DIVERSIDADE HUMANA Interessante, e às vezes até engraçada como a forma de ver as circunstancias da vida mudam de pessoa para pessoa. Somos parecidos apenas aparentemente, e o que nos faz nos identificarmos um pouco uns com os outros depende muito do tipo de informações que processamos e guardamos na memória.

Na verdade somos resultado das informações que aceitamos como verdade, e guardamos no decorrer dos anos. Somos tão diferentes tal qual nossas digitais. Isto é uma prova clara que de fato somos únicos, não suficientes a si mesmo; mas somos únicos. Mesmo nossos filhos, gerados por nós, não são iguais; pensam diferente, agem diferente, contrariando muitas vezes nossa vontade e destruindo castelos sem alicerces que fazemos no que diz respeito ao futuro dos nossos amados. Ocorre que filhos não passam o tempo todo com seus pais, e informações externas são todos os dias bombardeadas sem tréguas na mente dos pequeninos. Eles crescem, e não são poucos os pais que vivem transtornados pelas atitudes que parecem certas aos olhos desses filhos, mas que parecem erradas aos olhos destes pais.

Claro que tudo isso não para por ai, independente do certo, ou do errado, são as maneiras e formas diferente de ver a mesma coisa, que acabam impactando, trazendo desentendimentos entre pessoas, dentro e fora das empresas, das igrejas, dos casamentos, enfim, afetando a vida como um todo em todos os seguimentos. É imprescindível que alguém neste meio, tenha a visão correta da situação em si. Neste exemplo, isso parece tão obvio, mas pode gerar muita confusão se você não entender que, o que é chocolate para você, pode não ser chocolate para mim!

Lembro do professor de coaching, durante o curso deu este exemplo (muito sábio!). Com tudo podemos aprender a redirecionar ou até mesmo mudar nossos conceitos com relação a opinião e atitudes dos que nos cercam. Algo importante a se fazer antes de julgar o outro é passar em revista primeiro nossas atitudes. Nem sempre estamos certos, ou com a razão. Precisamos quebrar alguns paradigmas se queremos viver bem em qualquer meio social, a não ser que você seja uma pessoa doente na alma e seu prazer seja viver em confusão constante, se portanto como emissário do diabo, trazendo desarmonia, e aborrecimento a todos que cruzam seu caminho, sendo do contra em tudo, nunca concordando com nada. 

Precisamos mesmo entender que assim como as digitais, e os nossos dedos não são iguais, Nós também não! É preciso aprender a conviver em harmonia, é preciso aprender a ouvir o outro, mesmo que este não esteja falando. É possível entender, saber que todos temos uma função, e como os dedos são importantes para suas tarefas diárias, assim as pessoas tem cada um o seu papel importante, embora tão diferentes. Nunca se ouviu dizer que alguém cortou um dedo porque era diferente dos outros, mesmo que este dedo seja torto, ou que por uma fatalidade perdeu um pedaço. Imagina se alguém vai permitir tal amputação. Precisamos aprender a somar mais e amputar menos.

Vamos fazer silencio! ouvir, analisar e analisar, porque dois e dois, pode ser quatro pra você, mais pode não ser quatro para mim! E dai, vai questionar? Matematicamente pode até não ser possível, mas, se eu tenho a plena certeza disso, resta a você dois caminhos: conviver com a minha alucinação pacificamente, ou tornar esta questão uma meta pra sua vida. É fato! meu amigo (a) eu digo que, sozinho é como o caminho de pedras, e de espinhos, por isso, você que sofre nos teus relacionamentos, que não consegue se harmonizar, da um passo para frente sem da dois ou mais para traz, você precisa de ajuda. Life coach é o profissional capacitado nesta empreitada. Pesquisas apontam que a maioria dos coaches tem como meta principal ajudar pessoas, e que isso antes de ser trabalho, é missão de vida. 

Para que perder tempo, e gastar energia sem obter resultados satifatórios e mudança de vida? Cada dia é único! É urgente aprender a ser feliz no meio de tantas diversidades



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.