Como menciona Cheryl Duckworth, da organização Peace x Peace, que congrega pacifistas em 120 países, “Um cidadão Global possui uma identidade múltipla.” Isto significa que nenhum aspecto da sua identidade, como raça, classe social, religião ou gênero deve sobrepor-se aos outros. Ainda segundo a mesma organização, esta é um tipo de inoculação que vai contra o extremismo. Mas paz e compreensão mútua, em absoluto, não são as únicas vantagens de se ter um pensamento global.

Numa era em que se tem acesso a informações de praticamente todo o globo, diversas empresas multinacionais se estabelecem em solo brasileiro para vender produtos e serviços, o que pode representar oportunidades ou concorrência. Este ambiente necessita de profissionais cosmopolitas, no sentido de que eles devam ser adaptados às mais variadas e diversas culturas. E esta característica vai muito além da capacidade de falar línguas estrangeiras.

A interpretação de tudo o que envolve a comunicação tem impacto das diferentes culturas existentes no mundo. A comunicação e a negociação nas várias regiões do globo variam conforme o ritmo, a estratégia e a ênfase em relações interpessoais, aspectos emocionais e processo decisório, conforme Franc L. Acuff explica em seu livro “Como Negociar Qualquer Coisa Com Qualquer Pessoa Em Qualquer Lugar Do Mundo”.

É importante ainda levar em consideração o autoconhecimento da pessoa envolvida na sua vida (profissional e pessoal) e os impactos de sua cultura em seu comportamento. Nas várias viagens e missões comerciais internacionais que realizei não foram raras as vezes que pude presenciar regionalismos comportamentais que acabaram por prejudicar uma negociação. Por exemplo, a assertividade de pessoas de países anglos tende a parecer grosseira aos brasileiros, que muitas vezes se ofendem com feedbacks e perdem o ritmo da negociação. Da mesma maneira, também podemos parecer grosseiros na visão de pessoas pertencentes a ambientes culturais mais emotivos.

Mas nem tudo é dificuldade. Os meios de comunicação, cada vez mais internacionais, são um excelente portal para interpretação e conscientização acerca do diferente. É preciso estar aberto e alerta às diversas formas de ver o mundo. Outras excelentes maneiras de se obter sucesso são: a psicanálise ou psicoterapia para o autoconhecimento e o coaching com foco em metas associadas à atuação global já que é cada vez mais importante que saibamos quem somos e o que queremos dentro do atual contexto multicultural.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

  0   0

Rodrigo Solano

Life Coach

Bacharel em Administração com ênfase em Comércio Exterior, Latu Sensu em Marketing Internacional com MBA executivo. Atua no fomento da internacionalização de operações para organismos brasileiros e estrangeiros. Palestrante especialista em diversidade cultural. Coaching para quem busca ampliar a percepção da realidade e atingir suas metas. www.thinkglobal.com.br