PROGRAMA ACERTAR É HUMANO

#047

No Programa Acertar é Humano do dia 12/03 os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram o tema “Resiliência”.

047 - Programa Acertar é Humano: de 12/03/2015

Programa Acertar é Humano (12/03/2015)

Nélson Sartori e Sulivan França

Tempo de áudio
26 minutos e 01 segundos
Legenda
... ➔ pausa ou interrupção do discurso
[...] ➔ palavra/trecho incompreensível
[comentário] ➔ comentários do transcritor

♪ [tema acertar é humano] ♪

Começa agora na Mundial Acertar é Humano, um programa que apresenta crônicas com humor e foco na solução, sempre falando de temas diversos como empreendedorismo, liderança, esporte, atualidades, comunicação entre outros. Tudo isso seguindo a filosofia do coaching.

Programa Acertar é Humano, uma produção da Sociedade Latino-Americana de Coaching, a elite do coaching no Brasil. Apresentação Sulivan França e Nélson Sartori.

[NÉLSON] Bom dia, ouvinte Mundial. Aqui é o professor Nélson Sartori. Hoje, um dia muito especial. Estávamos falando sobre a Semana da Mulher, algo fantástico, algo que motiva a vida de todos. Para comemorar isso tudo, trouxemos aqui uma pessoa muito especial.

[♪Aleluia♪]

[NÉLSON] Com vocês, meu amigo, parceiro, Sulivan França.

[SULIVAN] Bom dia!

[NÉLSON] Ele voltou.

[SULIVAN] Vocês estão aprontando comigo logo cedo, não é, Evaldo? Não tem problema.

Bom dia, ouvintes! Saudade de todos vocês. Quase três meses fora do problema. Aqui ao lado do meu amigo Nélson e meu amigo Evaldo. Saudade de vocês, saudade da rádio, saudade de todos os ouvintes.

Vamos lá.

[NÉLSON] Vamos aproveitar a volta do filho pródigo, essa volta do Sulivan para falar sobre um tema que é de domínio dele. Ele voltou mesmo. Tem de ser com um tema que realmente represente, dê a volta por cima, aquilo que resgata o que estava disperso.

O que fazemos quando temos de tomar uma atitude e de repente essa atitude não necessariamente vai agradar a todos, mas você tem de tomar a atitude de qualquer jeito?

Às vezes a situação não é a melhor de todas, mas você vai ter de dar a volta por cima. Hoje vamos falar sobre essa necessidade que existe de você fazer uma revisão, reavaliação, resgate dos mortos e voltar à vida.

[SULIVAN] Isso aí.

Para quem não entendeu ainda ou não conseguiu perceber, o tema de hoje é resiliência.

[NÉLSON] Um tema que, apesar de estar na moda por ser bastante explorado, que precisamos saber o que significa na nossa vida, no nosso trabalho, no nosso mundo.

[SULIVAN] O legal é que vamos abordar resiliência por diversos aspectos. Desde o foco na administração, a psicologia, até a resiliência ambiental.

[NÉLSON] Para que todos saibam definitivamente o que é isso.

[SULIVAN] Perfeitamente. Trazer uma percepção e reflexão para o nosso ouvinte especificamente sobre o que é resiliência, que diferença resiliência faz na sua vida.

Muitas vezes, a resiliência é notada ou não notada no momento de decisão. É no momento de tomada de decisão, no momento de tomada de consciência, no momento em que o sujeito tem de bater o martelo e dizer ou que sim ou que não que a resiliência é notada ou não.

Podemos entender que, quando existe um processo de tomada de decisão, com certeza ali teremos o tópico de resiliência presente ou ausente – das duas, uma.

[NÉLSON] Na verdade, é uma tomada de decisão absoluta. Por mais sofrida que possa ser, existe aquele momento em que você tem de pisar no freio e pensar que a atitude a ser tomada nesse momento é justamente a de manter a situação do jeito que está, custe o que custar, ou reverter esse quadro de maneira absoluta.

E nem sempre essas decisões agradam em um primeiro momento a todos, mas que precisam ser tomadas.

[SULIVAN] Muita gente também faz uma confusão danada entre resiliência e flexibilidade, e são coisas distintas. É importante deixarmos claro para o nosso ouvinte, para que ele entenda que são coisas completamente distintas.

Quando estamos falando de resiliência, estamos falando de capacidade de recuperação ou capacidade de adaptação, não necessariamente o conceito de flexibilidade, em que o sujeito muitas vezes acaba flexibilizando alguma coisa, sendo um bom entendedor de um determinado assunto ou algo do tipo. Não, estamos falando de resiliência. Especificamente falando desse tópico, é a tua capacidade de recuperação, tua capacidade de posicionamento, tua capacidade de efetivamente tomar decisão.

[♪Aleluia♪]

RESILIÊNCIA

[♪Aleluia♪]

[SULIVAN] Temos diversas formas de olharmos para resiliência como o Nélson aborda no dia de hoje.

Nélson, como definimos resiliência?

[NÉLSON] Resiliência significa volta ao estado natural.

O que significa esse contexto de retorno ao estado natural?

Principalmente depois que você passa por alguma situação crítica, por algum conflito e às vezes você precisa reverter determinada situação e colocar tudo novamente nos eixos, ou seja, você precisa reconstruir alguma coisa.

Quando falamos: "É preciso dar a volta por cima", significa que às vezes você cai no chão, você está com problemas, o problema está instalado, mas você não pode viver pura e simplesmente ali, você precisa reverter esse quadro.

Como o Sulivan disse, não é simplesmente uma mudança ou simplesmente uma flexibilização, é uma tomada de atitude. Ela é uma estrutura que faz com que você caminhe sabendo os passos que você vai dar.

É por isso que quando se fala em tomada de atitude todas as áreas acabam tendo uma disposição para que você possa trabalhar essa estrutura de recuperação, ou seja, recuperar-se. Estamos vivendo um momento em que isso aí é bastante solicita até mesmo pela população: um resgate de valores sociais, financeiros, morais e políticos.

Isso é quase uma necessidade da existência do cidadão em determinados momentos, quando ele precisa realmente tomar atitudes que talvez não fossem as mais cômodas, as mais tranquilas, mas precisam ser tomadas.

[SULIVAN] Quando estamos falando de resiliência, muita gente talvez pense: "A resiliência é algo muito falado no meio corporativo.". De fato, resiliência é muita falada no meio corporativo, onde essa palavra "resiliência" ganhou muita força.

Mas quando olhamos para o aspecto resiliência, dar a volta por cima ou voltar ao seu estado atual, estamos falando de um comportamento, se formos olhar do ponto de vista pessoal, e falando de uma competência, se falarmos do ponto de vista profissional.

Então resiliência, sendo um comportamento ou sendo uma competência é a capacidade do indivíduo de lidar com frustrações também.

Quantas frustrações passamos ao longo de nossas vidas, seja do ponto de vista pessoal ou profissional?

Frustração nada mais é do que você gerar uma expectativa sobre algo, não ter essa expectativa atendida e gerar certa decepção sobre determinada situação.

Quando você tem uma decepção sobre determinada situação, qual a sua capacidade de recuperação? Você é daqueles que, quando não tem sua expectativa atendida, passa 15 dias reclamando porque não teve a expectativa atendida ou você simplesmente olha e diz: "Vamos lá. Bola para a frente. Aconteceu a melhor coisa que podia ter acontecido. Foco na solução. Deixa eu fazer a coisa de forma diferente porque eu não vou mudar"?

Isso é resiliência, ouvinte. É isso que estamos falando. Essa capacidade do indivíduo de se cooperar diante de determinadas frustrações, diante de determinadas expectativas que foram construídas sobre determinada pessoa, sobre determinado assunto, sobre determinado aspecto da sua vida que, por algum motivo, não foram atendidas.

Quando falamos de expectativa que não foi atendida, muitas vezes não estamos falando de expectativas que não foram atendidos porque você necessariamente negligenciou, muitas vezes colocamos expectativas no outro, muitas vezes temos as nossas expectativas atendidas ou não pelo desempenho de alguém especificamente. Quando colocamos isso centrado em alguém, temos de ter a consciência, no mínimo, de que estar centrado em alguém não depende de nós e, se não depende de nós, existe sim a possibilidade de essa situação não acontecer ou não atende às nossas expectativas. Daí a necessidade de você ter a capacidade de ter resiliência ou ser resiliente ou com alguém ou com algo especificamente.

[NÉLSON] Quantas vezes perdemos, quando surge uma situação conflitante, mais uma oportunidade. Quando algo não sai justamente da maneira como queríamos, isso não significa que fracassamos ou que aquilo deu errado, significa que uma nova se abriu.

É importante que você tenha como princípio de visão disso tudo que você vai ter de tomar uma atitude apesar de as coisas não terem dado certo segundo seu ponto de vista naquele momento porque você não pode desistir.

Se não existe mais solução para a estrutura como estava feita, já temos uma solução. Agora temos de buscar uma adaptação, melhoria, progresso dentro dessa concepção que foi gerada e trabalhar isso como uma oportunidade. Na nossa principalmente, temos sempre de entender as frustrações, ou seja, um resultado não conquistado de maneira efetiva, como uma oportunidade nova que surge porque senão vai surgindo aquele sentimento de derrota.

Quantas coisas não dão certo em nossa vida que foram planejadas como queríamos por uma série de fatores que estão muitas vezes além do nosso alcance porque não dependia somente de nós?

[SULIVAN] Uma coisa interessante que você tocou aí foi a seguinte, Nélson, quando falamos de expectativa não atendida, seja sobre alguém ou sobre determinada situação.

Quando estamos falando de uma situação como essa, é importante que saibamos o seguinte. Temos duas situações. A expectativa não foi atendida, você pode escolher, mas independentemente do que você pensa escolher, você só tem duas alternativas: ou você reclama e continua reclamando sobre aquilo que não aconteceu – que não vai mudar nada, a reclamação não vai fazer a diferença – ou você simplesmente ergue a cabeça e age ou reage a essa determinada situação.

[NÉLSON] Aconteça o que acontecer.

[SULIVAN] Muita gente confunde resiliência com flexibilidade, a ponto de eu já ter visto pessoas usarem a seguinte expressão: "Ser resiliente demais é ser bobo. Ser resiliente demais é ser tonto, é dar o braço a torcer.". E não tem nada a ver. É um conceito completamente errado de resiliência.

Resiliência consiste especificamente na sua capacidade de recuperação. Ponto. É a sua capacidade de reagir, não é sua capacidade de ser frouxo, de ser tonto, como já ouvi algumas pessoas dizerem, é a sua capacidade de reação.

Você tocou em uma coisa interessante quando falou: "Algo não tem solução.". Quando algo não tem solução, solucionado está.

Essa é uma frase antiga, que eu particularmente adoro muito: quando não tem solução, solucionado está.

[NÉLSON] Vamos fazer um exercício de pensamento na nossa vida. Muitas vezes a pessoa fica na expectativa de um problema que surgirá ou então girando em torno do problema que surgiu, mas sem pensa: "Bom, a realidade nova surgiu. Está instalada. O que eu preciso fazer? Conviver com ela de maneira que eu fique satisfeito porque eu não tenho como ficar reclamando da minha vida".

Quanto isso não acontece nos relacionamentos? Relacionamento hoje é uma das formas mais claras às vezes de todos ao mesmo tempo sentirem isso. Você de repente se enfia em um relacionamento e ele não atende às suas expectativas. O que você faz? Pode ficar na cama chorando ou pode dar o próximo passo na vida, que é se recuperar, voltar ao seu estado anterior e reconquistar aquilo que você procurava, que um dia tentou, que não deu certo e que agora é hora de reconstruir a vida.

Tudo funciona assim. No trabalho não é diferente. Você está muitas vezes descontente com a sua profissão, ela não atende mais as expectativas que um dia você teve a respeito dela. O que você tem de fazer? Dar a volta por cima.

[SULIVAN] Quando as empresas estão procurando colaboradores resilientes, líderes resilientes, funcionários resilientes, todos esses aspectos trazidos da resiliência para o meio corporativo é especificamente focando na capacidade do indivíduo de lidar com mudanças. É isso que as empresas estão buscando quando estão falando de um colaborador resiliente. Aquele que tem a capacidade de receber um processo de mudança, o anúncio de uma mudança e tem a capacidade de dizer: "Ok. Vamos focar na solução. Vamos focar no que tem de ser feito. Não adianta reclamar o que nós fazemos.".

Eu sempre digo o seguinte. Uma das melhores maneiras de o sujeito perceber e quem sabe conseguir desenvolver essa capacidade, vamos chamar assim, de ser resiliente, um tópico importante seria o seguinte.

A cada situação em que você não tenha a sua expectativa atendida, que você sinta que aquilo que você esperava que ia acontecer e não aconteceu – isso é uma coisa que fazemos muito no processo de coaching –, você precisa refletir o seguinte: dessa situação específica, da qual não tive a expectativa atendida, o que dependia de mim e eu fiz? Foi feito? O que estava ao meu alcance foi feito?

Se estava o que estava ao teu alcance foi feito, não tem do que reclamar. A tua parte foi feita. Tenha consciência de que a tua parte foi feita e foi bem-feita. Se o que você esperava não necessariamente aconteceu, certamente é porque você teve um impacto externo, muitas vezes alheio à sua vontade e fora do seu controle e que às vezes, além de ser alheio à sua vontade, estava sob controle de outra pessoa.

Isso acontecendo faz com que você tenha pelo menos uma certa consciência e clareza da situação, o que facilita a sua capacidade de recuperação. Se não dependia de você, não tinha o que ser feito.

[NÉLSON] Vivemos relacionamentos profissionais, relacionamentos sociais constantemente, ou seja, não estamos sozinhos. Então é lógico que as coisas estão dispostas muitas vezes a ter dois focos diferentes, porque são duas pessoas às vezes lidando com o mesmo problema, que não conseguiram se ajustar e vão ter de se ajustar.

Um trabalho em equipe por exemplo. É preciso que todos cedam um pouco para que a coisa acabe acontecendo. Nesse momento, você vai ter de realmente resgatar valores que você não tem mais, vai ter de aceitar novas situações. Tudo isso significa uma forma de revisão no seu projeto, uma revisão no seu trabalho.

Nunca é tarde para você parar e fazer uma revisão, avaliação. É um dos aspectos positivos dentro de qualquer processo de produção, processo de trabalho e processo de relacionamento. É você avaliar, fazer o levantamento daquilo que você teve de positivo, do que você ganhou com isso, do que você perdeu com isso, avaliar essas relações e tomar novas atitudes.

Surgiu uma nova oportunidade, qual vai ser sua tomada de atitude diante disso?

[SULIVAN] Como anunciamos no início do programa que falaríamos sobre resiliência com foco ambiental, fala um pouquinho para nós sobre isto, depois falamos sobre ela com foco na psicologia e com foco na administração também.

[NÉLSON] Hoje em dia, dentro do foco ecológico, temos muitas vezes a questão da capacidade de um ecossistema se recuperar. Muitas vezes isso tem de ter a interferência do homem. Quando falamos de resiliência ambiental, falando dentro dessa concepção de restauração e de resgate de alguma coisa, é importante que trabalhemos nessa concepção. Vou fazer um processo em que eu vou ter em determinado momento uma interferência no meio ambiente.

O que deve ser avaliado?

Se esse meio ambiente tem a capacidade de se recuperar apesar de mim, se eu vou ter de interferir dentro dessa capacidade de recuperação ou se a minha atitude vai ser devastadora. Isso com o homem agindo no meio ambiente.

A natureza em si já tem essa capacidade natural. Ela passa por todo tipo de conflitos dentro da sua própria estrutura de natureza e, de um jeito ou de outro, por ciclos, até mesmo históricos do nosso planeta, vamos vendo os ambientes se recompondo, se readaptando e se recuperando na medida do que é necessário em função de tudo que está acontecendo.

Quando falamos de resiliência ambiental, estamos falando da capacidade do meio ambiente de se recuperar ou então de se adaptar a essa estrutura de uma maneira eficiente.

Hoje em dia é muito difícil falar em resiliência ambiental deixando de lado a responsabilidade humana.

[SULIVAN] Perfeito.

Vamos falar um pouquinho da resiliência na psicologia.

É a capacidade do indivíduo de lidar com seus próprios problemas, com suas próprias dificuldades. Muitas vezes esses problemas, dificuldades, obstáculos ou pressão do dia a dia que geram estados emocionais negativos.

Quando estamos falando da capacidade do indivíduo de recuperação, esse sim é o conceito da resiliência focado na psicologia: como o indivíduo lida com pressão, com problemas, com obstáculos e a capacidade que tem de se recuperar diante dos mesmos?

[NÉLSON] Isso todos os dias e momentos da nossa vida. A sobrevivência está ligada a esse tipo de capacidade.

[SULIVAN] Quando o sujeito tem resiliência ou demonstra resiliência, estamos simplesmente dizendo que ele tem capacidade de funcionar sob pressão, que ele sabe lidar com a pressão.

Se você é daqueles que costuma dizer: "Eu não funciono sob pressão", seria bom refletir sobre essa frase porque você pode estar demonstrando claramente não ser uma pessoa resiliente ou ter essa capacidade de recuperação em situações adversas.

E a resiliência na administração, Nélson?

[NÉLSON] Já nós lidamos agora com um conceito que está principalmente ligado à questão das gestões de mudança. Sulivan falou isso muito bem.

Dentro de um processo administrativo, temos a necessidade de caminhar. Vou lembrar mais uma vez a frase que marcou muito aqui, que um amigo disse, que muitas vezes aquilo que trouxe você até aqui não leva você adiante.

[SULIVAN] O que te trouxe até aqui não te leva até o amanhã.

[NÉLSON] O que significa isso? Que você precisa mudar, você precisa tomar atitudes, mudar o seu estado de espírito, seu estado emocional.

[SULIVAN] Como eu faço isso se eu não tenho resiliência?

[NÉLSON] Nessa hora, você vai até a Sociedade Latino-Americana de Coaching e procura o Sulivan França, que é o especialista nessa área.

[risos]

[NÉLSON] Muitas vezes, minha gente, a estrutura é uma ferramenta que vai fazer com que você possa reverter um quadro que aparentemente era estabilizado, que era estagnado e que você tem sim condições de reverter e dar novos passos, caminhar em direção à possibilidade de reverter um quadro que estava estagnado, sem perspectiva de crescimento e fazer aquilo se transformar em algo positivo.

Lidar com o equilíbrio emocional das pessoas com quem você trabalha, porque você tem de lidar com isso, apesar de não ser especialista, porque, enquanto você tem um objetivo, tem um processo, que não é muitas vezes rápido, você precisa lidar com adaptação das pessoas, daqueles estão trabalhando ao seu lado, a sua equipe.

Muitas vezes esse tipo de relação de liderança, esse trabalho de equipe pode compreender todo esse trabalho de mudança se não for bem administrado. Nessa hora, você precisa ter uma boa relação de trabalho, de administração e muitas vezes você precisa sim recorrer ao trabalho externo, precisa recorrer a um profissional de coaching, que vai ajustar as ferramentas para que você possa conquistar esse tipo de desenvolvimento. Você vai aprender a tomar medidas que vão transformar essa estrutura em algo positivo.

[SULIVAN] Refletindo aqui, para fecharmos o tema resiliência. Quando olhamos para resiliência e pensamos sobre essa palavra e sobre tudo que abordamos no programa, acho que fica uma grande reflexão. Quando estamos falando de algum organismo vivo, seja uma empresa, seja um indivíduo, seja um meio ambiente, existe ali sim a capacidade de ser resiliente, existe a capacidade do desenvolvimento da resiliência especificamente.

Se será ou não, isso é outra coisa a ser trabalhada, mas que existe em qualquer organismo vivo a capacidade de ser resiliente, de se recuperar de determinadas situações adversas, isso existe.

Esse foi o nosso tema de hoje. Não foi isso, Nélson?

[NÉLSON] Exatamente. Foi um grande prazer receber de volta aqui o nosso amigo, nosso companheiro Sulivan França.

O Evaldo está lá em lágrimas de emoção, vibrando.

[SULIVAN] O Evaldo está soluçando.

[risos]

[NÉLSON] Mas é muito importante receber realmente aqui um profissional como o Sulivan França, que sempre tem uma contribuição gigantesca para todo tipo de tema relacionado ao nosso mundo social, ao mundo empresarial e corporativo.

Grande abraço.

[SULIVAN] Estava com saudade já de todos vocês, saudade dos ouvintes também. Dois meses e meio longe, eu já estava sentindo saudade do rádio, sentindo saudade desse ambiente gostoso aqui e desse bate-papo tão enriquecedor que fazemos todas as manhãs das quintas-feiras.

Grande abraço a todos! Esse foi o programa Acertar é Humano de hoje.

[NÉLSON] Grande abraço a todos.

[SULIVAN] Até a próxima quinta-feira.

[NÉLSON] Até a próxima semana.

♪ [tema acertar é humano] ♪

Você ouviu pela Mundial o Programa Acertar é Humano. Apresentação Sulivan França e Nélson Sartori. Uma produção da Sociedade Latino-Americana de Coaching, a elite do coaching no Brasil.

Outros Podcasts

037 - Programa Acertar é Humano: de 04/12/2014

#037

No Programa do dia 04/12 o professor Nélson Sartori abordou o tema “Qual o segredo das pessoas ricas e bem-sucedidas?” Durante o Programa o professor falou sobre o resultado de uma pesquisa realizada com pessoas que alcançaram esse estatus. O que eles fizeram para chegar lá? Para finalizar o professor Nélson deixou uma pergunta para reflexão do ouvinte e na “Dica do Professor” ele falou sobre o uso do S e do Z.

036 - Programa Acertar é Humano: de 20/11/2014

#036

Os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram no programa, do dia 20/11, o tema “Motivação”. O que é motivação? O que faz com que você levante pela manhã em busca de uma ação? Sua meta está alinhada aos seus valores? O que lhe motiva? Na “Dica do Professor, Nélson Sartori explicou o significado da expressão “Sangria Desatada”. No “Minuto do Coaching” o Master Coach Sulivan França deixou uma pergunta para reflexão do ouvinte.

035 - Programa Acertar é Humano: de 13/11/2014

#035

No programa do dia 13/11 o professor e apresentador Nélson Sartori falou sobre “Hábitos”. Como algumas manias podem agregar ou trazer dificuldades à rotina? Qual o efeito em nossas vidas ao obter hábitos positivos? Para fechar o programa Nélson deixou a pergunta no “Minuto do Coaching” e, em seguida, na “Dica do Professor”, explicou a diferença e o uso correto de “mais e mas”.

034 - Programa Acertar é Humano: de 06/11/2014

#034

O apresentador Nélson Sartori falou sobre o tema “Diversidade Cultural”. Durante o programa do dia 06/10, ele citou a importância da pluralidade cultural do Brasil. Para finalizar o programa, o professor Nélson lançou a pergunta do “Minuto do Coaching” e na “Dica do Professor” explicou a expressão “A rua da amargura”.

033 - Programa Acertar é Humano: de 30/10/2014

#033

O tema discutido no Programa do dia 30/10 foi “Desempenho no trabalho”. Os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori deram 5 dicas para aumentar o desempenho no trabalho. No final do programa, na “Dica do Professor”, Nélson Sartori explicou a expressão “Cair nos braços do Morfeu” e Sulivan França deixou a uma pergunta para o ouvinte no “Momento do Coaching”.

032 - Programa Acertar é Humano: de 23/10/2014

#032

No dia 23/10 os apresentadores do Programa Acertar é Humano discutiram a questão da “Intolerância” e as muitas divergências causadas quando não há o respeito das opiniões alheias, seja na política, na sociedade, etc. Na “Dica do Professor”, Nélson Sartori respondeu uma questão de um ouvinte: “O que significa bode expiatório?”. E para finalizar, o Master Coach Sulivan França lançou uma pergunta aos ouvintes no “Minuto do Coaching”

031 - Programa Acertar é Humano: de 09/10/2014

#031

No Programa do dia 09/10 o apresentador Nélson Sartori abordou o tema “Conflito” juntamente com a convidada e Master Coach Tália Jaoui. Durante o programa eles discutiram sobre o conceito de diálogo, debate e discussão. No “Minuto do Coaching” Tália lançou uma pergunta reflexiva aos ouvintes: “O que você ganha e o que você perde quando entra em um combate, embate? E pra finalizar, o professor Nélson explicou o conceito do termo “Feito na coxas”, na “Dica do Professor”.

030 - Programa Acertar é Humano: de 02/10/2014

#030

No Programa do dia 02/10, o apresentador Nélson Sartori bateu um papo com a Master coach Tália Jaoui que também é apresentadora do programa Conexão Comportamento pela TV UOL. Tália falou sobre sua experiência como formadora de novos coaches e como apresentadora. Na “Dica do Professor” Nélson Sartori explicou de onde surgiu o termo “rodar a baiana”.

029 - Programa Acertar é Humano: de 25/09/2014

#029

Em 25/09 os apresentadores do Programa Acertar é Humano falaram sobre “Oportunidades”. O que está se abrindo para você que você pode se beneficiar? E quais são os riscos e ameaças que estão presentes na sua vida? O professor Nélson Sartori explicou a expressão “Dar uma canja” na “Dica do Professor” e, para finalizar, o Master coach Sulivan França deixou uma reflexão para os ouvintes no “Minuto do Coaching”.

028 - Programa Acertar é Humano: de 18/09/2014

#028

No Programa Acertar é Humano de 18/09 os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram o tema “O que nos movimenta?” Quais são nossos pontos que têm o papel de uma alavanca em nossas vidas? E quais são os pontos que precisa de melhoria? Na “Dica do Professor” Nélson Sartori explicou sobre o significado da expressão “araque”.

027 - Programa Acertar é Humano: de 11/09/2014

#027

Em 11/09 os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram o tema “Inovação”. Para incrementar a discussão os locutores receberam no estúdio o empresário Raphael Ribas, que deu dicas para quem quer inovar. Para finalizar o Programa o Master Coach Sulivan França, lançou a pergunta do “Minuto do Coaching” e na “Dica do Professor”, Nélson Sartori explicou a expressão “da pá virada”.

026 - Programa Acertar é Humano: de 04/09/2014

#026

No Programa Acertar é Humano do dia 04/09 os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori falaram sobre “Modelo Mental”. O que motiva as pessoas a saírem do estado de estagnação e mudar o rumo de suas vidas? O Programa também contou com a participação especial de Carla Binsfeld. Na parte final Sulivan França lançou a pergunta do “Minuto do Coaching” e na “Dica do Professor”, Nélson Sartori explicou o significado da expressão “preto no branco”.

025 - Programa Acertar é Humano: de 28/08/2014

#025

No último Programa do mês de agosto (28/08) o apresentador Nélson Sartori abordou o tema “Coaching, educação e sustentabilidade”. Qual a importância do trabalho do coaching para a educação do nosso país? O professor no papel de coach sendo questionador e estimulador do aluno.

024 - Programa Acertar é Humano: de 14/08/2014

#024

Em 14/08, no Programa Acertar é Humano, os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram o tema: “Inteligência Emocional e os fatores que podem contribuir positiva ou negativamente para a nossa vida”. Durante o programa foram discutidos seis tópicos para explicar o que é ter Inteligência Emocional. Na “Dica do Professor”, Nélson Sartori falou sobre o uso dos “parênteses”. E, finalizando, Sulivan França comentou sobre o “Minuto do Coaching”.

023 - Programa Acertar é Humano: de 07/08/2014

#023

No Programa Acertar é Humano do dia 07/08 o professor Nélson Sartori abordou o tema Inteligência Emocional. Tudo acontece perante uma atitude mental positiva. Todo o sucesso da vida inicia-se com o pensamento. Saber lidar com as emoções e sentimentos de uma forma racional é ter Inteligência Emocional. No final do programa, na “Dica do Professor” Nélson falou sobre o uso do verbo “morrer”, e lançou a pergunta no “Minuto do Coaching”.

022 - Programa Acertar é Humano: de 31/07/2014

#022

O Programa Acertar é Humano do dia 31/07 os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori fizeram um programa especial sobre o tema Coaching. Qual é o foco do processo de coaching? Autoperformace, estratégia, planejamento foram alguns dos assuntos abordados dentro desse tema. Na “Dica do Professor” Nélson Sartori falou sobre o uso da vírgula. Para finalizar Sulivan França deixou uma questão para o ouvinte no “Minuto do Coaching”.

021 - Programa Acertar é Humano: de 24/07/2014

#021

No Programa do dia 24/07 os apresentadores abordaram o tema “Os 7 Pontos de alavancagem”. Foram debatidas dicas para impulsionar o negócio do novo empresário. Através de perguntas e análises os apresentadores levaram aos ouvintes dicas preciosas para alavancar o novo empreendedor em seu mercado. Na “Dica do Professor”, Nélson Sartori falou sobre o superlativo, já no “Minuto do Coaching” o master coaching Sulivan França lançou uma pergunta provocativa para a reflexão dos ouvintes.

020 - Programa Acertar é Humano: de 17/07/2014

#020

“A segunda carreira”. Esse foi o tema do Programa Acertar é Humano do dia 17/07. Como encontrar uma segunda carreira. Existe uma idade certa para ter o desprendimento para migrar para uma segunda carreira? O que essa outra opção de carreira oferece como perda e como ganho? Essas são algumas das questões levantadas pelos apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori. Na parte final do Programa o professor Nélson respondeu a dúvida de uma ouvinte que questionou o significado da expressão “engolir sapo”. Já o master coach Sulivan lançou a pergunta no Minuto do coaching.

019 - Programa Acertar é Humano: de 26/06/2014

#019

No dia 26/06 o tema abordado no Programa Acertar é Humano foi "Carreira". Os apresentadores responderam perguntas dos ouvintes sobre a formação de um coach - investimento, retorno e mercado em geral. Como o coaching pode influenciar qualquer carreira. Na “Dica do Professor”, Nélson Sartori explicou a expressão popular "eira nem beira". E para finalizar o programa, o master coach Sulivan França deixou uma reflexão sobre carreira no "Minuto do Coaching".

018 - Programa Acertar é Humano: de 19/06/2014

#018

No Programa Acertar é Humano do ferido de 19/06 os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram o tema "O aprender e o ensinar" Em qualquer contexto todos que ensinam também aprendem. Como essa experiência acontece com as seleções participantes da Copa do Mundo no Brasil? Na "Dica do Professor", Nélson Sartori abordou o uso correto das palavras "mau e mal". E para fechar o programa, no "Minuto do Coaching", o master coaching, Sulivan França deixou uma pergunta sobre aprendizagem.

Programa Foco e Gestão com Sulivan França

De segunda a sexta
9:00 - 18:00

+55 (11) 3670-1770

info@slacoaching.org

Av. Francisco Matarazzo
1400 - SP

Sociedade Latino Americana de Coaching

+55 (11) 3670-1770
info@slacoaching.org

São Paulo - Brasil
Centro de Treinamento
Av. Francisco Matarazzo, 1.350
Água Branca - Cep: 05001-100
São Paulo - Brasil
Sede Administrativa
Av. Francisco Matarazzo, 1.400
Água Branca - Cep: 05001-100
CNPJ: 15.229.739/0001-47
Santiago - Chile
Oficina
Suecia 42, Oficina 02
Teléfono: +56 2 2632 5042
Lima - Peru
Oficina
Plaza Ricardo Palma 107 - San Borja
Teléfono: +51 980 037 494
Cartagena - Colômbia
Oficina
Cr 3 6A Esq. Ed. Jasban 407 - B/Grande
Teléfono: +57 5 655 03 01

Conteúdo Registrado ®
Todos os Direitos Reservados
Cópia Proibida.