“Eu não falhei, encontrei 10 mil soluções que não davam certo.” Thomas Edison

É comum ficarmos com mais medo de errar do que tentar aprender com os erros. A famosa frase “Aprenda com seus erros”, pode até parecer uma frase vazia, pois não queremos aprender com os erros, pois não queremos errar. Relaxe, você vai errar! Eu vou, você vai, e nós vamos errar juntos.

Claro que você pode se perguntar: como evitar que os erros aconteçam? É muito saudável pensar nisso. Mas, acho que a pergunta mais importante é: o que fazer com os erros depois que já os cometi?

Pode parecer algo louco, mas, ao errar, comemore! Como assim? Você acaba de aprender o que não fazer.

Há algum tempo, quando dava aulas em certo cursinho preparatório para concursos, notava que a maioria daqueles alunos não se interessava em fazer simulados ou aulas de testes. Embora fosse um dos melhores métodos para aumentar a performance em prova, os alunos queriam só estudar teoria, mas não queriam fazer testes. E por que? Simples, não queriam errar; ou tinham medo de que isso ocorresse. Para convencê-los de que fazer testes para praticar era importante, eu costumava dizer: “Melhor errar agora do que na hora do concurso!” Bom, é praticamente inconcebível nos dias de hoje que alguém que queira passar em um concurso não faça testes de maneira incansável.

Quer ver outro exemplo? No processo de coaching, é comum que o cliente descubra que não quer alcançar um objetivo traçado; ele ou ela descobre que quer atingir um outro objetivo mais importante. À primeira vista, pode parecer que o cliente errou o que queria e perdeu tempo tentando atingir um objetivo equivocado.

Quando isso ocorre, eu digo: “Que bom que isso aconteceu agora!” Muitas vezes, uma pessoa alimenta um sonho, um objetivo por muito tempo, meses e até anos achando que queria aquilo. E em duas ou três sessões de coaching, ele percebe que sua meta inicial não era tão importante, mas havia outro objetivo que iria satisfazê-lo muito mais.

Pergunto, se não fossem essas duas semanas, quanto mais tempo o cliente perderia sonhando com a meta errada, mesmo que não a realizasse: dois meses, dois anos, duas décadas?!

Por isso, faça as coisas tentando acertar. Se errar, perdoe-se e veja o que aprendeu e faça diferente. Mas, não deixe de agir! Pense nisso!

Até a próxima!

Transforme sonhos em realidade
Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor do post identificado abaixo.