O autoconhecimento é uma conquista que traz liberdade. Imagine conhecer seu perfil comportamental e compreender como gosta de se comunicar, por exemplo. Sabe quando você fica entediado com uma história contada cheia de detalhes? Ou quando começa várias coisas, mas tem dificuldade em acabar? Quem sabe sofre por não terminar uma atividade nos mínimos detalhes? Tudo pode estar ligado ao seu perfil, que é composto por características sentimentais, de pensamentos, e é claro, comportamentos.

William Moulton Marston, criador da personagem Mulher Maravilha e do polígrafo - uma ferramenta capaz de qualificar os possíveis comportamentos, chamada DISC, explica que basicamente você pode ser uma pessoa ágil, segura, ousada ou tolerante, mais voltada a pessoas, receptiva e agradável, também pode ser atenciosa, calma e cuidadosa ou quem sabe mais questionadora, lógica e desafiadora. Características divididas em quatro perfis sendo dominante, influenciadora, segura e cautelosa com suas vinte e oito variações. 

As variantes podem acontecer de acordo com sua atual visão de mundo. Significa que seu perfil pode sofrer alterações de acordo com o período de sua vida, e por este motivo, é preciso cuidar para não se rotular e agir de qualquer forma com a síndrome de Gabriela, Cravo e Canela: “Eu nasci assim, eu cresci assim, e sou mesmo assim, vou ser sempre assim”. Lembre-se sempre que o perfil comportamental não deve ser um escudo.

O autoconhecimento a respeito de seu estilo não lhe dá o direito de ser grosseiro por compreender ser uma pessoa altamente dominante, por exemplo. Contrário a isso, quando você possui o conhecimento das lacunas, o desenvolvimento positivo passa a ser sua responsabilidade. Assim como utilizar seus pontos fortes a seu favor. Afinal, se sabe de suas facilidades com comunicação, processos ou raciocínio lógico deixar de usá-las é quase autossabotagem.

Além do perfil comportamental também temos as âncoras de carreira. Segundo Edgar Schein, especialista em desenvolvimento organizacional e criador desta definição, as âncoras demonstram quais são as motivações profissionais e porque você fez determinadas escolhas.

Para Schein suas motivações podem ser nomeadas como Desafio Puro; Estilo de vida; Dedicação a uma causa; Segurança e Estabilidade; Criatividade Empresarial; Autonomia e Independência; Competência Técnica e Funcional e Competência Administrativa Geral.

Digamos que você esteja desanimado com sua profissão. Você conhece seu perfil comportamental? Já pensou estar na profissão certa, mas exercendo a função errada? Gosta muito do seu trabalho, mas não consegue vender os produtos da sua empresa? Está ligado a vendas técnicas ou contatos? Quais são suas âncoras de carreira? 

Pode ser que você não tenha uma âncora ligada à segurança e estabilidade de um trabalho com carteira assinada. Quem sabe a carteira assinada é justamente o que sente falta?

Estas informações aliadas ao Gráfico da Vida e Carreira que envolve os ciclos biossocial, profissional ou de carreira e familiar juntamente com o reconhecimento de seus valores trazem um resultado de aceitação e busca fantásticos.

Por falar em valores você já fez uma lista dos seus? Imaginou como pode estar satisfeito ou não por viver perto ou longe deles? Lembrem-se que valores determinam a forma como a pessoa ou organização se comportam e interagem com outros indivíduos e com o meio ambiente. Estão ligados à sua essência.

Percebeu a importância do autoconhecimento profissional para o desenvolvimento da sua carreira?

O processo de conhecer a si mesmo está longe de ser tranquilo e fácil. É um convite a sair da zona de conforto. Depois de abandonar a comodidade de onde está, garanto que voltar ao mesmo lugar é impossível. 

Transforme sonhos em realidade


Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.