Apesar de o termo meta nos remeter ao ambiente profissional, familiarizado com o atingimento de resultados, números, etc., ela também pode e deve ser aplicada aos objetivos pessoais, afinal ter um objetivo na vida é uma meta.

Retornando ao status quo, como está sua meta? Está coerente com o cenário atual e com as influências externas?

Vale a pena verificar e avaliar como está a saúde de suas metas. Se ela apresentar algum sinal de fraqueza não se preocupe, você tem total controle sobre ela! Se você ainda não estabeleceu alguma meta, também não se preocupe. Nunca é tarde para estabelecer uma direção para sua vida pessoal e profissional. O mais importante é que você dê um primeiro passo, porque, quando você atingir sua primeira meta, inúmeras outras surgirão e isso será um fator determinante para o seu sucesso, fazendo com que você direcione toda a energia necessária para atingir seus resultados.

Então vamos lá! Colocar no papel, exercitar a escrita de suas metas, é importante, mas não é suficiente. Organize, planeje e execute. Conheça sete princípios que o ajudarão a trabalhar suas metas.

1. Diga em voz alta e escreva o que você quer que aconteça que não está acontecendo agora – realize um mapeamento mental. A sua meta é um destino e, ao mesmo tempo, mostra a você a direção que deve ir. Permita-se sentir a energia positiva e motivadora que a sua meta lhe proporciona. Alguns exemplos de questionamentos internos que podem lhe ajudar: “O que eu quero de diferente para minha vida?”, “Quais são as três coisas que fazem a maior diferença na minha vida? E o que realmente eu quero?”.

2. Idealize metas realistas e desafiadoras – reúna fatos que possam consolidar sua meta, torná-la atingível. Não limite sua capacidade, transforme sua meta em um desafio. São os desafios que nos motivam. Estabeleça um controle sobre seu objetivo, readequando ou adaptando sempre que necessário, mas permaneça focado para ter sucesso com uma meta que valha a pena. Quando atingir uma meta, congratule-se e estabeleça a próxima mais alta. Perguntas-chave: “Quão importante é este objetivo para minha vida pessoal/profissional?” ou “Essa meta é atingível e desafiadora?”.

3. Atue diretamente em seus resultados – a meta deve estar sob seu controle direto. Pratique a ação. Os outros, certamente, irão ajudá-lo, mas você terá de pedir isso a eles. Perguntas-chave: “Esta meta está sob meu controle?” ou “O que farei para atingir essa meta?”.

4. Medindo seu progresso – metas sem prazos não são metas, portanto em primeiro lugar, estabeleça um prazo a si mesmo. Em segundo lugar, decida como medir o progresso e como monitorá-lo continuamente. Perguntas-chave: “Até quando eu quero essa meta?” ou “Como eu vou medir essa meta?” ou “Como sei que estou atingindo ou que atingi essa meta?”.

5. Cheque seus recursos – recurso é qualquer coisa ou qualquer pessoa que possa ajudá-lo. É sempre motivador saber que você os tem. Perguntas-chave: “Que habilidades e recursos já tenho?” ou “Como posso conseguir mais ajuda?”.

6. Avalie o impacto de sua meta – qual é o custo de suas metas? O que você ganharia ou perderia com isso? O custo não é simplesmente financeiro, mas, também, em termos de tempo e outras coisas que você poderia estar fazendo se não buscasse a meta. Pergunta-chave: “Vale a pena ir atrás deste objetivo?” ou “Quais serão as consequências do atingimento dessa meta?”

7. Faça um plano de ação – o aprender está no fazer. Este é o momento em que você divide as metas em submetas, para conseguir chegar ao seu objetivo. Comece perguntando para a meta o que o impede de atingi-la, então estabeleça submetas específicas para vencer esses obstáculos.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

  0   0

Cleyson Rogério Guimarães

Executive Coach