A palavra foco assume diferentes significados, dependendo do contexto em que estiver inserida, física, medicina, geometria e no contexto desse artigo, nossas ações em direção a um objetivo. Sim, neste contexto, “ter foco” implica, antes de tudo, ter um objetivo, uma meta. Sem uma meta, não parece fazer muito sentido, pensar em foco. Neste contexto, ter foco, implica, então em estabelecer um objetivo/meta, planejamento, organização e persistência.

Estabelecer uma meta é ter claro, que mudança se quer fazer, em quanto tempo, conhecer bem o estado desejado, o que se quer alcançar, de modo viável e mensurável, realista. Na etapa do planejamento, é importante conhecer o estado atual.

Se temos uma meta, queremos fazer uma mudança, chegar a outro patamar. Parece lógico, então, saber de onde partimos, fazer um inventário dos recursos dos quais dispomos. O que precisamos, quais recursos necessitamos para alcançar o estado desejado. Depois, definir quais as etapas, quais passos vamos dar, em que momento. Na sequência, vem a etapa da organização. Definição de cronogramas, datas, tempos, o que fazer primeiro. Neste momento, considero importante, a organização mental. Colocar nossa mente nesta tarefa, nesta mudança.

Até aí, tudo muito bonito, até, relativamente fácil. Como sabemos, “o papel aceita qualquer coisa”. Agora é a hora da ação. A frase, ninguém chega aonde não vai, é famosa. Sem ação, nada ocorre, nenhuma mudança, nenhum sonho, nada. É preciso agir. Esta é a fase da persistência. Nesta etapa, é que, efetivamente, em meu entender, entra em ação o “ter foco”. Acreditar, ter confiança, esse, parece ser um importante componente da persistência, e parte, da ideia da organização mental. Acreditar na possibilidade, no propósito, no objetivo, na meta.

Quando acreditamos, estamos mais propensos a vencer desafios e superar obstáculos. No início de sua carreira Henry Ford, venceu muitos desafios e superou obstáculos. Na época, nos Estados Unidos, uma associação de fabricantes de automóveis detinha a patente para a fabricação de veículos movidos a motor. Todo fabricante, só poderia produzir e comercializar automóveis, se obtivesse licença, e claro, pagar royalties e a essa associação. Os automóveis eram artigos de luxo (continuam sendo) e custavam US$ 1300,00. Ford tinha projeto para lançar um automóvel, Modelo A, com custo na faixa de US$ 900,00, tornar o bem mais popular. Apresentou o projeto a essa associação, pedindo aprovação, que depois de um tempo (alguns meses) lhe foi negada. Se tivesse aceitado essa negativa, quiçá, sua grande carreira tivesse se encerrado aí mesmo. Não aceitou. Foi aos tribunais, valendo-se da lei antitruste (lei Sherman de 1890 – USA), que, então, ganhava impulso. Venceu a demanda. Começou a construir e a vender seus carros. É preciso acreditar e superar os obstáculos.

Outro aspecto - não é porque se tem um objetivo, uma meta, que a vida se resume a essa ação, a essa tarefa. Muitas outras demandas concorrem com essa necessidade. Priorizar demandas é um aspecto importante das inúmeras decisões diárias. Qual camisa usar, que caminho tomar, o que vamos comer, se ir a reunião da escola do filho ou filha ou a um encontro com um cliente importante, e muitas outras situações. Priorizar demandas, este é um grande desafio, mas fundamental para manter o foco. Então, lá na fase, do planejamento, é bom considerar nossa matriz de mudanças, o que se ganha e o que se perde, para atingir a meta, mas este é um outro tema.

Agir é dar um passo de cada vez, saber para onde se vai, o que se quer alcançar e ir na direção desejada. Ter foco é ter claro se o passo que estamos dando está na direção que queremos, ou simplesmente, estamos andando de lado. Vamos lá, sabemos que para subir uma escada, de modo seguro, damos um passo de cada vez. No entanto, se esse passo, for de lado e não em direção ao próximo degrau, ficamos no mesmo degrau. No mesmo nível, no mesmo lugar. Gastamos energia, pois demos um passo, no entanto, o passo não nos levou na direção de nosso objetivo.

É preciso saber para onde se vai, qual o objetivo, qual meta estamos mirando, planejar, conhecer os recursos disponíveis e como conseguir os que faltam, organizar o tempo, as ações e também o estado mental, persistir, acreditar, não ficar paralisados frente aos obstáculos, vencer os desafios, priorizar as demandas do cotidiano, dar um passo de cada vez. Não desistir.

O foco se determina no varejo do dia a dia, no momento, na ação do já. Do agora. Ter foco, então, é manter as ações, de modo consciente, em direção a um propósito, a um objetivo.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

  0   0

Sergio Roberto da Cruz

Executive Coach

Engenheiro, Pós graduação em Marketing, Administração de empresas e em Gerenciamento de Qualidade. Espanhol e Inglês fluente Professional Coaching