Diferente de outros tipos de terapia, a TCC traz uma abordagem bastante prática e direta.

A partir da análise de um problema, o foco passa a ser sua solução, através da mudança de comportamento.

Isso não significa que o método seja melhor do que outros tipos de psicoterapia ou que o tratamento psicanalítico.

O que acontece é que a Terapia Cognitivo Comportamental costuma trazer resultados mais visíveis e rápidos.

Esse é um fator que influencia positivamente na satisfação e confiança do paciente, o que ajuda bastante na sequência do processo de tratamento ou desenvolvimento.

A TCC é amplamente recomendada para quem tem problemas facilmente identificáveis e precisa de uma mudança nas ações e comportamentos para resolvê-los.

Isso vale para questões da vida pessoal (como relacionamentos amorosos e sociais e problemas familiares), estudantil e profissional.

Quer saber mais sobre essa abordagem? Veio ao lugar certo. 

Neste artigo, vamos explicar o conceito de Terapia Cognitivo Comportamental, falar das origens e objetivos da TCC, sobre os métodos que a utilizam e os resultados que proporcionam.

Você também vai descobrir de que forma essa ferramenta, aplicada dentro de um processo de Coaching, pode maximizar sua performance, ajudá-lo a encontrar a sua melhor versão e a alcançar todas as suas metas e sonhos.

Se o assunto interessa, siga a leitura!

O que é Terapia Cognitivo Comportamental (TCC)?

A Terapia Cognitivo Comportamental é um método terapêutico que visa a modificação de pensamentos, emoções e comportamentos com a finalidade de melhorar determinado problema apresentado pelo paciente.

A TCC utiliza técnicas que são direcionadas a alcançar objetivos concretos, que sejam fáceis de definir e de observar.

O método começa com o diagnóstico específico do problema ou transtorno mental, para depois ser feita sua análise.

Em seguida, é discutido o objetivo da terapia e, então, os meios que serão utilizados para alcançá-los.

A última fase da TCC é a ação, quando o paciente realiza os passos definidos na etapa anterior e avalia os resultados obtidos.

Terapia Cognitivo Comportamental não termina necessariamente aí. 

Ela se baseia em conhecimentos empíricos, então, a própria observação dos acontecimentos seguintes determina os próximos passos.

Admite-se que o plano de ação traçado na TCC é fundado em hipóteses, que podem ser validadas ou não.

Desse modo, por princípio, o plano, sujeito a avaliação permanente, é totalmente modificável.

A terapia utiliza preceitos filosóficos bastante empregados em processos de Coaching e em abordagens como a Psicologia Positiva.

O ponto de partida é a avaliação lógica e racional dos problemas, o que facilita o encontro de soluções práticas e eficazes.

O paciente passa a compreender que seus pensamentos e emoções estão diretamente relacionados com seus atos e suas consequências.

Isso leva à mudança de comportamento, que acontece a partir de conclusões lógicas e de uma nova maneira de interpretar os eventos que da vida do sujeito.

Quem propôs a TCC?

Para entender a origem da Terapia Cognitivo Comportamental, temos que voltar um pouco no tempo e falar sobre a Terapia Cognitiva.

Não confunda as duas abordagens. 

A Terapia Cognitiva foi desenvolvida pelo psiquiatra americano Aaron Temkin Beck, um dos terapeutas mais influentes de todos os tempos.

Nos anos 1960, ele criou o Centro de Terapia Cognitiva da Universidade da Pensilvânia.

Seu método parte do princípio de que nosso pensamento dita nossos sentimentos e a maneira como nos comportamos.

A partir daí, Beck propôs uma terapia que envolve a tomada de consciência das próprias cognições e a reestruturação cognitiva a partir de uma análise crítica. 

Parece muito parecido com o que falamos até aqui, não? E realmente é, porque a TCC bebeu da fonte da Terapia Cognitiva.

As diferenças entre as duas abordagens estão nos pressupostos teóricos e práticos, assunto que interessa mais aos terapeutas do que a quem está apenas buscando maneiras de se desenvolver como pessoa.

Além da Terapia Cognitiva, a Terapia Comportamental foi outra abordagem da psicologia que inspirou a criação da TCC.

A Terapia Comportamental surgiu como um contraponto à psicanálise. 

Em vez de interpretar o inconsciente dos pacientes, ela propunha métodos mais objetivos, com a observação do comportamento.

A partir dos anos 1980, começou a surgir a chamada "terceira onda", uma espécie de fusão entre as terapias comportamental e cognitiva.

Nascia, assim, a Terapia Cognitivo Comportamental, implementada com sucesso pelos psicólogos David M. Clark (no Reino Unido) e David H. Barlow (nos Estados Unidos).

Qual o objetivo da Terapia Cognitivo Comportamental?

O objetivo principal da TCC é transformar positivamente os padrões mentais, emoções e comportamentos dos pacientes.

Como se trata de uma terapia, estamos falando de um processo que visa o tratamento psicológico, através de um terapeuta.

Com essa transformação, a TCC cuida de comportamentos como a ansiedade, depressão, fobias, traumas, dependência química, transtornos alimentares e outras.

Mas as suas contribuições e aplicações vão além.

Dessa forma, mostra-se útil também para quem não tem o que podemos caracterizar como transtorno psicológico, mas deseja uma evolução em sua vida pessoal ou profissional.

Para exemplificar, a Terapia Cognitivo Comportamental pode ajudar em questões como estresse, falta de foco para estudos ou trabalho, dificuldades em relacionamentos, luto, separações, questões de carreira, etc.

Ou seja, situações que podem acontecer na vida de qualquer um, seja qual for sua idade ou ocupação.

Para alcançar o objetivo de mudar os comportamentos para melhorar a qualidade de vida do paciente, a TCC procura desenvolver estratégias para viabilizar essa transformação.

Isso só é possível com total cooperação entre paciente e terapeuta (ou entre coach e coachee, em um processo de Coaching).

São eles que planejam essas estratégias em conjunto.

Os dois devem concordar com as premissas e com as ações propostas para solucionar os problemas diagnosticados.

O objetivo final das mudanças é corrigir as distorções cognitivas e condutas consideradas inadequadas que geram prejuízos ou mal-estar na vida do sujeito.

Já na abordagem que visa o desenvolvimento pessoal ou profissional do indivíduo, a realização de metas e sonhos pode ser alcançada também com a contribuição da TCC.

Como funciona o processo?

A TCC está estruturada em vários passos, que são os seguintes:

1. Apresentação do problema

O profissional que conduz o processo deve entender qual o transtorno psicológico ou o motivo que causa angústia em seu paciente/cliente.

Além das condições e informações básicas sobre o problema, são definidos objetivos e esclarecidos o método a ser utilizado e as condições necessárias para a abordagem.

2. Análise do problema

Definido qual o problema para o qual o paciente/cliente busca uma solução, o passo seguinte é compreender os mínimos detalhes sobre ele.

Na TCC, esse problema costuma envolver um padrão comportamental, então, é avaliada a sua frequência, em quais situações ele se manifesta e como interage com outros elementos da vida do sujeito.

3. Planejamento da mudança

Nessa fase, desdobra-se o objetivo definido no início do processo.

Agora que o comportamento nocivo ou negativo já é bem conhecido, quais são os objetivos específicos do tratamento em relação a ele?

Devem ser esclarecidas, aqui, as responsabilidades de cada parte: de quem conduz a TCC e de quem se beneficia dela.

4. Definição dos meios

É hora de pensar nas questões mais práticas, nos meios que permitirão que a mudança desejada aconteça. 

Nessa fase, deve ficar claro quais passos devem ser dados e como.

O paciente/cliente buscará desenvolver novos comportamentos em cima do conhecimento obtido com as análises feitas nas fases anteriores.

5. Prática e avaliação

Tudo o que foi explicado nos passos anteriores é colocado em prática. 

É fundamental continuar com o processo e acompanhar a evolução do caso, adaptando as hipóteses sempre que o terapeuta achar necessário.

Quando buscar a TCC?

A Terapia Cognitivo Comportamental é recomendada para pessoas que identificam padrões de pensamentos e comportamentos que estão prejudicando sua vida de alguma maneira.

Pode ser algo aparentemente simples, como um medo excessivo de assumir riscos, baixa autoestima ou dificuldade em se concentrar nos estudos ou em tarefas a complexas.

Esses dois exemplos são problemas que, na maioria dos casos, não correspondem a uma patologia, mas podem atrapalhar a pessoa.

Como existem causas cognitivas e comportamentais para essas dificuldades, a TCC é uma ótima maneira de reverter esses padrões negativos.

Mas estamos falando de um método terapêutico bem aceito em todo o mundo, com eficácia observada no tratamento de uma série de questões mais complexas, como:

 Agressividade

 Anorexia

 Ansiedade

 Compulsão (alimentar, por acumulação, por jogos, por drogas, etc.)

 Déficit de atenção

 Depressão

 Estresse pós-traumático

 Fobia social

 Síndrome do pânico

 Transtorno bipolar

 Transtorno disfórmico corporal

 Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC).

Além de t
udo isso, a TCC é um método que tem grande colaboração geral para a qualidade de vida e bem-estar do paciente.

A ciência já desvendou que a TCC colabora para diminuir o risco de várias doenças e condições, como hipertensão, câncer, doenças coronárias e muitas outras.

Resumindo, a Terapia Cognitivo Comportamental ajuda a pessoa a viver melhor e, por isso, é recomendada para qualquer um que busque evoluir em seus comportamentos.

Afinal, a vida não é um jogo de cartas marcadas e vivemos de acordo com o que somos capazes de tirar dela. 

O que a TCC faz é ajudar a tirar sempre o melhor, transformando a si próprio.

A TCC na abordagem de distorções cognitivas

Distorções cognitivas é um conceito apresentado por David Burns, professor do departamento de Psiquiatria e Ciências Comportamentais da Universidade de Stanford.

Depois de estudar com Aaron Beck, Burns teve grande papel na popularização da Terapia Cognitivo Comportamental com o lançamento do livro Feeling Good: The New Mood Therapy.

Para ele, as distorções negativas são padrões de pensamentos imprecisos, exagerados ou irracionais, que podem estar relacionadas com distúrbios psicológicos.

Essas distorções levam a emoções negativas e comportamentos prejudiciais, e estão entre os problemas tratados na TCC.

Podem ser consideradas distorções cognitivas:

Exagero: quando uma memória ou um fato são ampliados, sem corresponder à realidade

Catastrofização: uma variação mais grave da distorção anterior, em que o paciente só consegue imaginar o pior resultado possível

Minimização: é o contrário do exagero, ou seja, quando a pessoa diminui a dimensão de um evento, o que pode ser um mecanismo de defesa contra alguma angústia

Pensamento mágico: a crença ilusória de que determinadas ações terão grandes resultados, sem evidências de que isso irá acontecer

Personalização:
quando o paciente atribui a responsabilidade ou culpa em uma pessoa por eventos que ela não pode controlar

Tudo ou nada: uma maneira de pensar em que não há meio termo, apenas termos absolutos como "todos", "nunca", "sempre", etc.

Desqualificação do positivo:
uma visão excessivamente negativa, em que mesmo os fatos mais evidentemente positivos são desconsiderados pelo indivíduo.

Veja que muitas dessas distorções cognitivas são também falácias lógicas, o que pode dar a falsa impressão de que são pensamentos facilmente reversíveis.

Só que estamos falando de padrões mentais com os quais o sujeito convive há tempos, o que é difícil dissolver sem uma abordagem técnica.

Métodos que utilizam a Terapia Cognitivo Comportamental

Como a Terapia Cognitivo Comportamental é uma abordagem terapêutica da área da Psicologia, ela deve ser aplicada por psicólogos.

Ou seja, profissionais diplomados em Psicologia por alguma universidade, que aprenderam todos os princípios e pressupostos acadêmicos da TCC e de outras terapias.

A opção por trabalhar com essa abordagem depende das preferências do psicólogo e do tipo de cliente e de problemas com os quais ele se dispõe a trabalhar.

Dito isso, há métodos de desenvolvimento pessoal que utilizam princípios da Terapia Cognitivo Comportamental, como o Coaching (falaremos mais sobre isso adiante).

Isso não quer dizer que, ao participar do Coaching, você terá sessões de TCC. 

Mas sim que a metodologia do processo se inspira no conhecimento produzido pelos principais autores e pesquisadores da área.

Vale destacar que, como se trata de uma abordagem da psicologia, os atendimentos da TCC se baseiam na fala do paciente, com a particularidade que ele tem tarefas de casa as quais deve se dedicar.

Qualquer método que se diga relacionado com os princípios da TCC que não envolva uma forte escuta ao paciente/cliente, portanto, não tem relação com esse tipo de terapia.

Desconfie, então, se um terapeuta ou coach lhe der soluções prontas antes de entender todas as particularidades dos seus problemas.

Principais contribuições da TCC para a vida pessoal e profissional

Como explicamos até aqui, a Terapia Cognitivo Comportamental tem enorme contribuição na qualidade de vida do paciente.

Porque o tratamento foca em padrões cognitivos e de comportamento que atrapalham algum aspecto de sua vida.

Os relacionamentos são um bom exemplo. 

Se uma pessoa tem a tendência da vitimização, esse comportamento pode desgastar, aos poucos, a sua relação com as outras pessoas.

Outro exemplo é a incapacidade de gerir o tempo ou resistir às distrações improdutivas, o que impede o indivíduo de cumprir com seus compromissos.

Ambas questões são tratáveis com a TCC. Comportamentos que, se revertidos com sucesso, inegavelmente, resultam em grande satisfação.

Quanto a vida profissional, você mesmo já deve ter imaginado inúmeros prejuízos que determinados comportamentos trazem para a sua carreira.

Há pessoas que não conseguem ser proativas, têm medo ou se sentem inibidas a expor seus pontos de vista em reuniões, receio em assumir riscos, dificuldades para se concentrar e outras atitudes limitantes.

São inúmeros os padrões de pensamento e comportamento que impedem uma pessoa com grande potencial de evoluir e assumir responsabilidades maiores.

Eles também podem ser revertidos com a Terapia Cognitivo Comportamental. 

Claro que, para que isso seja possível, é preciso de um bom profissional conduzindo o processo.

Se você quiser experimentar esse tipo de terapia, busque referências entre as pessoas que conhece.

Procure alguém que experimentou a TCC e obteve resultados positivos.

Além da competência do profissional que conduz o processo, é necessário muito comprometimento do paciente/cliente para que ele dê certo.

Há quem diga que pelo menos metade dos resultados estão diretamente relacionados com a sua dedicação em seguir o plano de ação traçado nas sessões.

Qual a diferença entre Coaching e Terapia Cognitivo Comportamental?

Conforme explicamos antes, Coaching não é Terapia Cognitivo Comportamental, mesmo quando o coach se inspira em técnicas dessa abordagem.

A TCC acontece em sessões de atendimento psicológico, conforme a estrutura que abordamos no tópico "Métodos que utilizam a Terapia Cognitivo Comportamental".

o Coaching é um processo de desenvolvimento pessoal e profissional que pode até utilizar métodos da TCC, mas tem uma configuração diferente, apesar de também transcorrer na forma de sessões.

Em vez de terapeuta e paciente, porém, a relação é de coach e coachee: o profissional que orienta o processo e o cliente que busca orientação para alcançar seus objetivos.

Recomenda-se que pessoas que sofrem de transtornos mentais procurem a TCC ou outro tipo de terapia com profissionais da psicologia, psiquiatria ou psicanálise, e não o Coaching.

Se a intenção é ter o apoio para um projeto, meta ou objetivo particular ou profissional, tanto a TCC quanto o Coaching podem ajudar bastante.

A vantagem do Coaching, nesse caso, é que se trata de uma metodologia essencialmente voltada para isso. É, portanto, otimizada para garantir resultados em um prazo mais curto.

Embora não seja uma terapia, o processo começa com sessões destinadas ao autoconhecimento, com o cliente reconhecendo suas virtudes e pontos a serem desenvolvidos.

Em seguida, traçam-se objetivos e, depois, um plano de ação que deve ser executado e cujos resultados são monitorados nas últimas sessões.

Esse roteiro já demonstra que a Terapia Cognitivo Comportamental foi e continua sendo uma grande inspiração para coaches do mundo todo, pois o formato é parecido, embora tratem-se de abordagens distintas.

Como o Coaching e a TCC podem ajudar você a atingir objetivos?

Ainda está em dúvida entre apostar no Coaching ou na TCC? Pois fique sabendo que nada lhe impede de experimentar os dois processos.

Um depois do outro ou, se for possível, ambos ao mesmo tempo. Assim você escolhe qual lhe cativa mais ou até mesmo opta por seguir com ambos.

A terapia não anula o Coaching e vice-versa. Pelo contrário, um pode potencializar os resultados do outro.

Enquanto o Coaching tem uma abordagem mais prática, a TCC se aprofunda em nuances psicológicas do sujeito, apesar de ser um processo bem mais ágil do que a psicanálise, por exemplo.

Para muita gente, porém, a terapia não termina, ao contrário do Coaching. Ela pode seguir para a vida toda, seja com a TCC ou com outro método.

Pois o simples fato de falar tudo o que pensa para um terapeuta isento (não é nem seu amigo e nem seu familiar) é capaz de aliviar muitas angústias.

De qualquer forma, com a orientação de um bom profissional, seja ele um coach ou um psicólogo, fica muito mais fácil alcançar os objetivos que você propõe para sua vida, tanto na esfera pessoal quanto profissional.

Afinal, será somada à sua disposição para evoluir a visão de alguém de fora que estudou e foi capacitado justamente para apoiar essa jornada.

Conclusão

Motivos não faltam para qualquer pessoa experimentar a Terapia Cognitivo Comportamental.

Entre as diferentes abordagens da psicologia, essa tem um enfoque bastante prático.

O paciente pode tomar gosto e permanecer a vida toda fazendo terapia, como falamos antes. Porém, no caso específico da TCC, costuma haver início, meio e fim.

Porque o terapeuta se concentra no problema que o indivíduo trouxe e trabalha, nas próximas sessões, para resolvê-lo, estimulando a mudança de pensamentos e comportamentos.

Quando o processo é bem conduzido, os resultados costumam ser rápidos, com efeitos duradouros que, além de dissolverem transtornos psicológicos, previnem outros.

A TCC é um método com credibilidade no mundo todo, e já foi objeto de estudo de centenas, talvez milhares de pesquisas científicas que validaram sua eficácia.

Mas atenção: para ter bons resultados, quem se beneficia do processo não pode ser acomodado. 

É preciso comprometimento e engajamento com as atividades propostas - o que é uma grande semelhança do TCC com o Coaching

Na realidade, nenhuma metodologia de evolução pessoal trará resultados satisfatórios apenas porque o cliente pagou por ela.

Ele precisa entender que o terapeuta ou coach orienta, ajuda, apresenta as ferramentas e soluções para que alcance seus objetivos, mas o caminho ele próprio terá de percorrer.

Fique ligado no site da SLAC® para saber mais sobre o poder do Coaching para o desenvolvimento pessoal e profissional.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco.


E-book Psicologia

E-BOOK GRATUITO

Descubra como transformar sonhos em realidade utilizando a metodologia coaching na sua vida!