Empreendedorismo é nato ou pode ser desenvolvido? Nesta última semana fui convidado para um evento de 50 anos de uma empresa genuinamente brasileira. Uma modesta e pequena oficina mecânica de 1966 do interior do estado do Rio Grande do Sul se transformou nos últimos 50 anos em uma grande indústria do setor de auto peças, pujante e forte nos aspectos técnicos e humanos.

Como um simples mecânico, iniciando o negócio em um galpão pequeno e alugado com limitada formação, conseguiu sucesso tão fantástico? Como esse, temos inúmeros exemplos e histórias de sucesso de negócios que iniciaram no fundo de uma garagem e hoje são grandes empresas. Por outro lado, temos inúmeros exemplos de pessoas com o mesmo espírito de empreender que não avançaram e não obtiveram sucesso. Também temos inúmeras histórias de pessoas empreendedoras que iniciaram negócios uma ou mais vezes e literalmente quebraram e depois ressurgiram mais fortes, robustos e construíram grandes impérios empresariais.

Por que isso acontece? O que leva o empreendedor ao sucesso? O que leva o empreendedor ao insucesso? Vamos esquecer aqui momentaneamente os fatores externos econômicos ou políticos. O objetivo aqui também não é trabalhar o tema técnico do empreendedor ou do seu negócio efetivamente e que também são fundamentais, não resta dúvida. Porém, cabe aqui levantar sim o seu aspecto comportamental e seus efeitos positivos e negativos para o desenvolvimento do negócio.

Pesquisas recentes realizadas nos EUA mostram que o sucesso nos negócios depende principalmente de nossos próprios comportamentos, características e atitudes, e não tanto do conhecimento técnico de gestão quanto se imaginava no passado. O perfil do empreendedor é ser arrojado, visionário, transformador, inovador e principalmente sentir-se realizador. A realização é o que move o empreendedor. Quando falamos em empreender não estamos destacando somente as pessoas que criam o seu próprio negócio – você pode ter o espírito de empreender e trabalhar para terceiros e assim conseguir grandes resultados e conquistar desafios grandiosos para a empresa que representa, ser reconhecido e ser bem remunerado por isso. Sabe aquela energia e vibração em fazer acontecer e realizar é o que alimenta o espírito empreendedor. Isso tudo pode ser desenvolvido e aprendido? Por que algumas pessoas conseguem ter sucesso e outras não?

Segundo o Psicólogo Americano David McClelland, que pesquisou profundamente o comportamento do empreendedor em diversos países, o indivíduo empreendedor tem uma estrutura diferenciada pela presença marcante de uma necessidade específica de realização que o leva a buscar objetivos desafiantes e que não são sempre determinadas pelas possíveis recompensas financeiras ou de prestígio pessoal. Ainda segundo David McClelland, as características que o empreendedor de sucesso deve ter ou desenvolver de acordo com os seus estudos, entre outros, são: conjunto de realização que envolve a busca de oportunidade e iniciativa; persistência; correr riscos calculados; exigência de qualidade e eficiência; comprometimento; independência e autoconfiança; persuasão e rede de contatos; estabelecimentos de metas, etc

Os empreendedores são otimistas e mantêm a confiança mesmo quando as coisas não dão certo e seguem em frente, se necessário redirecionam a estratégia, mas acreditam sempre na capacidade de realizar aquilo que se propõe. Obviamente o extremo do comportamento de persistência ou determinação pode, muitas vezes, cegar o empreendedor e a sua “teimosia” pelo que acredita pode levá-lo ao insucesso ou a retardar a geração de resultados. Com isso, também tem a capacidade de aprender com os erros, mesmo se achando muitas vezes prepotente ou autossuficiente.

O coaching possibilita ao empreendedor o seu desenvolvimento comportamental visando alcançar a alta performance através da estrutura do seu processo. Possibilita o exame dos seus recursos internos, o que depende de si; possibilita o exame dos seus recursos externos, o que não depende só de si e envolve outros; possibilita essencialmente definir de forma clara e específica a sua meta; possibilita tornar a jornada do empreendedor mais clara; possibilita gerar descobertas e insights, que é uma compreensão espontânea e repentina, que ocorre de um momento para o outro e pode ser valiosa para o negócio; etc.

O empreendedor, portanto, traz alguns fatores natos que favorecem a sua formação. As habilidades naturais, características pessoais inatas contribuem positivamente para o seu avanço como empreendedor. Porém, o seu desenvolvimento comportamental pode ser amplamente desenvolvido e o processo de coaching possibilita apoiar o empreendedor durante toda a sua jornada.

Para reflexão:

“Onde os outros veem problemas, o empreendedor vê oportunidade”



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.