As empresas devem incentivar reflexão sobre a carreira dos seus funcionários e, na medida do possível, oferecer suporte efetivo para o seu desenvolvimento pessoal e profissional. Quando o gestor amplia a discussão sobre planejamento de carreira ele desenvolve sua liderança efetiva, pois aperfeiçoará a capacidade de ouvir, propor e negociar alternativas. Por sua vez, o colaborador deve revelar sua perspectiva de como quer estar na empresa daqui a dez ou vinte anos.

Programa de Recolocação Profissional

Além do plano de carreira corporativo, algumas empresas oferecem um programa de recolocação profissional para funcionários demitidos, contribuindo com a fase de transição, disponibilizando consultor especializado para realizar reuniões de planejamento de carreira.

Essa consultoria elabora uma estratégia de abordagem mercadológica, orientando como a pessoa pode se comunicar com o mercado. Nesse aspecto, a empresa deixa transparecer o respeito e o cuidado com a carreira do funcionário.

Quando oferece um programa de recolocação como benefício no momento de rescisão de contrato, a empresa passa a mensagem de respeito e cuidado, preocupação com a carreira, melhorias para um próximo emprego e fatores que podem minimizar as possibilidades de uma ação trabalhista.

Veja também: Desafios do Processo de Recrutamento e Seleção

O Plano de Carreira Corporativo

Essa prática também pode gerar redução de custo com consultorias de seleção e de investimento em treinamentos iniciais para novos funcionários, minimizando a possibilidade de uma contratação errada. O plano de carreira é igualmente benéfico para os funcionários e para as empresas.

O profissional percebe que essa prática proporciona maior segurança e alinhamento, podendo observar o interesse genuíno da empresa pela sua carreira e se aprimorar em suas competências. A organização, por sua vez, conquista a confiança do funcionário, seu comprometimento e consegue melhorar o clima organizacional.