Ambientes diversos psicologicamente seguros não surgem do nada. São o resultado de suposições positivas sobre a equipe e outros membros, e de atitudes que enfatizam a boa vontade em aprender e ajudar os outros a aprenderem. Em especial, as pessoas precisam sentir que:
-erros são uma oportunidade para aprender, não uma fonte de recriminações;
-as ideias de todos devem ser valorizadas;
-quando se trata de rever o processo, todos são especialistas, mesmo que apenas em relação aos passos referentes ao próprio papel ocupacional;
-são incentivadas as indagações sobre os sentimentos e as perspectivas dos outros membros;
-todos têm o direito e a responsabilidade de questionar o que não entendem ou o que acham que não está certo;
-a curiosidade é uma virtude;
-pedir ajuda é uma atitude bem-vinda; admitir ignorância é um sinal de força, não de fraqueza;
-aprender deve ser uma responsabilidade compartilhada. 

Quando os membros de uma equipe se sentem firmes em relação a essas questões, mostram-se mais propensos a experimentar, individualmente e como equipe; a enfrentar comportamentos disfuncionais e discutir processos de trabalho de pouca qualidade; a levar aprendizados de fontes externas para dentro da equipe; e a aplicar esses aprendizados para melhorar a realização da tarefa.


David Clutterburck em Coaching Eficaz: Como orientar sua equipe para potencializar resultados

Sulivan França
Atual Presidente da Sociedade Latino Americana de Coaching, Sulivan França é Master Coach Trainer por meio da International Association of Coaching Institutes, possui licenciamento individual conferido pelo Behavioral Coaching Institute (BCI) e credenciamento individual junto a International Association of Coaching (IAC) além de Master Trainer por meio da International Association Of NLP Institutes.
Siga-me no GOOGLE+