não é somente uma virtude pessoal, mas também uma força organizacional - muitas coisas ruins que acontecem nas empresas são em função de um comportamento impulsivo, e, com autocontrole, pode-se desafiar o impulso e ver o que faz mais sentido no longo prazo.

"Pessoas de temperamento tempestuoso são frequentemente consideradas os líderes 'clássicos' - seus acessos são considerados sinais de carisma e poder. Mas quando chegam ao topo, sua impulsividade muitas vezes se volta contra elas. 

Em minhas pesquisas, exibições extremas de emoção negativa nunca se mostraram propulsoras da boa liderança", afirma Goleman em seu livro “Liderança: A Inteligência Emocional Na Formação do Líder de Sucesso”.

O autocontrole é uma competência da inteligência emocional que ajuda tanto na construção de relacionamentos no ambiente de trabalho quando na vida pessoal, é uma característica valorizada por muitos e uma habilidade vantajosa no comportamento humano.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.