Esta época marca o fim de um ciclo, o passar de um ano recente, o que nos faz resgatar frustrações e decepções. A perda de um familiar querido, um divórcio ou a separação dos pais, por exemplo, nos trazem a sensação de que "os inícios de anos são diferentes e tristes" ou que "as festas já não são tão alegres".

Há ainda quem sofra com a depressão, uma doença que, segundo a Organização Mundial da Saúde, atinge mais de 400 milhões de pessoas no mundo. Com origem genética, a predisposição à doença pode ser agravada por sintomas como o estresse, o acúmulo de cansaço, a correria habitual durante todo o ano e por situações que causam tristeza e decepções.

É natural sentir-se em luto ao lembrar de quem se foi, pela falta de alguém que está longe ou ainda pelas mudanças que ocorreram na nossa família. Porém, passar muito tempo desanimado e desmotivado, pode ser um alerta para a doença, que não pode ser ignorada de forma alguma.

Ainda existem pessoas que rotulam a depressão como um sentimento comum ou uma insatisfação daqueles que não possuem uma ocupação, ou que pode ser superada apenas com a força de vontade. Mas este preconceito pode gerar uma fuga do diagnóstico. Depressão é é uma patologia e tem consequências graves na vida de quem enfrenta a doença.

Em um processo de Coaching, por exemplo, quando os objetivos foram definidos, as tarefas alcançadas, e o processo chegou ao fim com a meta superada; mas ainda assim você, coachee, continua sentindo uma insatisfação e um vazio interno, é um indício de depressão. O mais indicado, nestes casos é o coalhe procurar a ajuda de um psicólogo especializado e posteriormente ao seu tratamento psicoterápico dar continuidade ao processo de Coaching.

A pessoa que sofre de depressão acaba perdendo a autoestima e desacreditando que é capaz de superar desafios ou mesmo realizar tarefas simples do dia a dia, como trabalhar ou estudar. O desânimo é tanto que muitos podem até pensar em suicídio como solução para os problemas. Por isso, a busca por ajuda profissional deve ser feita logo nos primeiros sinais.

Para que todos tenhamos excelentes re inícios de anos, é também importante estar de olho na nossa própria saúde!



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.