Voice Design é uma área da conhecimento proveniente de estudos multidisciplinares sobre as relações que cada campo pesquisado tem com o universo do som produzido pela voz humana. A finalidade do Voice Design é subsidiar a viabilização plena da expressão vocal para fins comunicacionais, educacionais e relacionais.

A formulação do Voice Design compreende a investigação sobre diversas áreas científicas, entre as quais: antropologia, filosofia, linguística, retórica, semiótica, neurolinguística, neurociência, acústica, música, fisiologia, medicina, psicanálise, hipnose, arte cênica, storytelling.

Voice Design numa tradução literal do inglês para o português, é o projeto da voz. A expressão também pode ser compreendida como o design da voz, o desenho da voz, a modelagem da voz, a engenharia da voz, a voz arquitetada. 

A voz é a marca do indivíduo. Na raiz grega a palavra pessoa significa ‘por meio do som’. No espanhol persona, no inglês person. Portanto, a pessoa é manifestada pelo som articulado que ela emite. É como somos identificados e como nos identificamos com o mundo.

A finalidade do Voice Design é prover o estado pleno de consciência sobre o ato comunicativo e sobre processo comunicacional. A base técnica é um planejamento sobre o uso da sonoridade da voz fundamentada em diversos campos do conhecimento. O Voice Design oferece um conhecimento teórico e prático, com propósito de ampliar a dimensão da comunicação formal e informal, interpessoal e intrapessoal , estruturada e não estruturada.

O propósito é levar o aprendiz conhecer com profundidade as características a sua voz, ganhar mais intimidade com ela, permitir domínio sobre os recursos da voz, adquirir confiança para se comunicar com segurança.Voice Design promove o controle completo da comunicação, adequando-a a cada contexto e circunstância. Compreende de um lado, a lógica da linguagem, a comunicação verbal, a produção estruturada do discurso. E de outro trata da estética da voz, comunicação não verbal.

O Voice Design amplia a dimensão da comunicação humana ao priorizar a interpretação da intencionalidade do som emitido, associando com o significado em si da palavra oralizada. O Voice Design enfatiza que é essencial a prática de planejar, de pensar antes de falar, ganhar assertividade, evitar o conflito e o ruído e semear informação, diálogo e relacionamento humano, prioritariamente o proveito do ouvinte. O Voice Design considera o mesmo rigor que normalmente se dedicada a construção da escrita, para ser aplicada similarmente na oralidade. Assim como normalmente se dedica atenção para escrever bem, o Voice Design compreende que deve ser assim também na fala.

A estrutura do Voice Design baliza-se:

1) Na performance da condição melódica da voz sustentada pela estrutura na música instrumental e vocal, como timbre, frequência, entonação, tonalidade, altura, intensidade, amplitude, velocidade, volume, ritmo, harmonia, métrica, arranjo, nota e pausa, entre outros.

2) Num paralelismo com os pressupostos do design gráfico, como tonalidade, alinhamento e proximidade, aplicados analogamente ao universo do som produzido pela voz.

3) Nos conceitos, fundamentos e processos do design instrucional, se constitui num aprofundamento de um dos seus pilares, o da instrução, compreendida como a atividade de ensino que se utiliza da comunicação para fins de aprendizado, bem como, do design, definido como resultado de um processo ou atividade com propósitos e intenções definidos, em termos de forma e de funcionalidade.

A base do Voice Design é a música por pertencer a família do som. O suporte da imagem e o processo de ensino-aprendizagem fazem parte dos seus fundamentos.

A proposta é sustentada predominantemente na antropologia e com base na arte da retórica e na construção da tradição oral, compreendendo a formulação fraseada do conteúdo a ser oralizado, preferencialmente usando sentenças curtas e na ordem direta,evitando o uso de preposições e conjunções.

Quando o recurso gramatical for requerido, a indicação da metodologia é elaborar nova frase e assim consecutivamente. Na sequência das frases deve se aplicar o recurso da versicularização, com o propósito de imprimir musicalidade, melodia, ritmo necessário para viabilizar a memorização do conteúdo pelo receptor, ouvinte, aluno.

O planejamento fonético compreende a aplicação contextualizada de: entonação, tonalidade, ritmo, velocidade, volume, freqüência sonoras, amplitude, tom de grave e de agudo, entre outros recursos de fonação.

Concomitantemente ao planejamento fonético, o aprendiz deve exercer prioritariamente um monitoramento perceptivo sobre o receptor e sobre o cenário onde a comunicação está sendo realizada, considerando entre outros aspectos as condições logísticas, estéticas e acústicas, permeadas pela aplicação de pausas estratégicas e perguntas promotoras de diálogo.

Cabe ao aprendiz ser capacitado para monitorar o limite da memória de trabalho do receptor, atentando-se quantificação de informação por tempo de exposição que não comprometa o espaço para o processamento do mensagem e que garanta o armazenamento pela memória de longo prazo, de modo suficientemente afetivo que gere motivação no receptor para uma experiência com o conteúdo memorizado e com isso viabilize a sua comunicação ou mesmo o aprendizado.

A construção de um processo de treinamento individual e em grupo está sustentada nos pressupostos do coaching. Trata-se do Voice Design Coaching que propõe a construção do projeto pessoal da voz, consciência plena da fala e da escuta, confiança e clareza na comunicação¸ partir da seguinte estrutura:

Processo de Coaching:

Diagnosticar estado atual do coachee, identificar pontos fortes e de melhorias;
Especificar as metas a serem alcançadas;
As expectativas do coachee, o que quer que acontece e não está acontecendo;
Compreender as contextos e circunstâncias comunicacionais que envolvem o coachee;
Avaliar e identificar as opções existentes;
Escolher as alternativas desejadas;
Definir os passos, eliminar as resistências e decidir quando e onde agir;
Estruturar um plano de ação que conduza as metas especificadas;
Valorizar a conquista das metas parciais;
Reconhecer a necessidade de aprendizagem continuada;
Registrar a voz em mídia para conhece-la e reconhece-la;
Explorar as multiformes possibilidades da voz, mantendo o padrão atual e experimentando novas performances.
Metas do Coachee:

Compreender a dimensão perceptiva, cognitiva e estética da voz;
Conhecer os aspectos existenciais do uso da voz;
Construir o projeto pessoal da voz;
Entender a voz como manifestação reveladora da identidade do individuo;
Adquirir consciência plena do ato comunicativo e do processo comunicacional;
Atingir o potencial de confiança o uso da voz;
Ganhar consistente clareza da comunicação;
Desenvolver competências comunicacionais próprias;
Aumentar o nível da comunicabilidade interpessoal e intrapessoal;
Planejar tática e tecnicamente a comunicação;
Elaborar um plano mental de conversação;
Internalizar conteúdos chave para serem transformados em convicção;
Externalizar o conhecimento adquirido, o repertório existencial;
Distinguir o que é interessante, importante e essencial;
Priorizar o foco no ouvinte, identificando os sinais emitidos;
Aprimorar a habilidade de ouvir e arte de escutar;
Entender a intencionalidade dos códigos sonoros emitidos;
Fornecer feedback regular e de alta qualidade, resultado de uma escuta plena e estruturada.
Fazer a leitura dos contextos e circunstâncias da comunicação;
Qualificar discurso;
Compreender o funcionamento cerebral da linguagem;
Usufruir da capacidade de persuasão propositiva;
Entender o papel comunicador do profissional de sucesso;
Compreender a voz como meio de autoconhecimento e autodesenvolvimento;
Usar adequadamente a inteligência emocional da voz;
Aplicar adequadamente o poder da pausa estratégica;
Dar significados aos intervalos entre as palavra para viabilizar a compreensão;
Conhecer os segredos da contação de história (storytelling);
Construir relação saudável com o interlocutor;
Respirar no mesmo ritmo do seu interlocutor para ganhar empatia;
Redução do nível de ruído de comunicação;
Criar indicadores de melhoria da qualidade comunicativa ao longo do processo;
Estar preparado para resolver conflitos;
Compartilhar dons e talentos;
Focar e envolver-se no contexto do ouvinte;
Perceber a comunicação verbal e não verbal do seu interlocutor;
Promover uma sinergia criativa com o interlocutor;
Elaborar perguntas usando os 5Ws - What (o Quê), Why (Por quê), Where (Onde), Who (Quem), When (Quando) e os 2Hs - How (Como) e How Many (Quanto);
Encorajar o interlocutor a falar com autenticidade;
Clarificar o que o interlocutor exatamente quer dizer;
Sintetizar e refletir sobre o que o interlocutor diz;
Deixar seu interlocutor falar as frases até o fim, atendo o seu raciocínio;
Respeitar o silêncio do interlocutor;
Comunicar o que é tão relevância para uma significância maior, do que simplesmente uma comunicação apenas espontânea e natural.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.