Marketing, em curtas palavras, podemos dizer que é a “arte de vender produtos”. Peter Drucker foi mais longe ao afirmar que o objetivo do marketing é tornar a venda supérflua. Obviamente conceitos e definições acadêmicas são inúmeras mas sempre levarão ao seu maior propósito que é vender. No fundo, marketing, representa tornar um produto mais valioso e atraente e que se venda por si só.

Falar em fazer marketing pessoal pode ser inicialmente constrangedor aos nossos próprios olhos e assumir essa postura muitas vezes deliberada visando esse fim deve ser bem medido para não provocar um efeito reverso. É você trabalhando a sua imagem, a sua marca e o que representa aos olhos das pessoas no ambiente corporativo e pessoal. Como você é visto hoje ? Como você gostaria de ser visto? Caso você não tenha essas respostas e gostaria de trabalhar o seu marketing pessoal, o primeiro passo é ouvir as pessoas. Aqui vai uma sugestão muito simples e eficaz de feedback. Envie um email para seus pares, para os seus liderados, para o seu chefe, para as pessoas do seu relacionamento, dizendo que está trabalhando o seu desenvolvimento pessoal e profissional e gostaria de entender melhor como as pessoas percebem os seus pontos fortes e fracos para que você possa ser mais eficaz. Compile as respostas desarmado de reações inesperadas as informações recebidas. Faça a sua autoavaliação e a partir desse momento procure trabalhar melhor, estabelecendo um plano de ação, os pontos que mais prejudicam e desgastam a sua imagem. Reflita sobre essas celebres palavras: “Deus nos fez de uma forma que não vemos as nossas costas”.

Entretanto, independente de sua iniciativa nessa direção, você pode começar a trabalhar até de forma estratégica o seu marketing pessoal a partir de algumas mudanças comportamentais simples, porém extremamente eficazes. Normalmente no ambiente de trabalho ou até pessoal sempre vamos encontrar alguém que se destaca e chama a atenção – pessoas que naturalmente são receptivas e têm uma energia forte que a maioria sente o maior prazer de estar ao lado – Por que isso acontece? Se você tem um modelo de pessoa que admira e que também é admirado pela maioria, por que não tê-la como referência e segui-la. O que essa pessoa faz de tão extraordinário que consegue naturalmente trazer para si tanta admiração?

Reconhecemos que o marketing pessoal consiste em uma estratégia que pode ser planejada para alcançar o sucesso pessoal. Alguém que tem uma meta bem desenhada para chegar muito longe e quer se destacar no ambiente extremamente competitivo e dinâmico deverá utilizar essa estratégia. Certamente, as possibilidades conspirarão mais naturalmente para quem trabalha o seu marketing pessoal. Quantas “injustiças” aparentes ocorrem no meio corporativo em que alguém extremamente preparado tecnicamente para assumir uma posição, acaba relegada por não trabalhar o seu marketing pessoal. Não basta você ser bom – as pessoas precisam saber que você é bom. A exposição pode ser o primeiro passo.

Partindo para o dia a dia e o lado prático, começar a trabalhar o seu marketing pessoal não pode interferir jamais na sua rotina de trabalho e nas tarefas que você precisa entregar. Pelo contrário, ele começa justamente nesse ponto de entregas. A suas entregas deverão estar sempre acima da expectativa e superar ao que foi solicitado é simplesmente uma arma poderosa que vai sempre ganhar destaque no seu ambiente. Extrapolar, ir além, exceder dará grande visibilidade, não tenham dúvidas.

Outro fator não menos relevante é a proatividade, sempre se antecipar ao que foi solicitado. Não espere ser mandado – faça antes. O seu trabalho deverá exceder aos padrões de excelência. Estar a disposição sempre, ter inciativa e contribuir positivamente, com o grupo na direção de oferecer ajuda visando o melhor resultado para a empresa também é poderoso. Esse gesto provoca o efeito da reciprocidade – é dando que se recebe.

Outro fator fundamental que deverá estar sempre presente é a sua automotivação. Estar sempre pronto para executar de forma extraordinária e com “ transpiração” total que lhe proporcione visibilidade além dos próprios resultados. Não ter medo de assumir a responsabilidade por eventuais erros – ninguém é perfeito. Jogar a responsabilidade de erros para outros é extremamente negativo. A verdade é poderosa – se errou! assuma. Trabalhe também o seu lado influente, exercitando a persuasão para causas e estratégias que a corporação está trabalhando. Apresentar ideias e sugestões o diferencia. Suas ações deverão estar em sinergia gerando empatia com o ambiente e pessoas visando sempre manter e ampliar relacionamentos interno e externos. Pessoas que começam a agir assim certamente terão mais visibilidade e vão aparecer mais aos olhos de todos. Isso tudo é marketing pessoal e pode nunca ter passado pela sua cabeça tamanha possibilidades.

Seguramente uma minoria age dessa forma – a maioria age de forma a entregar absolutamente o que lhe é pedido – não excedem – não vão além, não se expõem, não trabalham a sua imagem e não se preocupam de como são vistos. Agindo estrategicamente utilizando o marketing pessoal é uma garantia de sucesso – não. Não temos essa conexão com o futuro, mas seguramente quando um dia você chegar onde sonhou, certamente você vai olhar para trás e reconhecer que as suas ações passadas o ajudaram a chegar onde mais desejou.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.