Quando chamados para conversar a respeito de carreira, muitos profissionais sabem dizer aonde querem chegar, inclusive grande parte trabalha arduamente para transformar suas ambições em realidade. Quanto maior a maturidade profissional, maior o entendimento sobre a importância de planejar as diversas etapas da carreira, de ter o passo-a-passo para chegar ao objetivo profissional almejado. Assim sendo, gostaria de chamar atenção para a primeira etapa de qualquer plano de desenvolvimento de carreira: conhecer o ponto de partida.
O ponto de partida reflete o estado atual do profissional, ou seja, a condição em que ele se encontra hoje. Conhecer seu estado atual não significa apenas saber descrever o cargo que você ocupa e as atividades que você desenvolve durante um dia de trabalho. É ser capaz de estar consciente a respeito de si mesmo e da forma como você interage com as pessoas e situações ao seu redor. Mais do que ver e ouvir, estar consciente implica na clara percepção de fatos e informações, livre de julgamento, acompanhada da habilidade de identificar de que forma eles nos afetam e então filtrar e trabalhar naquilo que é mais relevante.
Estar consciente certamente passa por conhecer seus pontos fortes e necessidades de desenvolvimento, mas não se limita a isso. Na jornada do autoconhecimento, o despertar da consciência acessa valores, crenças, emoções, medos e anseios. São atributos e características singulares de cada pessoa e que, bem exploradas, permitem conhecer seu ponto de partida em maior nível de aprofundamento.
Entender suas fontes genuínas de motivação, seus recursos mais eficazes, seu comportamento e suas reações diante de situações diversas coloca qualquer profissional num nível mais elevado de controle, uma vez que ele poderá avaliar os resultados obtidos com maior clareza e a partir disso reforçar os comportamentos que o levam a ter bons resultados e aos poucos limitar ou eliminar aqueles que produzem resultados indesejados. Maior controle oferece uma posição privilegiada, abre um grande leque de possibilidades e escolhas. O poder de escolha valida a capacidade e a autoestima das pessoas. De outra forma, as pessoas tendem a ser controladas pelos aspectos que desconhecem a respeito de si próprias.
Voltando à questão do ponto de partida, ofereço algumas perguntas que podem servir de reflexão para o despertar da consciência: - Quais são suas maiores habilidades? Que adjetivos melhor descrevem sua performance profissional? Se as pessoas que trabalham com você fossem listar suas principais qualidades, quais as que mais se destacariam? Que comportamentos têm aproximado você de seu objetivo profissional? Que comportamentos podem estar afastando você desse objetivo? Qual sua maior fonte de energia e motivação? O que verdadeiramente lhe inspira a atingir seus objetivos de carreira? Quais são seus valores fundamentais? Do que você mais se orgulha de ter feito? O que você não pode jamais perder de vista?
Pense nisso, faça suas próprias perguntas e invista em estar consciente. A consciência é a essência do desenvolvimento humano. Sem ela, o ponto de partida é falho.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.