O que você quer ser daqui a 10 anos? Pergunta simples, mas com um teor de complexidade que desencadeia um grande processo de transformação em uma pessoa.

Faça um teste com seu amigo e no meio de uma conversa nutritiva lance essa pergunta no ar e não estranhe se ele não souber responder ou então dizer que o futuro a Deus pertence. Essas respostas são normais, porém caso ele se posicione, ofereça uma sociedade, afinal você está diante de uma pessoa visionária.

Qual é a razão desse desleixo com o futuro?

A educação brasileira é baseada no imediatismo, hoje é a principal maneira de visualizar a vida. A maioria dos brasileiros acham uma grande perda de tempo pensar no futuro e consideram uma atividade bem tediosa, afinal somos campeões mundiais no famoso jeitinho brasileiro, por essa razão abolimos a técnica de planejar o futuro e o tratamos como algo não muito relevante.

Todavia, o indivíduo só perceberá as vantagens de um planejamento a longo prazo quando se deparar com crises econômicas, perda de emprego ou uma fatalidade com seus familiares.

Não sou contra o estilo "deixe a vida me levar, vida leva eu", porém, pense que um planejamento estruturado, com metas alinhadas e objetivos claros será o elemento combustível para a sua satisfação pessoal e uma possibilidade de gastar menos energia.

Conheço muitas pessoas que querem apenas viajar de mochilão, conhecer o mundo sem horizontes ou regras. Conheço outros que querem ficar milionários e trabalham 24 por 7 e ainda outros que apenas querem ser felizes com sua vida pacata. Agora me diga um coisa do fundo do seu coração: Sem pensar no futuro, você conseguiria realizar o seu objetivo, seja ele qual for?

Visualizar o futuro, é minimizar o desperdício de tempo, e tempo é uma variável intangível que não é reciclada, uma vez desperdiçada não voltará nunca mais, nem com reza brava ou com melhor equipamento quântico. Daí a importância do autoconhecimento para que um excelente trabalho de desenvolvimento humano possa ser feito.

Reflita, daqui a exatos 10 anos você pode ser um trintão, quarentão, cinquentão, sessentão, setentão e quem sabe um cemzão. Avalie os seus pontos fortes e as suas fraquezas, assim você pode combatê-las com mais facilidade, tudo isso com intuito de gerar novos olhares para suas possíveis ameaças, transformando-as em oportunidades plausíveis.

Vá e bata de frente, desafie os seus limites, coloque a essência em primeiro lugar e relaxe, porque não é nenhum pecado se programar para o futuro. Aliás, é um grande exercício de sapiência intergaláctica. E quem sabe daqui a dez anos você terá que realizar esse exercício novamente, afinal o vida é cíclica.

Quer ver como dez anos não é muito tempo? Quando foi a última vez que o Brasil ganhou uma Copa do Mundo? E se desde aquele dia você tivesse se preparado para o futuro, hein?

Cuide do seu tempo, pois ele cuidará muito bem de você no futuro.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.