Pode parecer apenas mais uma palavrinha complicada para decorar, mas o fato é que a neurolinguística é uma área que pode colaborar muito para sua evolução pessoal.

Mais especificamente, estamos falando sobre a metodologia da Programação Neurolinguística, também conhecida pela sigla PNL.

Trata-se de uma abordagem baseada em um conhecimento muito importante: os principais obstáculos para o crescimento estão dentro de nós.

Cada pessoa tem seus hábitos, comportamentos e maneiras distintas de reagir a determinados estímulos.

Só que temos que levar em consideração duas coisas:

1- Entre esses padrões de personalidade e comportamento, há aqueles que colaboram para obter resultados positivos e aqueles que limitam e atrapalham

2- Nada disso é imutável, ou seja, podemos modificar esses padrões.

Pessoas bem-sucedidas, geralmente, reagem aos eventos que se apresentam em sua vida de maneira positiva ou têm uma grande capacidade de identificar os hábitos negativos e transformá-los.

A Programação Neurolinguística ajuda justamente nessa transformação, permitindo que o indivíduo aproveite melhor todo seu potencial cognitivo.

Mesmo os tais bem-sucedidos podem se beneficiar da PNL, pois todo mundo tem margem para evoluir.

Para quem está começando sua carreira ou mira grandes objetivos na vida profissional ou pessoal, é uma abordagem altamente recomendada.

É o seu caso? Então, siga a leitura e confira, ao longo deste artigo, tudo sobre:

O que é Neurolinguística?

- O que é PNL?

Para que serve a Programação Neurolinguística?

Benefícios da Programação Neurolinguística

Exemplos de aplicação da PNL

- Na vida pessoal

- Na vida profissional

6 técnicas de PNL

Como PNL e Coaching atuam no desenvolvimento

Boa leitura!

O que é Neurolinguística?

Neurolinguística é um campo acadêmico que estuda os mecanismos do cérebro humano que controlam a compreensão, produção e aquisição de linguagem.

Ou, na definição de Elisabeth Ahlsén, autora de Introduction to Neurolinguistics, é o "estudo da relação entre diferentes aspectos da função cerebral associada à linguagem e à comunicação".

Segundo Elisabeth, cabe ao campo "explorar como o cérebro compreende e produz linguagem e comunicação".

Quando falamos apenas em linguística, trata-se da ciência cujo objeto de estudo é a linguagem humano - tanto oral quanto sua representação escrita, embora a ênfase maior seja na fala.

É importante destacar que a linguagem é vista, pela linguística, como um canal de comunicação entre as pessoas, não como um conjunto de regras gramaticais e ortográficas, objetos de estudo da área acadêmica de Letras.

Estuda-se toda a complexidade da comunicação através da linguagem, nuances, fonemas, estilos, significados e combinações de palavras.

Na neurolinguística, adicionamos o prefixo "neuro", que sinaliza relação com o sistema nervoso, controlado pelo cérebro.

A área pode ser tratada, portanto, como uma intersecção entre a linguística e ciências como a neurologia (que trata dos distúrbios estruturais do sistema nervoso) e neurobiologia (estudo das células do sistema nervoso).

Considera-se que o precursor na neurolinguísticas foi o médico francês Paul Broca, em meados do século 19.

Ele e o médico alemão Carl Wernicke lançaram, estudaram e caracterizaram a afasia, um distúrbio de linguagem provocado por uma lesão cerebral (como um traumatismo ou acidente vascular cerebral).

Atualmente, a neurolinguística atrai pesquisadores de várias áreas, por ser um campo interdisciplinar, que permite múltiplas perspectivas.

Quando as pesquisas enveredam para o lado da psicologia, porém, entramos em outra área, da psicolinguísticas, muito ligada com a neurolinguística.

A psicolinguística investiga a linguagem pela perspectiva da psicologia experimental, e não pelo estudo dos neurônios.

O que é PNL?

Programação Neurolinguística é uma metodologia que nos ajuda a compreender modelos mentais para transformar positivamente nosso funcionamento interno.

A PNL surgiu no início dos anos 1970, criada pelo estudante de psicologia Richard Bandler, em conjunto com o professor de linguística John Grinder.

Os trabalhos dos dois pesquisadores que criaram a Programação Neurolinguística foram realizados na Universidade de Santa Cruz, na Califórnia.

Ao estudar a linguagem verbal e a não verbal de terapeutas famosos e bem-sucedidos em seus trabalhos, Bandler e Grinder identificaram modelos que poderiam ser replicados.

A partir daí, criaram técnicas de elevação de resultados que podem ser aplicadas em vários contextos que não apenas a terapia.

Dessa forma, a proposta da PNL é possibilitar uma "reprogramação" dos padrões mentais, priorizando em nossa estrutura interna pensamentos e emoções que impactam de maneira positiva a busca por nossos objetivos.

O estudo da neurolinguística foi muito importante para o desenvolvimento da metodologia, mas a PNL é um conhecimento bem diferente do campo sobre o qual falamos no tópico anterior.

A neurolinguística é um conhecimento acadêmico, na qual as pesquisas seguem o rigor do método científico.

Já a Programação Neurolinguística está associada a técnicas terapêuticas com viés prático, voltada para estimular a excelência nas pessoas que passam pelo processo.

Apesar de ter sido desenvolvida na universidade, não é uma abordagem acadêmica, mas sim uma metodologia aplicada de acordo com os desafios e obstáculos de cada indivíduo.

Envolve práticas que já foram experimentadas com eficácia comprovada e que ajudam o cérebro a funcionar da melhor maneira possível para colaborar com os objetivos pessoais, familiares e profissionais.

Também se relacionada com a linguística porque a expressão através das palavras tem papel essencial nos modelos mentais.

Ou seja, envolve o cérebro (neuro), pois é ele quem dá as ordens para as ações. E envolve programação, no sentido de criar deliberadamente novos padrões de comportamento.

Para que serve a Programação Neurolinguística?

A Programação Neurolinguística (PNL) é recomendada para praticamente qualquer pessoa, pois tem muitas aplicações.

Para começar, ela desenvolve nosso autoconhecimento. 

Em qualquer metodologia de evolução pessoal e profissional, esse tem que ser sempre o primeiro passo.Ou você acha que é possível crescer e obter melhores resultados sem entender o que faz de errado, quais são as limitações autoimpostas, quais características precisa desenvolver e outros padrões comportamentais?

Afinal, todas as ações têm efeitos e são os nossos pensamentos, a nossa maneira de processar as informações e compreender as situações que ditam quais serão nossas ações.

É um erro focar em mudar a maneira de agir. É preciso entender que, antes disso, deve-se mudar a maneira de pensar. Só assim as ações serão outras.

A partir do autoconhecimento, a PNL ensina a ressignificar as crenças que impactam em nosso comportamento.

É assim que a mudança começa, com o sujeito passando a focar na solução e não nos problemas.

Veja bem, não é a Programação Neurolinguística que vai lhe trazer os resultados esperados. Ela dá apenas as ferramentas para isso, sendo assim até melhor.

Porque o método não prepara o indivíduo para uma situação específica, mas sim para reagir da melhor maneira possível diante de qualquer situação, seja ela positiva ou negativa.

A consequência de passar pelo processo de Programação Neurolinguística é se tornar uma pessoa mais adaptável e preparada.

Confiante quanto ao que conhece, mas sem medo de experimentar o novo e de cometer erros - pois eles vão surgir sempre e o segredo é saber aprender com cada um.

Benefícios da Programação Neurolinguística

O principal benefício que observa quem passa pelo processo de Programação Neurolinguística é o desenvolvimento da capacidade de gerenciar seus pensamentos e emoções.

Quem deseja obter sucesso na vida profissional, por exemplo, em algum momento, vai precisar desenvolver a capacidade de liderança.

Mas como chegar nesse patamar sem conseguir liderar a si próprio? É nesse sentido que atua a PNL, ajudando o indivíduo a ser protagonista da sua própria vida.

O processo ensina a tirar o foco dos eventos externos e circunstâncias desfavoráveis, levando a atenção para a própria mente.

"O que pode ser feito conscientemente no contexto atual que me ajudará a alcançar minhas metas e objetivos?"

Dizendo assim, parece muito simples, mas o desenvolvimento dessa mentalidade não acontece do dia para a noite.

A PNL foi criada justamente para acelerar esse processo, com o aperfeiçoamento de técnicas utilizadas há muito tempo por terapeutas de diversas áreas.

Depois de passar por esse método, a pessoa aprende a internalizar uma estruturação de pensamento que a levará a gerar mudanças de comportamento diárias, sempre no rumo do sucesso.

A finalidade da Programação Neurolinguística é equilibrar a mente, para que o indivíduo tome as melhores decisões possíveis em cada situação, a partir da configuração de um estado interno que enxerga oportunidades.

Sem superdimensionar os problemas, mas também sem subestimá-los, é claro. 

O segredo é dar a eles a dimensão e importância que realmente têm: são obstáculos que quando transpostos deixarão um enorme aprendizado.

Exemplos de aplicação da PNL

Mas afinal de contas, a Programação Neurolinguística é conduzida para gerar tantos resultados transformadores?

A PNL segue o princípio de que o ser humano avalia uma situação por três maneiras diferentes.

A primeira é pela perspectiva própria. Ou seja, a pessoa percebe o contexto a partir de seu modo de pensar, de seus próprios valores, princípios, desejos, interesses, crenças e pudores.

Essa é uma percepção pessoal e intransferível, pois cada indivíduo tem sua personalidade e suas particularidades cognitivas. Nenhuma pessoa pensa exatamente igual a outra.

A segunda maneira de avaliar uma situação é levando em conta a percepção do outro. Como entendemos que é a sua opinião e seus sentimentos diante do mesmo cenário?

É, de certa forma, um exercício de empatia, de colocar-se no lugar do outro para entender o que ele está pensando e sentindo.

Por fim, analisamos uma situação por um viés sistêmico, isto é, considerando as duas perspectivas: pessoal e do outro.

Adotar a perspectiva sistêmica melhora tanto a relação consigo quanto o relacionamento com as outras pessoas.

A seguir, vamos dar exemplos de como a Programação Neurolinguística pode ser aplicada na vida pessoal e profissional.

Na vida pessoal

As situações em que a PNL pode melhorar a vida pessoal de alguém são tão variadas quanto as possibilidades de evolução que ela tem.

Um bom exemplo é a questão da saúde. 

Como sabemos, praticar exercícios físicos com regularidade e manter uma alimentação balanceada são os dois principais caminhos para uma vida saudável - objetivo de qualquer pessoa.

Há circunstâncias que surgem em nossas rotinas, porém, que nos afastam um pouco dessas boas práticas.

A facilidade, praticidade e apelo comercial dos fast foods, por exemplo, torna muito difícil para algumas pessoas comer de maneira saudável, sem contar os alimentos com grandes quantidades do viciante açúcar refinado.

Para muitos, comer descontroladamente também é uma válvula de escape para a ansiedade, um dos males modernos.

Quanto aos exercícios, são tantos compromissos no dia a dia que as pessoas chegam exaustas em casa e a última coisa que pensam em fazer é uma atividade física.

O problema é que isso tudo são mentiras que contamos para nós mesmos. Criamos mais obstáculos à evolução do que realmente existem.

Alimentar-se bem não é nem mais caro e nem mais trabalhoso do que alimentar-se mal.

E os mesmos que reclamam de não terem tempo para se exercitar perdem horas por dia nas redes sociais ou na frente da televisão.

A exaustão que sentem ao voltar do trabalho é mental e não física. Uma sensação que o próprio exercício ajuda a reverter, como a ciência já comprovou.

E a Programação Neurolinguística, onde entra nisso? É uma metodologia com técnicas que revertem essas crenças criadoras de obstáculos falsos.

Reprogramando seu cérebro, você para de se contar as mesmas mentiras de sempre e muda as ações para alterar os resultados.

O mesmo vale para outras áreas da sua vida pessoal, como família, relacionamento, estudos, etc.

Na vida profissional

O mundo corporativo é talvez o meio em que as pessoas mais atribuem aos outros responsabilidades por acontecimento de sua própria vida.

Pense bem: quantas vezes você conheceu um profissional com verdadeira autocrítica, daqueles que assumem seus erros e admitem suas limitações?

Daqueles que reconhecem que precisam se esforçar mais para conseguir a promoção ou aumento salarial tão desejado?

Esses profissionais existem, é claro. Se você tem colegas assim na empresa onde trabalha, aproveite e aprende o que puder com eles.

Infelizmente, o normal é culpar os outros. 

Seu relatório foi criticado? É porque não compreenderam direito ou quem lhe delegou a tarefa não comunicou exatamente o que era para fazer.

A promoção foi para outro funcionário? É porque o chefe tem amizade pessoal com ele e não porque ele é mais competente.

Esse tipo de desculpa é bem comum e são apenas mecanismos de defesa de pessoas que não querem admitir a responsabilidade por não terem alcançado seus objetivos.

Lembre-se do que falamos antes: para ter resultados, é preciso mudar as ações; para mudar as ações, antes é preciso mudar de mentalidade. E é isso que a Programação Neurolinguística propõe.

Sim, existem injustiças, empresas onde o talento e esforço de alguém é mal aproveitado, mal valorizado e mal reconhecido.

Porém, mesmo que essas queixas tenham fundamento, ficar lamentando não é a postura correta.

Em vez disso, o caminho é pensar em como seguir evoluindo e como tornar essa evolução visível, seja na mesma empresa ou fora dela.

6 técnicas de PNL

É comum que técnicas da Programação Neurolinguística sejam utilizadas em processos de Coaching (entenda melhor no tópico seguinte).

Agora, vamos falar um pouco sobre algumas das principais técnicas dessa abordagem que estimula o desenvolvimento pessoal e profissional.

Ancoragem

A ancoragem é uma técnica baseada na utilização da chamada âncora positiva.

Trata-se de uma palavra, um gesto ou um objeto que lembra uma situação positiva importante para a pessoa.

Ela será relembrada sempre que houver um momento de desânimo, medo ou outro sentimento negativo.

Metáforas

Essa é bem simples, envolve fábulas, provérbios e citações que possam ser comparadas com a experiência atual do cliente.

O segredo é fazê-lo enxergar a situação por outra perspectiva, livrando-o de bloqueios negativos.

Cura de fobias

Algumas pessoas sentem medos que, para outros, podem parecer bobos, mas para quem os sente são capazes de gerar bloqueios angustiantes.

A cura de fobias é uma percepção que começa com o reconhecimento desse medo.

A partir daí, são utilizadas outras técnicas para dissolver os bloqueios gerados pela fobia.

Ressignificação

A ressignificação é uma das mais poderosas e transformadoras técnicas de Programação Neurolinguística.

Quando bem executada, costuma surpreender as pessoas, pois ela propõe a mudança total na percepção de determinada circunstância.

O sujeito deixa de pensar nela como um trauma, um obstáculo ou algo para se lamentar e passa a enxergar o que ela trouxe de positivo ou o que tem a ensinar.

Círculo de excelência

O círculo de excelência é um exercício que busca desenvolver no cliente uma sensação de confiança total nele próprio.

O segredo da técnica é vincular essa sensação a elementos (resgatando a técnica da ancoragem) para que seja possível sentir a mesma confiança no futuro e todas as vezes que a pessoa precisar se sentir assim. 

Fogging

É uma técnica ótima para situações de negociação e resolução de conflitos. O nome vem do inglês, e quer dizer "cobrir de névoa".

O que pode nos induzir a pensar que a técnica consiste em criar uma "cortina de fumaça" para tirar o foco do problema, mas não é bem por aí.

Quando existe uma discussão ou divergência, o fogging orienta a quebrar a animosidade se disponibilizando para encontrar a solução, com frases como "o que você gostaria que eu fizesse para resolver esse problema?".

Como PNL e Coaching atuam no desenvolvimento

Quando se fala em Programação Neurolinguística, muita gente relaciona com o Coaching e vice-versa. Que fique claro: PNL e Coaching não são a mesma coisa.

A PNL, embora não seja um campo acadêmico da neurolinguística, é uma metodologia que se baseia nela.

Suas técnicas, portanto, focam no funcionamento do cérebro, procurando transformar modelos mentais e expandir o potencial cognitivo do indivíduo.

Já o Coaching é um processo em que um profissional (o coach) ajuda seu cliente (o coachee) a desenvolver um escopo mais amplo de capacidades e habilidades.

Ele pode aprender técnicas de organização e gestão do tempo, por exemplo, que nada têm a ver com Programação Neurolinguísticas, mas são apenas boas práticas de autodisciplina.

Dito isso, os dois processos têm sim uma relação. A começar pela finalidade de ambos, que é o desenvolvimento pessoal e profissional.

Os processos de Coaching costumam utilizar técnicas de PNL, pois o autoconhecimento e a mudança comportamental são aspectos muito importantes do trabalho.

O que acontece é que o Coaching, como se trata de uma metodologia bastante completa e sistêmica, agrega outros conhecimentos além daqueles proporcionados pela PNL.

Qual processo escolher, então: PNL ou Coaching?

Na realidade, você pode escolher os dois, procurando um coach que domine as melhores técnicas de Programação Neurolinguística e saiba aplicá-las de acordo com a sua necessidade.

Conclusão

Quem experimenta metodologias como PNL e Coaching e se dedica de verdade ao processo acaba se viciando no desenvolvimento pessoal e profissional.

Porque, com essas experiências, percebemos que o caminho do crescimento é contínuo, não acaba nunca.

E não há nada melhor do que olhar para trás e perceber essa evolução. A vontade de sentir novamente esse prazer nos faz olhar para frente e mirar novos objetivos, para depois celebrar de novo os resultados.

Isso vale para qualquer pessoa ou profissional, não importa o quanto ele já tenha conquistado.

Sempre há espaço para evoluir e aprender a olhar as coisas por uma outra perspectiva.

Esse é o segredo das pessoas bem-sucedidas. Elas não acertam em tudo o que fazem, mas sabem lidar melhor com os obstáculos e decepções que surgem pelo caminho.

Imagine como seria se você enxergasse cada erro como uma dádiva pelo aprendizado proporcionado.

Cada desafio na jornada para alcançar seus objetivos como uma possibilidade de testar suas forças e capacidade de superação.

Seria praticamente um superpoder, não? A incapacidade de se abalar. Pois é justamente isso que a Programação Neurolinguística busca desenvolver.

Claro que ninguém deixa de ser humano com as técnicas de PNL - é impossível estar sempre em um pico de ânimo e confiança.

O que acontece é que essa abordagem, assim como um processo completo de Coaching, reduz significativamente os momentos improdutivos em que ficamos cabisbaixos, esperando as coisas melhorarem por um milagre.

Quer saber mais sobre como investir no autodesenvolvimento e estimular a mentalidade positiva em si e nos outros? 

Visite o site da SLAC® para conhecer nossas formações ou entre em contato conosco.

Ficaremos felizes em ajudar você a alcançar seus objetivos.


E-book PNL

E-BOOK GRATUITO

Descubra como transformar sonhos em realidade utilizando a metodologia coaching na sua vida!