Hoje como vivemos uma época de recessão financeira e crise politica, instalou-se uma cultura de reclamação e desculpas. Esse hábito quando é demasiado pode ocasionar problemas nas organizações, seja ela pública ou privada, essa atitude vinda pelo gestor causa um efeito espiral que contamina os colaboradores, que também começaram a reclamar da situação, em pouco tempo o inconsciente social desse ambiente sofrerá, e uma queda no desempenho acontecerá, pois o foco foi desviado para o problema.

O ser humano tem o instinto de se defender, e isso acontece quando somos acusados ou responsabilizados por algo, e a tendência é reclamar de terceiros ou dar desculpas que envolvem outras pessoas e o sistema. Esse mecanismo é instalado desde o nascimento, sendo utilizado demasiadamente por pessoas que não tem maturidade suficiente para receber um feedback negativo ou mesmo ser cobrado, por resultado, data e desempenho.

Algumas atitudes são comuns quando essa cultura mental da desculpa se instala, como o de fingir que não há problemas, ou a de apontar culpados, esperar que algo milagroso caia do céu, virar o rosto para o problema, reclamar sobre o problema e sobre a solução proposta, e o vitimismo.

Todas as pessoas que reclamam detêm habilidades e inteligências ocultas, que precisam ser desenvolvidas para que não se instale a cultura mental da desculpa. O processo de Coaching vem para apoiar o desenvolvimento dessas habilidades e inteligências, através de ferramentas cientificas e perguntas voltadas ao resultado, tirando assim o foco do problema.

Com o tempo o Coachee assume esse novo hábito de focar na solução, deixando a velha perspectiva que era voltada a reclamações e desculpas. Essa nova postura faz com que sua modelo mental trabalhe de forma mais assertiva e produtiva. Lembrando que a mente não separa o real do imaginário, sendo assim o pensamento voltado para o problema lhe trará sensações negativas e depressivas, o inverso ocorre quando a sua mente está voltada para o pensamento produtivo, aquele que formula ações voltados para a solução.

Explore sua mente em busca de algo maior, não caia na cultura menta da desculpa. Agora, após essa reflexão, deixo duas perguntas:

1. O que você vê de bom nos problemas que está enfrentando? (seja pessoal ou profissional)

2. Quem você quer modelar para alcançar o que deseja? O que essa (s) pessoa (a) faz que você gostaria de fazer igual ou melhor?



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

  0   0

Adriano Betelli

Executive Coach

Life & Executive Coaching pela SLAC. Analista Comportamental DISC e ASSESS. Especialista em Administração e Marketing. Detém vasta experiência em PNL. Organizador do livro " Resultados através do Coaching".