icone podcasts

PROGRAMA ACERTAR É HUMANO

#028

No Programa Acertar é Humano de 18/09 os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram o tema “O que nos movimenta?” Quais são nossos pontos que têm o papel de uma alavanca em nossas vidas? E quais são os pontos que precisa de melhoria? Na “Dica do Professor” Nélson Sartori explicou sobre o significado da expressão “araque”.

028 - Programa Acertar é Humano: de 18/09/2014

Programa Acertar é Humano (18/09/2014)

Nélson Sartori e Sulivan França

Tempo de áudio
25 minutos e 31 segundos
Legenda
... ➔ pausa ou interrupção do discurso
[...] ➔ palavra/trecho incompreensível
[comentário] ➔ comentários do transcritor

♪ [tema acertar é humano] ♪

Começa agora na Mundial Acertar é Humano, um programa que apresenta crônicas com humor e foco na solução, sempre falando de temas diversos como empreendedorismo, liderança, esporte, atualidades, comunicação entre outros. Tudo isso seguindo a filosofia do coaching.

Programa Acertar é Humano, uma produção da Sociedade Latino-Americana de Coaching, a elite do coaching no Brasil. Apresentação Sulivan França e Nélson Sartori.

[SULIVAN] Bom dia, ouvinte Mundial. Aqui é o Sulivan França mais uma vez para apresentar o programa Acertar é Humano. Aqui ao meu lado, o nosso amigo.

[NÉLSON] Professor Nélson Sartori. Bom dia, ouvintes. Bom dia, Sulivan França. Vamos lá ao nosso programa. Mais uma vez aqui vamos falar um pouquinho sobre a vida, sobre as coisas que movimentam o nosso trabalho, que movimentam a nossa vida, que nos fazem acordar, botar o pezinho no chão e continuar caminhando.

O QUE NOS MOVIMENTA

[SULIVAN] Vamos falar sobre os nossos pontos fortes.

Quais são os nossos pontos fortes? Quais são os pontos que de alguma maneira servem como alavanca para que consigamos, tanto na vida pessoal quanto profissional, nos desenvolver e até apoiar o desenvolvimento de outras pessoas?

[NÉLSON] Muitas vezes as pessoas são derrotadas, são pessimistas, falando só as coisas que "não dão certo comigo", "tudo está errado", mas não pensam: "O que eu tenho de bom? Quais as minhas forças, meus pontos fortes, os pontos que merecem destaque que devo aproveitar na minha vida".

[SULIVAN] Outro ponto que vamos falar é sobre quais são nossos pontos de melhorias.

[NÉLSON] Porque nós temos muita coisa para melhorar.

[SULIVAN] Equívoco daquele que acha não ter.

[NÉLSON] Começou o primeiro ponto a ser melhorado.

[risos]

[SULIVAN] Exatamente. "Não tenho ponto de melhoria". Esse é um.

[NÉLSON] Já achou.

Muitas vezes nós temos um potencial muito grande. Ouvimos as pessoas falando a nosso respeito, as pessoas confiam em nós, investem a sua confiança e sua credibilidade em nós e não aproveitamos disso, não tomamos consciência daquilo que temos de positivo, habilidades que temos.

[SULIVAN] Um quadro que o ouvinte já deve estar acostumado com o nosso programa é o Minuto do Coaching, aquela hora em que fazemos algumas provocações para que o indivíduo pense sobre alguns pontos de melhoria, algum ponto de desenvolvimento ao longo da semana.

É bom que fique claro que, no programa de hoje, quando estivermos abordando os nossos pontos fortes e os de melhoria, o Minuto do Coaching já vai acontecer simultaneamente. Paralelamente a esse processo, já iremos provocar cada um de nossos ouvintes para que possam pensar sobre seus pontos fortes.

O primeiro desafio. Uma coisa que digo ser muito importante para que possamos identificar nossos pontos fortes é pensarmos o seguinte.

O que consideramos os nossos pontos fortes?

Quais são seus pontos fortes?

Se você pudesse falar de você, ouvinte, qual seria o teu diferencial?

É importante pensar isso, não só do ponto de vista pessoal mas do ponto de vista também.

Qual é o teu diferencial nas duas áreas: pessoalmente e profissionalmente? O que você tem que o diferencia do mercado? O que você tem que o diferencia de outras pessoas? O que você tem que o diferencia das pessoas que estão querendo a mesma coisa que você está querendo? O que te diferencia das pessoas que o cercam?

Qual é o teu diferencial? Pensa nesse ponto forte um pouquinho.

Alguns exemplos de pontos fortes. O que podemos utilizar?

[NÉLSON] Muitas vezes temos uma habilidade ou uma visão sobre um fator que é positiva.

Por exemplo, eu gosto muito de música, tenho conhecimento a respeito disso, mas nunca parei para pensar em que isso pode ser positivo dentro da minha vida e da minha profissão.

Muitas vezes você tem ali um ponto forte que nunca avalio ser um ponto forte dentro daquele contexto. Você nunca foi colocado a prova para fazer isso, você espera que a coisa surja, é como se fosse instintivo, você esperando que seus valores aflorem do nada e nunca parou para procurar alguma coisa.

Se eu gosto de música, o que ela pode trazer para mim? Ela pode atrapalhar em algumas situações, mas em outros ambientes, quando eu estou trabalhando, ela pode ser positiva.

Um exemplo. Você tem um ambiente de espera na sua sala, no seu trabalho, na sua profissão que pode causar constrangimento a uma pessoa e que pode causar conforto, uma forma de favorecer antes de seu contato. Em uma pré-sala de reunião, você pode ter, pensando nisso, uma música ambiente, "porque conheço muito bem, sei qual o tipo de música que pode agradar alguém, então isso vai favorecer, criando um clima positivo". É um exemplo muito básico, mas você está buscando alguma coisa positiva, da qual eu conheço, porque eu gosto de música, conheço música e sei o que a música é capaz de fazer às pessoas. Então eu você abrandar situações, climas que são geralmente desagradáveis ao pôr uma música.

O que eu estou fazendo ao colocar música? Estou transformando um ambiente a partir de algo que conheço.

O que aquilo pode oferecer para mim de ponto positivo?

[SULIVAN] O que o ouvinte deve levar em consideração é que sempre que falarmos desses pontos fortes é falarmos de questões internas. Não adianta dizer: "Um ponto forte que tenho é o dinheiro. Eu tenho espaço. Tenho um bom carro.". Isso não é ponto forte, não é diferencial: são diferenciais internos, coisas que são suas.

É como você colocou: um conhecimento, uma habilidade, um dom, dê o nome que você quiser, não importa, mas é aquilo que você faz bem, reconhece que faz bem e entende que isso é o seu diferencial.

Outro ponto importante de observarmos sobre os pontos fortes é: quais são pontos fortes que os outros normalmente dizem que eu tenho?

[NÉLSON] Muitas vezes nós não nos olhamos no espelho. Há pessoas que têm uma autoestima muito baixa, têm valores muito grandes, só que não veem esse valor nelas mesmas.

Pergunta para o outro.

Muitas vezes você tem de perguntar: "O que eu tenho?".

Mas cuidado para quem você vai perguntar. Não é o tipo de coisa que você pergunta para a esposa depois da briga ou então para a sogra quando está indo embora, que a briga já aconteceu.

[risos]

[NÉLSON] É lógico que existem coisas positivas em você que muitas vezes os outros veem, assim como você vê nos outros. Esse tipo de contato é importante.

[SULIVAN] Quais sãos os pontos fortes que as pessoas acabam lhe atribuindo, que acabam dizendo de alguma maneira que você tem, compartilhando isso com você.

[NÉLSON] Aprender a ouvir.

[SULIVAN] Perfeitamente.

Muitas vezes a nossa percepção do que são os nossos pontos fortes e a percepção dos outros que convivem conosco sobre quais são nossos pontos fortes muitas vezes é totalmente diferente. Acabamos aprendemos com olhar do outro sobre nossos pontos fortes.

Fala-se muitas vezes sobre ponto cego. As pessoas comentam: "Acabei descobrindo que eu tinha um ponto de melhoria e que eu não tinha essa percepção.". Da mesma forma que existem os nossos pontos cegos, que são os nossos pontos a serem desenvolvidos, existem também aqueles pontos cegos que são habilidades, que são competências que não nos damos conta ter e acabamos só os percebendo quando recebe o feedback de outras pessoas.

[NÉLSON] Muitas vezes as pessoas atribuem funções para nós e não entendemos. "Por que ele me atribui sempre isso?". Porque você sou eu que tenho de apresentar essa proposta, porque sou eu que tenho de simplesmente ir lá e abrir esse tipo de negociação.

Pode muitas vezes ser um fator muito simples. Você é uma pessoa que tem um elevado grau de simpatia. Você fala: "É a minha empatia com os outros.". Em uma relação de negócios, muitas vezes é importante a forma como você se apresenta; você é uma pessoa de bom gosto para se vestir – como é o caso do meu amigo Sulivan França. Ele é uma pessoa que tem uma boa apresentação, alguém que sempre valoriza bastante a questão estética.

Você pode falar: "Mas isso é vaidade.". A vaidade é um fator que, dentro de um trabalho profissional em que você vai se apresentar para um público, é importante porque vai ser valorizado. E às vezes isso nunca foi percebido pela pessoa. (Não é o caso, não é, Sulivan? O Sulivan sabe muito bem disso).

[SULIVAN] [risos]

[NÉLSON] Mas as pessoas simplesmente falam: "Ele é uma pessoa que vai lá na frente, se apresenta bem, tem um tom de voz bom"... Ou, no caso, "o professor Nélson tem aquela voz mais rouca, mais sensual"...

[SULIVAN] ...Estava demorando. [risos]

[NÉLSON] "...que tem uma perspectiva mais sedutora.". Então essa é a habilidade que ele vai utilizar.

[SULIVAN] É o ponto forte.

[NÉLSON] Veja, não é um ponto forte na hora em que está todo mundo em uma festa, você está alcoolizado e a esposa está ali do lado conversando. Isso não é ponto forte, já vira fraqueza.

São pequenas coisas, mas pensemos dentro de um trabalho de equipe: você tem potenciais muito grandes e que muitas vezes não são valorizados. Há um que tem um grande potencial de organização e de estrutura. Ele deve trabalhar muitas vezes em cima da agenda ou então em cima da ata da reunião por ser uma pessoa organizada. Existe aquele que tem o potencial de oratória maior. Então, ao invés de deixá-lo falando o tempo inteiro, você o coloca como o apresentador da pauta, aquele que vai mensurar e colocar a pauta para apresentação.

[SULIVAN] O importante é você, ouvinte, que está aí nos ouvindo, independentemente da posição que que você ocupe na sua empresa, é que você tenha essa capacidade, essa habilidade de perceber as pessoas que estão a sua volta, principalmente se você tiver cargo de liderança, para que você possa fazer uma leitura do cenário, fazer uma leitura das pessoas que acabam o rodeando, as pessoas que fazem parte da sua equipe.

Observamos muito bem isso que o professor Nélson acabou de colocar agora: como eu posso olhar para esse indivíduo, olhar para esse sujeito que faz parte da minha equipe, entender quais são os pontos fortes dele e de repente atribuir atividades a esse sujeito que fazem com que ele de alguma maneira potencialize e até ao mesmo tempo externalize todos seus pontos fortes? Com certeza você terá um indivíduo de alta performance que vai acabar entregando mais do que aquele indivíduo que está colocando em uma posição em que tem o tempo todo de trabalhar e demonstrar pontos fortes que não tem, que são pontos a serem desenvolvidos aí.

Está aí um ótimo exemplo de você maximizar a performance da a equipe para quem está em uma posição de liderança.

Voltando para cada um de nós.

Quais são os nossos pontos fortes?

As duas provocações – que eu disse que o Minuto do Coaching ia ficar ao longo do programa – no ponto forte são:

O que você entende que é seu ponto forte?

Quais são os teus diferenciais (habilidades, competências, enfim, dê o nome que você quiser)?

O que os outros normalmente acabam dizendo, atribuindo a você como um ponto forte, embora você ainda não tenha reconhecido?

Existe um ditado muito comum: a voz do povo é a voz de Deus. Se várias pessoas estão dizendo que você tem esse ponto forte e que isso é um diferencial seu, olhe para esse ponto com um pouquinho mais de carinho, certamente você pode encontrar ali um ponto forte, uma competência, uma habilidade, algo que você possa tirar proveito, repito, tanto do ponto de vista pessoal quanto profissional, que você muitas vezes ainda não tenha olhado para isso, que é aquele ponto cego, um ponto forte que é um ponto cego.

Nosso segundo tema de hoje.

[NÉLSON] Temos também o oposto disso tudo.

[SULIVAN] O outro lado da vida, o outro lado da ponte.

[NÉLSON] "Eu tenho muitas vezes em que eu não acredito em mim. Eu tenho muita coisa que eu vejo como um defeito, que eu vejo como algo irrelevante, algo negativo".

Nós temos defeitos? Muitos. Se você fizer a mesma coisa e perguntar para os outros "quais são os meus pontos fortes", eles vão falar uma coisa; experimenta quais são os defeitos (cuidado com isso): você vai ter uma lista muito grande.

Quais são seus pontos de melhoria

[NÉLSON] Essa lista está mostrando para você aquilo que você pode melhorar.

Vamos entender que tudo aquilo que você tem de oposto, ou seja, "os meus pontos a serem melhorados", são na verdade valores negativos que eu apresento, mas que podem se transformar em pontos fortes – isso se eu tiver consciência deles.

Como eu melhoro?

Eu tenho de entender isso.

[SULIVAN] E como eu provoco a percepção do nosso ouvinte para que ele possa olha para esses pontos de melhoria? "Quais são os pontos que eu acredito que preciso melhorar?". Como eu provoco isso?

Começamos falando do ponto forte e perguntando o seguinte: quais são meus pontos fortes?

Então vamos olhar esse mesmo olhar interno para os pontos de melhoria.

Quais são os pontos que eu preciso melhorar?

Pode ser competências, habilidades, características pessoais. O Nélson citou um caso aqui de apresentação pessoal: pode ser um ponto de melhoria, algo que precisa melhorar. Não tem um ditado que a primeira impressão é a que fica?

[NÉLSON] Muitas vezes não temos o olhar do espelho. Isso é uma coisa importante. É principalmente aprender a buscar em alguém um feedback sem medo de crítica – crítica serve justamente para isso.

Quais são os pontos criticáveis em você?

Isso pode se tornar um fator positivo a partir do momento em que você tenha um potencial para melhorar. Quando apresento a você seus pontos fortes, você os fortalece e os melhora. Você não faz o reverso. "Peguei meus pontos fortes e vou piorá-los", não, mas, ao contrário, quando você identifica quais são suas deficiências, quais são seus pontos criticáveis, você ganhou um novo presente: a possibilidade de transformação, mudança.

Transformação para fator positivo é o que faz com que uma empresa aumente seu faturamento a partir do momento em que ela percebe o que ela tem de positivo a ser melhorado. "De repente é a organização. É a minha estrutura. É o meu quadro, o meu grupo".

Eu tenho potenciais que não existem. O que eu preciso fazer? Treinar as pessoas.

Quando eu tenho uma deficiência, eu tenho um projeto de melhoria a ser feito. Eu tenho progresso. Tudo isso.

Eu gosto de falar também porque isso muitas vezes acontece na sua vida. Vou falar do Sulivan por exemplo. Ele, na idade dele, acorda com dor. Tudo na vida dele é dor. Ele diz que, se ele acordar e não sentir dor, ele não está vivo. É a idade. Isso acontece assim mesmo.

O que eu faço nesse sentido?

Ele fala que para ele é um ponto positivo porque ele sabe que ele está vivo, ótimo, mas ele sabe também que existem problemas que devem ser resolvidos. Vai procurar um geriatra, vai resolver o problema da saúde vida, mas a partir dali, a sua vida vai melhorar, ou seja, ela vai potencializar. É uma metáfora que eu estou fazendo.

[SULIVAN] Ele está afiado hoje. [risos]

[NÉLSON] O Sulivan é um atleta. Se ele sente dor é porque na verdade aquela dor atlética do esforço sobre-humano, que vai além da resistência física, ele é um super-homem. (Perceba que esse super-homem pode melhorar; isso é você).

A pessoa de repente fala assim: "Eu me sinto muito acomodado.". "Se eu estou acomodado, eu preciso me movimentar. O que eu preciso fazer para me movimentar?".

[SULIVAN] Qual movimento precisa ser feito diferentemente do que vem sendo feito para que eu consiga alavancar isso.

Um ponto importante, quando estamos falando dos pontos de melhoria é que não adianta o sujeito ter a síndrome da Gabriela: eu nasci assim, cresci assim, vou morrer assim e não vou mudar. É deixar o ego de lado, olhar de uma maneira muito objetiva e com foco em resultados.

O que eu preciso de fato melhorar? O que eu entendo como pontos de melhoria?

Até brincamos: se o sujeito não consegue ver pontos de melhoria, esse já é um ponto de melhoria. Se você não consegue ver seus pontos a serem melhorados, esse já é um ponto que deve ser melhorado.

Outro ponto é: o que os outros acabam dizendo que é um ponto de melhoria?

Mesmo exemplo, estamos seguindo a mesma linha de como falamos de pontos fortes. Quando falamos de pontos fortes, falamos: "O que eu entendo que são meus pontos fortes e que os outros acabam dizendo que são meus pontos fortes?". Quando fomos para pontos de melhoria, é o mesmo olhar.

O que eu entendo que são pontos que eu preciso melhorar e o que os outros normalmente acabam me dizendo que são pontos que eu preciso melhorar?

Se tenho diversas pessoas dizendo e eu estou recebendo feedback que eu tenho de melhorar em uma determinada área, vamos voltar ao mesmo ditado dos pontos fortes: a voz do povo é a voz de Deus.

[NÉLSON] Orgulho é o primeiro ponto a ser melhorado. A partir do momento em que você quebra essa incapacidade de ouvir, você começa a ouvir os outros, você começa a ouvir fraquezas e forças que são trabalhadas, você vai descobrir a mesma coisa em você. A única coisa que pode acontecer é potencializar as suas habilidades e transformar em fator positivo aquilo que até então era fator negativo.

É aquela história. "Eu não tenho. O que os outros dizem que são meus pontos de melhoria, eu não acho que seja.". Talvez esteja aí um ponto de melhoria: flexibilidade, complexo de escuta, pelo menos ser aberto a receber um feedback.

Qual é o ponto que eu entendo que preciso melhorar e quais são os pontos que os outros muitas vezes estão nos atribuindo como um ponto a ser melhorado e não estou dando atenção ou de alguma maneira não estou percebendo o que preciso melhorar?

Foi o nosso programa de hoje: pontos fortes e pontos de melhoria.

Como podemos refletir sobre isso?

[NÉLSON] Refletir sobre a nossa personalidade.

[SULIVAN] Ouvinte, são duas perguntas simples:

— quais são meus pontos fortes que eu entendo (percepção interna)?

— quais são os pontos fortes que os outros dizem que eu preciso melhorar (percepção externa)?

Quando olho para o os pontos de melhoria, a mesma coisa:

— quais são os pontos de melhoria que eu entendo que preciso melhorar (percepção interna)?

— quais são os pontos de melhoria que os outros normalmente acabam dizendo que eu preciso melhorar (percepção externa)?

Esse foi o recado do dia. Esse foi o nosso programa de hoje, com esses focos em pontos fortes e pontos a serem melhorados.

Qual é a Dica do Professor hoje, Nélson?

DICA DO PROFESSOR

[NÉLSON] Esses dias me perguntaram o seguinte. Quando as coisas acontecem e são fajutas, o pessoal fala: "Isso é de araque.".

[SULIVAN] É verdade. Esse é um termo bem antigo: "É de araque".

[NÉLSON] Porque é "de araque"?

Araque é uma bebida que veio do mundo árabe, que tem um teor alcóolico muito forte, muito grande. Isso significa que a pessoa, quando está sob o efeito dessa bebida, do araque, ela fala muita besteira, fala aquilo que não sabe, fala inverdades. Então ela está influenciada pelo araque. Então não é uma coisa verdadeira, ela está sofrendo a influência dessa bebida forte.

Aí surgiu a expressão.

— Isso que você está fazendo é falso, isso não é verdadeiro, não é original, é meio piratão mesmo – justamente porque é de araque.

O araque é uma bebida de origem árabe, que foi trazida aqui para o Brasil. As pessoas não tinham muita consciência do poder alcóolico dela, bebiam bastante e saíam falando bobagens, ou seja, coisas que não correspondiam à verdade.

Então o "de araque" é aquilo meio fajuto, meio falso, principalmente motivado pelo excesso etílico no coco do cara, que chapou isso aí sem perceber.

[risos]

[SULIVAN] Está aí a Dica do Professor de hoje.

[NÉLSON] Não seja de araque.

[SULIVAN] "Ô, de araque". Só tome cuidado para não achar que tudo o que os outros dizem que seja seu ponto de melhoria seja de araque.

[risos]

[SULIVAN] Muitas vezes pode não ser. E tome cuidado para não achar que aquele seu ponto forte de repente pode ser um ponto de araque. Muito cuidado com isso.

Esse foi o nosso programa de hoje. Deixando aqui no ar o nosso site www.acertarehumano.com.br. Lembrando também que o nosso programa acontece todas as quintas-feiras às sete horas da manhã, mas excepcionalmente nesse período do ano, às vésperas, estão batendo na nossa porta as eleições, o nosso programa mudou de horário e acontece agora às dez e meia da manhã, pelo menos nesse período de horário político. Mas logo depois das eleições, retornaremos ao nosso horário normal, que é toda a quinta-feira às sete horas da manhã, sendo acompanhados por todos os nossos ouvintes, que têm carinhosamente nos enviado mensagem o tempo todo via Facebook do programa, que é o facebook/acertarehumano.

Você, ouvinte, mande o seu recado, deixe seu comentário lá no Facebook. Nós toda quinta-feira estamos aqui batendo um papo gostoso com você, trazendo sempre alguma informação que possa de alguma maneira contribuir com o seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Que recado você deixa para os nossos ouvintes, Nélson?

[NÉLSON] Você que quer acompanhar os outros programas, lá no nosso site você consegue acompanhar todos os programas anteriores.

Minha gente, um bom dia a todos. Até o próximo programa.

[SULIVAN] É isso aí. Lembrando o seguinte. Se gostou do programa, se gosta do programa, indique para os amigos, se não gosta, indica para os inimigos, mas não deixe de indicar.

Grande abraço a todos. Uma ótima quinta-feira.

[NÉLSON] Até mais.

♪ [tema acertar é humano] ♪

Você ouviu pela Mundial o Programa Acertar é Humano. Apresentação Sulivan França e Nélson Sartori. Uma produção da Sociedade Latino-Americana de Coaching, a elite do coaching no Brasil.

Outros Podcasts

018 - Programa Acertar é Humano: de 19/06/2014

#018

No Programa Acertar é Humano do ferido de 19/06 os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram o tema "O aprender e o ensinar" Em qualquer contexto todos que ensinam também aprendem. Como essa experiência acontece com as seleções participantes da Copa do Mundo no Brasil? Na "Dica do Professor", Nélson Sartori abordou o uso correto das palavras "mau e mal". E para fechar o programa, no "Minuto do Coaching", o master coaching, Sulivan França deixou uma pergunta sobre aprendizagem.

017 - Programa Acertar é Humano: de 12/06/2014

#017

No Programa Acertar é Humano do Dia dos Namorados os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori discutem o tema "Relacionamentos". Qual o significado do namoro para a geração de hoje? O que são os relacionamentos superficiais? Como os pais tratam as relações dos seus filhos? Para finalizar o programa o master coach Sulivan França deixa uma reflexão que envolve o Dia dos Namorados e o início Copa do Mundo!

016 - Programa Acertar é Humano: de 05/06/2014

#016

No primeiro programa do mês de junho os apresentadores do Programa Acertar é Humano falaram sobre o tema "Marketing Pessoal e os Níveis de Linguagem", a importância da apresentação da pessoa como profissional. Na "Dica do Professor" Nélson Sartori tirou uma dúvida de um ouvinte e o tema foi o uso "de encontro a/ao encontro de". E no "Minuto de Coaching" o master coach Sulivan França deixou perguntas para a reflexão do ouvinte.

015 - Programa Acertar é Humano: de 29/05/2014

#015

No Programa Acertar é Humano do dia 29/05, o professor Nélson Sartori abordou o tema "Contexto", e como esse conjunto de circunstâncias é interpretado pelas pessoas. Conheça o contexto da verdadeira história de "Chapeuzinho Vermelho". E na "Dica do Professor" Nélson Sartori falou sobre o cuidade que se deve ter ao usar o pronome "seu". E para finalizar o professor deixa a pergunta do "Minuto do Coaching" para o ouvinte refletir.

014 - Programa Acertar é Humano: de 22/05/2014

#014

No dia 22/05, Sulivan Fança e Nélson Sartori falaram sobre "Valores". Quais são os valores da sua vida? O que norteia as suas atitudes? Os valores estão ligados diretamente com as ações e metas da pessoa presentes no dia a dia de cada um. Como você trabalha seus valores hoje? Na "Dica do Professor" Nélson Sartori abordou o uso correto das aspas. E, para finalizar o programa o master coach Sulivan França lança perguntas para reflexão.

013 - Programa Acertar é Humano: de 15/05/2014

#013

Os locutores do Programa Acertar é Humano abordaram no dia de 15/05 um assunto polêmico que é a "Reforma Ortográfica", o que é, o que representa para a nossa língua e o impacto dessa mudança no dia a dia do brasileiro. Na "Dica do Professor" Nélson Sartori falou sobre o uso do verbo pisar. E no final do programa Sulivan França deixa duas perguntas para o ouvinte refletir durante a semana.

012 - Programa Acertar é Humano: de 08/05/2014

#012

Na quinta-feira, 08/05, o tema que foi abordado pelo Programa Acertar é Humano faz parte de um importante exercício realizado dentro de um processo de coaching "Crenças e valores". Essa questão pode ter tanto impacto positivo na vida de uma pessoa, auxiliando na busca de um objetivo, quanto negativo, impulsionando para o lado oposto e destruindo perspectivas, seja na área pessoal ou profissional. Durante a abordagem do tema os locutores Sulivan França e Nelson Sartori fizeram um exercício de reflexão sobre crenças que podem gerar um estado negativo boicotando o alcance de uma meta. Na segunda parte do programa, na "Dica do Professor", Nélson Sartori falou sobre a diferença entre "se não" e "senão". E para finalizar, no "Minuto do Coaching" o master coach Sulivan França deixou uma reflexão sobre crenças para os ouvintes.

011 - Programa Acertar é Humano: de 01/05/2014

#011

No programa do dia 1º de maio os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram um tema relacionado ao Dia do Trabalhador,"A relação dentro do ambiente de trabalho e o poder da persuasão". Dentro desse tema foi discutido o papel e a competência do líder na harmonização do ambiente e a habilidade de conviver com as pessoas de forma carismática. Na "Dica do Professor" Nélson Sartori falou sobre "O uso correto do 'há' com H". E no fim do programa o master coach, Sulivan França, deixou uma pergunta desafiadora para o ouvinte.

010 - Programa Acertar é Humano: de 24/04/2014

#010

No Programa Acertar é Humano de 24/04, os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram o tema "Relações Interpessoais", e a importância de nos relacionarmos bem com as pessoas do meio em que vivemos. A questão da autoestima e da simplicidade ao nos comunicarmos também foram citadas. Na "Dica do Professor", Nélson Sartori falou sobre a "Lógica da Linguagem". E para finalizar, o Master Coach Sulivan França, lançou uma reflexão para os ouvintes no "Minuto do Coaching".

009 - Programa Acertar é Humano: de 17/04/2014

#009

O Programa Acertar é Humano do dia 17/04, faz um alerta sobre o que é e o que não é um processo de coaching. O Master Coach, Sulivan França, dá cinco dicas que ajudam a identificar quando o coach (profissional que aplica o coaching) é ou não um verdadeiro profissional da área. Esse tema discute um assunto importante, sendo que, hoje no Brasil, devido ao crescimento desse mercado, muitos se passam por profissionais de coaching, quando na verdade, não têm nenhuma formação para tal atividade. Outro alerta é sobre as instituições que oferecem curso de formação em coaching, com instrutores que não têm nenhuma ou pouca experiência na área e, muitas vezes, oferecem metodologia abusiva. Na "Dica do Professor", Nélson Sartori, fala sobre "A lógica da estrutura da escrita de algumas palavras". Para finalizar, no "Minuto do Coaching", Sulivan França, deixa uma reflexão para os ouvintes.

008 - Programa Acertar é Humano: de 10/04/2014

#008

O programa terminou com o Master Coach Sulivan França utilizando duas perguntas poderosas sobre o poder das palavras na mobilização positiva de sua programação de vida.

007 - Programa Acertar é Humano: de 03/04/2014

#007

No Programa do dia 03/04, os apresentadores Sulivan França e Nélson Sartori abordaram um tema considerado polêmico, "Como entender as necessidades futuras do país com profissionais qualificados". Durante o debate também foi discutido a questão da educação e o processo de desenvolvimento do aluno. Na "Dica do Professor", Nélson Sartori, falou sobre "Lógica do Raciocínio" na forma de expressão da Língua Portuguesa. E o Master Coach, Sulivan França, lançou para os ouvintes, como tema do Minuto do Coaching, uma reflexão sobre a educação.

006 - Programa Acertar é Humano: de 27/03/2014

#006

No programa do dia 27/03, Sulivan França e Nélson Sartori falaram sobre “Os 5 sinais de que o empreendedor não sabe delegar tarefas”. Os apresentadores comentaram como isso pode afetar os resultados das organizações. Em seguida, o professor Nélson Sartori falou sobre a concordância gramatical, na “Dica do Professor”. E, para finalizar, no “Minuto do coaching”, o Master Coach Sulivan França deixa a pergunta da semana para o líder empreendedor refletir.

005 - Programa Acertar é Humano: de 20/03/2014

#005

No programa do dia 20/03 Sulivan França e Nélson Sartori falaram sobre os 5 erros que profissionais geniais podem cometer no trabalho. Apesar da genialidade existem situações em que o profissional deve ficar atento perante o ambiente corporativo. Nélson Sartori também dá a “Dica do Professor” falando sobre as diferenças entre o “há” e o “a”. Para finalizar o Master Coach Sulivan França lança perguntas no Minuto do Coaching.

004 - Programa Acertar é Humano: de 13/03/2014

#004

Neste programa foi abordado o tema sobre as gerações: baby boomers,Y, X e Z e os diferentes comportamentos de cada uma dessas gerações. Sulivan França e Nélson Sartori ainda comentam o relacionamento entre as pessoas de diferentes gerações dentro do contexto corporativo e no relacionamento entre pais e filhos. No momento “Dica do Professor” Nélson Sartori fala sobre o cuidado ao usar a palavra “onde”. E por fim, o Master Coch Sulivan França lança no Minuto do Coaching uma questão para reflexão.

003 - Programa Acertar é Humano: de 06/03/2014

#003

No programa do dia 06/03 Sulivan França e Nélson Sartori falaram sobre o universo da Comunicação Empresarial no ambiente corporativo e sobre a importância do domínio da Língua Portuguesa para o sucesso das relações pessoais e comerciais. O Professor Nélson Sartori ilustrou os problemas com a Língua portuguesa com a sua tradicional charge no momento da dica do professor e o Master Coach Sulivan França lançou mais uma vez seu desafio com questões poderosas no Minuto do Coaching.

002 - Programa Acertar é Humano: de 27/02/2014

#002

Nesse programa, Sulivan França e Nélson Sartori abordam a questão sobre o conceito de o que é e o que não é coaching. São mostrados os 3 pilares básicos desse trabalho e além de ilustrações das diferentes formas de atuação do profissional do coachig.

001 - Programa Acertar é Humano: de 20/02/2014

#001

No momento da dica do professor, foi apresentada a questão do comum no uso equivocado da preposição “para”. O programa terminou com a proposta ao ouvinte de duas questões de avaliação pessoal dentro da dinâmica do “life coaching”.

Programa Foco e Gestão com Sulivan França

De segunda a sexta
9:00 - 18:00

+55 (11) 3670-1770

info@slacoaching.org

Av. Francisco Matarazzo
1400 - SP

Sociedade Latino Americana de Coaching

+55 (11) 3670-1770
info@slacoaching.org

São Paulo - Brasil
Centro de Treinamento
Av. Francisco Matarazzo, 1.350
Água Branca - Cep: 05001-100
São Paulo - Brasil
Sede Administrativa
Av. Francisco Matarazzo, 1.400
Água Branca - Cep: 05001-100
CNPJ: 15.229.739/0001-47
Santiago - Chile
Oficina
Suecia 42, Oficina 02
Teléfono: +56 2 2632 5042
Lima - Peru
Oficina
Plaza Ricardo Palma 107 - San Borja
Teléfono: +51 980 037 494
Cartagena - Colômbia
Oficina
Cr 3 6A Esq. Ed. Jasban 407 - B/Grande
Teléfono: +57 5 655 03 01

Conteúdo Registrado ®
Todos os Direitos Reservados
Cópia Proibida.