Criatividade e inovação

 

“Não haveria criatividade, sem a curiosidade que nos move e que nos põe pacientemente impacientes diante de um mundo que não fizemos, acrescentando à ele algo que fazemos.”

Paulo Freire

 

Atualmente não é possível falar de produtividade, relacionando o tempo do indivíduo apenas com os fatores de produção tradicional– capital, trabalho e recursos naturais – eles já não são suficientes para assegurar o progresso. Cada vez mais, o conhecimento e a tecnologia assumem papel estratégico no processo de desenvolvimento econômico, profissional e individual.

Contudo, apenas o acúmulo de conhecimento também não é suficiente. É necessária a sua aplicação, é necessário que ele se torne tangível, é necessário inovar, aplicar o conhecimento na solução de problemas concretos. Na verdade, a capacidade de inovar se tornou um dos fatores mais relevantes na determinação da competitividade das empresas, da economia em geral e do sucesso.

Criatividade e inovação estão intrinsecamente ligadas: enquanto um implica na maior geração de ideias, o outro se refere à aplicação destas ideias na prática. Criatividade não é só técnica e habilidade, mas uma atitude mental no trato de problemas e situações. Existem técnicas e cursos altamente conhecidos para potencializar a criatividade, porém sem atitude mental, produzem poucos resultados, quando produzem.

Quanto maior a sua clareza de seus objetivos, maior a possibilidade de convertê-los em forças poderosas de renovação em todos os níveis da sua vida, maximizando ganhos, produtividade, sustentabilidade dos seus projetos e satisfação. E essas atitudes precisam ser acompanhadas de ações que nos levem a ver o mundo sob diferentes perspectivas e a trilhar caminhos que não foram antes testados.

Nunca antes a humanização dos recursos de conhecimento de uma empresa foi tão importante e como temos acompanhado e vivenciado, o mercado de trabalho passou e passa por transformações significativas nesse segmento. Uma empresa precisa ser criativa, inovadora e humana, toda voltada para comunicação: gestão ativa que prioriza feedback, que incentiva liberdade de ideias e que possibilita abertura e acessibilidade de canais diversos de diálogos.

E nesse novo modelo de mercado de trabalho e exigências modernas, é necessário que aconteçam alterações significativas de atitudes, valores e percepções em cada indivíduo. Para organizações, por exemplo, é importante um clima de aprendizado, que incentive o relacionamento e conexão entre os colaboradores.

Essa nova ordem do mercado exige mudanças rápidas e velozes em todas as dimensões, e foi a partir desse conceito que o campo Gestão de Pessoas, nasceu e se fortaleceu. O colaborador hoje não é mais um recurso organizacional que precisa ser passivamente administrado, afinal se reconhece que são agentes proativos, plenamente capazes de desenvolver responsabilidades, iniciativas, criatividade, dotados de habilidades e conhecimentos, e tudo isso que ajuda a administrar os demais recursos organizacionais.

A principal tática de uma empresa inovadora é estabelecer uma consciência inovadora, identificando as necessidades e os problemas do mercado, para transforma-los em produtos/ serviços, que efetivamente representem soluções para o consumidor. Cedo ou tarde as organizações, e nossa vida pessoal, precisam acompanhar as revoluções tecnológicas e mudanças constantes, instabilidade, velocidade e acúmulo de informações, entre outras variáveis do mundo globalizado.

Cada vez mais, não só o trabalho físico está sendo encampado pelas máquinas, como também, o trabalho mental rotineiro está sendo delegado aos softwares e computadores. Essas, entre tantas outras afirmações, são vistas como premissas para um maior engajamento e encorajamento da criatividade como saída para os problemas da sociedade moderna. Afinal, a criatividade não está apenas nas soluções. Encontrar os problemas onde outros não os vejam, às vezes é muito mais importante.

O processo chave é: a exploração e uso bem sucedido de novas ideias são essenciais para sustentar competitividade, geração de riqueza e conhecimento. Um país, uma empresa ou alguém que almeja estar à frente, precisará de sistemas inovadores, criativos e eficazes.

 Estudos específicos da área de inovação, afirmam é preciso perseverança para esses sistemas. E quando fala-se em perseverança, não pode se fugir sobre a cultura do medo de errar. Carrega-se essa crença limitante, nesse temor de parecer ridículo, incompetente ou irresponsável, filha de uma educação formal e altamente conservadora que sempre disse que se deve acertar na primeira, ignorando o mundo real. Afinal, no mundo real é preciso lidar com incertezas e o certo e o errado, nem sempre são claros.

Entretanto o erro não é para ser visto como instrumento catalisador da criatividade. Correr riscos e assumir fracassos é uma coisa, sugerir que possam existir “erros gloriosos” ou de certa forma premia-lo, é nonsense. A cada erro deve-se refletir suas causas e adotar medidas para não acontecer de novo. E refletir também o sucesso e procurar o que deu certo para outros projetos. Essas reflexões devem gerar atitudes mais responsáveis e eficazes.

A seguir, estão os 10 tópicos mais importantes para iniciar um novo plano mental criativo e inovador. Expanda sua habilidade em:

1.    1)  Investigar/procurar- a curiosidade te leva a diante;

2.    2) Confrontar desafio - supere suas limitações e se permita ao novo;

3.    3) Descontentamento constante- perceba o que precisa ser modificado e tome atitudes;

4.    4) Manter a mente receptiva e disposta- escute, aprenda, observe e reflita com diferentes ideias e pessoas;

5.    5) Ter flexibilidade- é preciso ter diferentes planos e aceitar que nem tudo acontece no ritmo e da maneira planejada. Se reorganize quando necessário;

6.    6) Concentrar-se nos detalhes, sem perder o todo- Não perca o foco!

7.    7) Julgar com cuidado – toda ideia nasce frágil, precisa maturar e revelar seu valor;

8.    8) Estar otimista- um olhar otimista fortalece pessoas, sonhos e ações;

9.    9) Perseverar – não tenha medo de errar;

10. 10) Desejo de aprender- não deixe a zona de conforto ser um lar permanente.

    Esses tópicos caracterizam sua atitude e sua maneira de encarar obstáculos? Quais recursos você já possui? Quais atitudes você precisa desenvolver para fortalecer sua criatividade?

É preciso foco e planos de ação, pois como apresentado, no meio acadêmico, a criatividade normalmente está associada ao processo criativo e à personalidade criadora; e para o meio empresarial, está relacionada com os resultados que trouxer, e na sua vida é preciso unir os dois.

Empodere seus sonhos.