Amo pimenta. Com relativa frequência, coloco uma malagueta na boca, mastigo e tempero meu paladar antes de começar a refeição. Uma delícia. Chego a colocar um potinho ao meu lado enquanto aprecio... sanduíches! Até esses mais simples, com margarina e queijo.

Respeito aqueles que têm gostos mais tradicionais. Só fico impressionado com quem sofre apenas por ter que experimentar algo diferente. Há quem condene um prato antes de prová-lo, mesmo que não haja ingredientes considerados estranhos.

Penso que precisamos de mais Halls preto. Um sabor intenso que traga a coragem que as pessoas precisam para mudar algo que não as deixa satisfeitas. É incrível como o ser humano consegue ficar anos e mais anos em um emprego que odeia.

Como alguém se conforma em falar mal, o tempo todo, do trabalho que traz o próprio sustento? Acredito que, quando as coisas não vão bem, é preciso experimentar o novo, fazer algo para modificar o rumo. Pedir demissão é só um dos caminhos possíveis.

Amar peixe frito e reclamar, o dia inteiro, do cheiro que a preparação deixa na casa é complicado! Ora, é um lado negativo e o jeito é adotar formas de amenizá-lo. Apesar de prejudicar o hálito, o alho é fundamental em inúmeras receitas.

Já coordenei três missões empresariais à China, com passagens pelos Emirados Árabes Unidos. E o curioso é que vi brasileiros que simplesmente não conseguiram se alimentar direito no período em que fizeram o roteiro. Tiveram que recorrer a frutas e a produtos industrializados.

Viajar para o outro lado do mundo e esperar ver só feijão, arroz e bife é forçar a barra. Uma coisa é não gostar de alguns alimentos. Outra é não comer nada! Para sermos internacionais, precisamos estar abertos a diferentes culturas.

Certa vez, recebi chineses aqui no Brasil para trabalho em um cliente em comum. Eu os levei para jantar e optamos pela tradicional comida brasileira, com os itens que citei no parágrafo anterior. Começaram a comer e, logo em seguida, pediram pimenta.

Fiquei impressionado porque colocaram aquele molho vermelho inclusive na salada. Foi a vingança: para eles, nossa comida (que eu amo, por sinal) era sem gosto. Vamos adicionar tempero ao nosso dia a dia! Estejamos nós a falar sobre alimentos ou não.
Transforme sonhos em realidade


Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.

  0   0

KHALED SALAMA

Master Coach

Khaled Salama é jornalista, executivo, palestrante e coach. Escreve semanalmente sobre mundo corporativo para diversos veículos de comunicação. As palestras são nas áreas de atendimento ao cliente, trabalho em equipe, liderança e motivação. Para a trajetória completa e mais informações, acesse o site: www.khaledsalama.com.br.