O termo expatriado é originado do latim, que significa ex pátria. Como o nome sugere, o expatriado é o profissional transferido para outro país por um período determinado ou indeterminado. Muitas pessoas sonham em conquistar este estágio da vida profissional, mas muitas vezes esquecem de se preparar corretamente para este desafio.
Um estudo realizado pela Harvard Business Review mostra que o custo dos expatriados para a empresa é de 2 a 3 vezes maior do que um profissional local. Também é relatado que 15% dos gestores expatriados voltam antes do término do processo por problemas de adaptação à nova cultura, 35% apresentam uma performance inferior à esperada, outros 25% saem da empresa um ano depois de terminar a expatriação e só 25% têm o sucesso esperado, ou seja, permanecem no local e continuam o seu desenvolvimento na empresa.
Geralmente as empresas possuem uma área interna ou uma parceria com agências especializadas para que o processo burocrático seja facilitado e o profissional tenha um apoio mais próximo, visando toda a mudança programada. Além disso, normalmente, existe apoio para os familiares que acompanharão o profissional, além da ajuda com os custos extras como moradia, passagens, cursos, etc.
Porém, existem algumas questões pessoais que dificilmente poderão ser programadas. Pontos como a mudança cultural, climática, linguística, somados com as dificuldades de enfrentamento da nova vida, distante de tudo o que já era conhecido. Dentro de um ambiente novo, com uma rotina diferente, expectativas profissionais maiores e adaptações acontecendo a cada momento, é preciso lidar com a saudade, a insegurança, a incerteza e todas as questões de mudança cultural.
Uma pesquisa realizada pela Global Mobility Effectiveness aponta o índice global de expatriação como mal sucedido, considerando que 55% dos expatriados (de variados cargos hierárquicos) retornam ao país de origem antes do tempo previsto. Este dado indica prejuízo para a empresa e muita dor de cabeça para os envolvidos de forma direta ou indireta. De acordo com a mesma pesquisa, 47% dos entrevistados afirmaram que as maiores dificuldades enfrentadas no processo são as questões relacionadas à adaptação pessoal e familiar.
Os desafios são enormes, mas certamente podem ser superados quando há conhecimento do cenário a enfrentar e planejamento adequado. No Coaching existem algumas ferramentas e técnicas que podem auxiliar o profissional a se estabelecer de forma mais assertiva e segura diante de todo o cenário apresentado. O processo pode ser individual e familiar, para que todos os envolvidos estejam aptos a enfrentar os desafios que vierem.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.