Carreira e plano de desenvolvimento
A origem da palavra carreira vem do latim medieval “carraria”, que significa “estrada simples para carros”. E a estrada leva a pessoa da origem ao destino, e a mesma coisa é feita pela carreira, pois a pessoa precisa saber onde ela está e onde quer chegar.

É interessante que ao definirmos nossas férias, escolhemos o lugar, o melhor itinerário, checamos a previsão do tempo, definimos que tipo de roupa colocar na mala, os lugares que iremos visitar e os restaurantes que iremos comer. Tudo muito bem definido e planejado, porém, será que fazemos isso ao definir nossas carreiras e planejamos corretamente a estrada que iremos pegar?

Traçando um paralelo com as férias, o destino é a atividade que escolhemos fazer com paixão e o que nos faz levar o coração para o trabalho. A profissão é a estrada que irá nos levar até o destino, as competências são as roupas que colocamos na mala.

Porém, será que é exatamente isso que fazemos ao definirmos a nossa carreira?

Mas será que existe uma ferramenta que nos ajuda a planejar esse percurso? A resposta para esse questionamento é sim, e se chama PDI: Plano de Desenvolvimento Individual.

E de quem é a responsabilidade de desenvolver esse plano? 

Se você pensou que é da empresa, sinto lhe dizer que você está errado. É de sua responsabilidade elaborar o plano, afinal são os seus objetivos profissionais e pessoais que serão traçados.

É altamente recomendado que haja algum profissional qualificado, neste caso um coach, poderá lhe apoiar para que seu plano seja bem elaborado e alinhado com a empresa que está trabalhando ou que deseja trabalhar. Este profissional irá lhe dar suporte no processo, garantindo que as ações sejam bem definidas com seus respectivos prazos para alcançar os seus objetivos.

O processo de coaching voltado para elaboração do plano de desenvolvimento individual é um momento voltado totalmente para sua reflexão, em que é utilizada uma estrutura de diálogo que ajudará a pessoa a encontrar a própria solução. O importante nesse processo é que se tenha um objetivo definido, que se saiba onde está e quer chegar.

O documento precisa ser flexível e amplo, para propiciar autocrítica sobre possibilidades, limites, características que precisam ser desenvolvidas e/ou mantidas. Outro ponto é realizar um diagnóstico detalhado, visando identificar valores, formação, experiências, habilidades, desempenho e pontos de melhoria.

Para elaborar um bom plano você deve seguir as seguintes premissas:

1. Definir objetivo profissional e pessoal;

2. Considerar o plano para os próximos 5 anos;

3. Responder as seguintes questões:

- Quais são seus pontos fortes?

- Quais seus pontos fracos?

- O que você gostaria de aprender que seja novo?

- Como potencializar seus pontos fortes?

- Como melhorar seus pontos fracos?

- Como aprender coisas novas?

Qual caminho você está seguindo? Você já tem um plano de desenvolvimento bem definido com ações e prazos?

Gosto muito do diálogo da Alice no País das Maravilhas ao encontrar o gato:

“Alice: Você pode me ajudar?

Gato: Sim, pois não.

Alice: Para onde vai esta estrada?

Gato: Para onde você quer ir?

Alice: Eu não sei, estou perdida.

Gato: Para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve.”



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.