O verbo “to coach”, da língua inglesa, significa treinar alguém. Entretanto, a verdadeira origem do termo coach é húngara. No século XV, numa cidade chamada Kocs, às margens do Danúbio, foi iniciada a produção de carruagens que passaram a ser as mais cobiçadas da Europa. Essas carruagens foram batizadas de kocksi szeker. Da forma como os húngaros a pronunciavam, os ingleses entendiam como coach. Devido ao grande conforto das famosas carruagens, as famílias ricas passaram a aproveitar as longas viagens pela Europa para educar seus filhos através de tutores, que iam lendo para as crianças. Por isso, diziam que as crianças estavam sendo coached, ou seja, educadas dentro da carruagem. Com o passar do tempo, surgiu uma metáfora. Do mesmo modo que a carruagem levava as pessoas a diversos lugares geográficos, o tutor conduzia as pessoas pelos campos do conhecimento. Assim, o termo coach passou a designar também esses tutores.

No século XIX, os alunos da Universidade de Oxford passaram a utilizar o termo coach para designar os professores que lhes auxiliavam nos exames finais. Com o passar do tempo, os técnicos de esportes também passaram a ser chamados de coach. E foi um grande coach de tenistas, na década de 70, que teve a ideia de aplicar as técnicas que utilizava com seus atletas em executivos de grandes empresas, razão pela qual o termo Coaching foi adotado no universo corporativo.

Na atualidade, o Coaching pode ser descrito como um processo de desenvolvimento humano, apoiado numa metodologia baseada em várias áreas do conhecimento: psicologia, neurociência, teorias da administração, andragogia (aprendizado de adultos) e PNL (programação neurolinguística), entre outras.

O processo de Coaching ocorre através do relacionamento entre o Coach (profissional) e o Coachee (cliente). Nesse relacionamento, o coach agirá como um facilitador, buscando conduzir seu cliente pelo caminho do autoconhecimento e ajudando-o a aprender ao longo desse processo, ao invés de ensiná-lo. Assim como um diamante só revela seu verdadeiro brilho após passar pela lapidação, o Coaching permite "lapidar" as habilidades e competências do indivíduo, para que seu pleno potencial seja revelado. Dessa forma, o atingimento dos objetivos, sejam eles pessoais ou profissionais, poderão ser alcançados com maior assertividade.

Independente da linha de Coaching escolhida, seja ela focada no desenvolvimento de carreira, em projetos da vida pessoal ou no desenvolvimento de habilidades para melhorar a performance de um executivo, o benefício de passar por um processo de Coaching será sentido em todas as áreas da vida. O Coaching traz uma nova abordagem, um novo estilo de pensar, planejar e agir. E tem consistência justamente por ser um processo desenvolvido em torno dos objetivos do cliente, e cuja construção será feita pelo próprio cliente.

Portanto, Coaching não é consultoria, não é mentoria, não é aconselhamento e também não é milagre. Coaching é Coaching. E é só para quem realmente quer.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.

  0   0

Melissa Fernandes Lirmann

Life Coach

Economista, Especialista em Gestão Estratégica e Membro da Sociedade Latino Americana de Coaching. Mais de 15 anos de vivência em empresas multinacionais de renome, com atuação em gestão de equipes, vendas, planejamento estratégico, desenvolvimento de negócios e inteligência de mercado.