Analisando mais de perto a procrastinação, podemos entender que esta seria um subproduto da impulsividade. A pesquisa supracitada diz que há um mesmo gene para ambas as coisas e que para o homem primitivo os planos de longo prazo não eram algo muito importante. O que importava mesmo era o agora. Hoje, temos mais facilidades no nosso cotidiano e podemos programar nossas atividades a longo prazo.

Deixando a ansiedade provinda da impulsividade de lado, vamos focar na procrastinação e em como superá-la. Afinal, sambemos que profissionalmente, deixar tudo para a última hora não é algo muito bem visto. Além do risco de atrapalhar a produção, ou execução de alguma atividade, pode gerar uma imagem desfavorável ao profissional. A procrastinação não é aquela falta de vontade de realizar alguma tarefa. Esta é a preguiça. A procrastinação é um atraso irracional de uma ação pretendida. É deixar para fazer depois, por algum motivo, algo que se quer fazer.

O complicado deste hábito, é que ele pode causar culpas, tensão e estresse. Sem falar na ansiedade que acompanha o fato de ter que fazer algo de última hora. Cada pessoa tem uma forma diferente de procrastinar. E mais importante de saber qual a sua forma, é saber como evitar tal atitude.

Fazendo uma busca rápida pela internet, percebi que o assunto é muito bem explorado, existem várias receitas para se livrar deste comportamento. No meu ver a questão não apenas é qual o melhor caminho a seguir. Primeiro deve-se ter a real noção da necessidade da mudança, querer mudar, e aí então buscar a forma mais adequada ao seu padrão de funcionamento.

Sabe-se que quando há comprometimento real e completo com uma tarefa, fica mais fácil de que tal tarefa seja realizada em tempo. Então, este pode ser entendido como uma das formas de evitar a procrastinação. “Tirar” do plano mental uma tarefa também ajuda. Escrever o que se precisa fazer, listas, atividades ou metas, favorece a visualização às atividades a serem realizadas. É importante escrever com detalhes, colocar a hora para realizar a atividade, etc.

Outro ponto importante é a motivação. Uma pessoa motivada a perseguir suas metas tem mais possibilidade de realizar suas atividades do que uma com menor motivação. Gerar metas equilibradas é uma forma de manter a motivação na caminhada. Quando a meta é muito distante, ela pode ser “quebrada” em partes, em metas menores, que quando alcançadas ajudam a atingir a meta maior. Pouco antes falamos da importância de tirar do mental as tarefas, bom, é importante também uma boa organização para que criemos uma rotina com disciplina que possa nos auxiliar a evitar a procrastinação.

Enfim existem outros passos tão importantes quanto esses, mas já podemos ver que é possível evitar a procrastinação. Entre as atividades proporcionadas no processo de coaching, podemos encontrar muitas outras formas de superar o hábito da procrastinação.

Então, busque mais informações sobre o processo hoje mesmo. Não deixa para amanhã.

Um abraço.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

  0   0

Paulo de Tarso Ferreira Corrêa

Life Coach

Mestre em Ciências da Saúde Psicólogo Clínico Life Coach http://www.paulodetarsocoach.com http://lattes.cnpq.br/1070948307377585