Com a ideia em mente, persisti e fui em busca, não foi fácil, mas a vontade de ser era tamanha que não desisti. Eu Já identificava alguns pilares fundamentais, como a escuta atenta e a empatia, porém sentia que eu precisava me desenvolver mais.

Transitando pelas ruas de Salvador, mais um convite, agora em formato master, um outdoor, com letras garrafais, gritava: “venha ser um Coach e fazer diferença em sua vida e, de fato, conhecer essa essência”. Enfim, havia chegado o momento de me entregar ao universo Coaching e vivenciar essa experiência. Descobri, então, o quão grandioso é ser Coach na possibilidade visceral de transformação interna com fins de mobilização externa.

Desde então tudo mudou em minha vida, conheci mais, descobri realmente a essência de ser Coach. Aprofundei-me, investi o que conhecia e desconhecia de mim mesmo nessa nova fase, que certamente mudou e vai continuar mudando minha vida. Percebi que assessorar pessoas, levando-as a refletir, a chegarem a uma conclusão, definir ações e, principalmente, agir em direção a seus objetivos, metas e desejos era o meu propósito de vida. Uma forma de fazê-las descobrir que as respostas que procuram, estão dentro de cada uma delas. Fiquei encantado com a possibilidade de eu poder fazer isso, de forma profissional, mobilizando a minha carreira e os reais sentidos das pessoas.

Hoje, encontrei a essência de ser Coach. Mas qual a sua essência, leitor? A minha é de uma pessoa mais atenta, comunicativa, sensível e, acima de tudo, dotada da generosidade de entender o que se passa dentro de mim para, assim, auxiliar pessoas na revolução dos seus desejos, com a função de organizá-los, vislumbrando novos caminhos.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

  0   0

Cristiano Lopes de Oliveira Silva

Life Coach

Experiência de seis anos na área Educacional, no setor de Relacionamento EAD com prospecção e negociações com cliente, e apoio aos polos EAD prospectados. Instrutor na empresa Sest Senat na qualificação profissional de jovens. Experiência de dois anos na área de Telecomunicações como: Back Office. Acompanhamento de pedido e supervisor de uma central de tele doações.