Coaching: uma metodologia poderosa
Muitas são as dúvidas que povoam a cabeça das pessoas sobre o real significado do coaching. 

Que contribuições este processo traz para o alcance de metas profissionais e pessoais?

Antes de começar a discutir sobre essa pergunta, é importante esclarecer, ainda que de maneira geral e um pouco mais didática, alguns papéis exercidos pelas pessoas envolvidas neste processo. 

O primeiro é coaching, o treinamento. O coach, aquele que apoia o coachee, que é a pessoa interessada em mudar, o dono das metas a serem guiadas. Diante do exposto, é importante destacar que coaching não é um processo invasivo, uma vez que as metas são de total interesse do coachee e o alcance das mesmas está a cargo de seu envolvimento e empenho no processo.

Ao longo de minha trajetória no campo treinamento através da metodologia coaching, constatei em diferentes experiências de atuação o investimento das organizações em coaches que apresentaram baixo aproveitamento do curso e, consequentemente, nenhuma demanda de produção suprida de forma satisfatória ao longo de seu trabalho na empresa. 

E ainda, há casos em que o profissional por não compreender de forma clara o objetivo proposto nos treinamentos, pouca margem de aproveitamento retira do processo de preparação e não reflete em seu trabalho os resultados esperados do curso.

O profissional envolvido no coaching tem a função de dar o suporte de maneira estratégica no caminho que o coachee precisa trilhar para alcançar seus objetivos. Aproveito o esclarecimento para destacar a importância que este trabalho tem para apoiar a vida profissional, sendo adequado, especialmente, para adolescentes ao terminarem o ensino básico para que obtenham maior assertividade ao incluírem-se no mercado de trabalho.
            
Ao público de maneira geral, destaco que participar do processo coaching é dar-se a oportunidade de ampliar a visão sobre o contexto profissional e pessoal. As pessoas que se propõem a exercer o papel de coachee se dão a oportunidade de despovoar o espaço reconhecido como zona de conforto e desenvolvem a habilidade de desafiarem-se a ocupar lugares talvez não pensados até o momento em que tomaram tal decisão. 

No entanto, é importante reiterar que as mesmas precisam comprometer-se com envolvimento do projeto.

Finalizo o texto, relatando os resultados com os quais me deparei ao desenvolver meu trabalho como coach: pessoas que desenvolveram espírito empreendedor e despertaram a coragem de abrir o próprio negócio, mulheres que alcançaram a meta de exercer a maternidade da forma que consideram mais ética, de pessoas que alcançaram referência na liderança de suas equipes e da conclusão de cursos de graduação de pessoas que se propuseram a seguir sua formação. 

Diante desses resultados, com muito empenho, pretendo continuar exercendo de maneira mais hábil meu trabalho para que possa rever estes e ainda ampliar minha visão de metas e contextos de sucesso. 

E você? O que espera para começar já o coaching?



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.