Coaching vs. inteligência emocional

No processo de coaching, o cliente (coachee) tem o controle, ou seja, realiza seus objetivos no ritmo que ele próprio estabelece, porque estará ciente de que é o único responsável pelos resultados da sua vida.

Quando aliado à inteligência emocional, o coaching apoia a pessoa para que construa autoconfiança e desenvolva autoestima, utilizando exercícios que estimulam a tomada de decisões. Os desafios antes vistos com medo e receio, são superados com segurança e confiança.

Inteligência emocional e performance

A inteligência emocional diferencia os índices de performance de uma pessoa, tanto na empresa como na vida em família. A psicologia define essa característica como a capacidade de perceber e exprimir a emoção, assimilar ao pensamento, compreender e raciocinar com ela, e saber regulá-la em si e nas outras pessoas. De acordo com alguns pesquisadores, na inteligência emocional é possível identificar nossos próprios sentimentos e os dos outros, abrangendo cinco áreas específicas: Autoconhecimento Emocional, Habilidade, Automotivação, Reconhecimento das emoções, e Habilidade nos Relacionamentos Interpessoais.

O processo de coaching

O coaching quando acompanhado de inteligência emocional possibilita o cliente a controlar o seu ambiente. Ao lidar com seus problemas e necessidades, é consciente do que pode fazer para melhorar a situação.

O profissional coach dá suporte ao cliente na direção do seu objetivo final a partir de um planejamento bem estruturado, agindo como um catalisador para o cliente obter mudanças rápidas e profundas.

As pessoas com inteligência emocional aprimorada também são experientes em controlar sentimentos ruins. Possuem a capacidade de fazer uma avaliação correta do cenário, sendo confiantes e focadas nos objetivos e usando suas habilidades a seu favor. Elas se adaptam facilmente ao ambiente e às necessidades, com boa organização e comunicação para conduzir relacionamentos de maneira empática e harmônica.