Vivemos todas as nossas possibilidades de ser o que somos nos ambientes que estamos inseridos: seja pessoal, social e principalmente profissional, onde dedicamos um bom tempo de nossas vidas. No profissional, as possibilidades de ser o melhor que podemos ser está ligado a satisfação, e porque não dizer ao entusiasmo de realizar o nosso melhor. O ambiente, portando, é o local onde tudo acontece. Nele decidimos ser o que somos e se estamos ou não conectados, ligados  com a organização. 
A conexão, o envolvimento é o processo que leva o funcionário a não ter como principal valor o ganho financeiro. Ele está ali e faz parte do grupo porque está inserido e completamente engajado, vestindo e suando a camisa com muito vigor e energia. Esse sentimento pleno é fantástico e reflete na positividade do ambiente e consequentemente nos resultados. Por outro lado, se observa colaboradores que estão na organização por conveniência, por falta de opção, pelo ganho financeiro e isso os retém temporariamente ou até por um longo tempo. 

As empresas estão cheias de pessoas nessas condições e que já “fugiram mentalmente” dos seus ambientes. Fisicamente estão presentes e vão levando ou se deixando levar sem perspectivas ou metas mais desafiadoras.

Vamos fazer um teste rápido para medir o seu nível de engajamento. Responda para si essas perguntas e tire as suas próprias conclusões:
Quanto você pertence ao grupo? Seus valores tem congruência com os objetivos e valores da organização ? Qual o seu nível de satisfação ao acordar pela manhã e imaginar que vai se dirigir para o trabalho – isso o motiva ou o aborrece? 

O objetivo dessas perguntas é levar a reflexão mais profunda do nível de felicidade encontrado em cada trabalhador. Estamos felizes com o nosso papel na organização? estamos contribuindo ou não estamos contribuindo? Enfim, o engajamento é um tema especial e relevante para ser tratado e cuidado pelas organizações que desejam resultados brilhantes. É perceptível visualizar esse estado de clima nas organizações – começa na porta de entrada ou pelo mais humilde colaborador. A energia é diferente, está presente em todas as ações: de olhar, de ouvir e de se comunicar. 

Para finalizar, no último dia 26 de novembro fui assistir ao show do Paul McCartney no Allianz Parque - sua energia me surpreendeu, cantando por quase três horas com a maior paixão e entrega. Foi fácil enxergar e sentir no Paul McCartney muito além das suas músicas. Com os seus 72 anos de idade ele entrega muito mais que isso, ele entrega a mensagem de que independente da idade, quando se faz ou se realiza verdadeiramente o que gosta o resultado é muito mais amplo e diferente.

Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor do post identificado abaixo.