Existem frases cujo efeito é só causar efeito. Um bom exemplo disso é: “só me arrependo do que não fiz”. O arrependimento é uma marca das pessoas que não são psicopatas ou sociopatas (risos). Uma pessoa que não se arrepende é uma pessoa que não reconhece os erros cometidos e, portanto, não pode crescer com os erros.
No processo de Coaching, nos concentramos nas soluções e nos resultados. Isso não significa que temos uma atitude psicopata diante dos erros, mas que temos uma ação positiva e propositiva. Usando uma frase de efeito, risos, “só não errou quem não viveu”. Não existe nenhum ser humano comum que não tenha cometido erros. Isso mesmo, erros no plural.
A questão que separa os grandes seres humanos dos demais “mortais” é o que nós fazemos com os nossos erros. Bom, estou falando de erros estratégicos da vida. Isso não é uma mensagem religiosa, de sorte que não é um processo de confissão ou coisa parecida.
Os erros são importantes na medida em que eles mostram o rastro de nossas conquistas. É na tentativa de acertar que muitas vezes erramos. Credita-se a Theodore Roosevelt a seguinte frase: “O único homem que nunca comete erros é aquele que nunca faz coisa alguma. Não tenha medo de errar, pois você aprenderá a não cometer duas vezes o mesmo erro.”
O processo de Coaching olha para os erros como trilhos que podem ser redefinidos, alinhados, superados. Quando você olha para seus erros, com um distanciamento profissional, focando nas soluções e em busca de resultado, os desacertos farão parte da história do seu sucesso.
Algumas vezes, as pessoas pensam que por conta da idade avançada elas não têm mais tempo de errar, não é verdade? Isso parece bonito, animador para alguns, mas o medo de errar paralisa as pessoas. Essa frase, aparentemente bonita e consciente, parte de uma crença limitante: que a idade gera acertos e que os erros são imperdoáveis. Como diria o compositor Cazuza, “o tempo não para”.
A questão não é evitar os erros, mas aprender com os desacertos. Se você já tem uma idade mais avançada, segundo seus padrões, isso significa que você tem muitos instrumentos de verificação para acertar mais. Isso não é limitante, mas estimulante.
Contudo, cuidado! Muitas pessoas acham que os erros cometidos no passado servem de experiência automaticamente para rejeitarem oportunidades de crescimento. Isso mesmo! Às vezes nossa vasta experiência é um obstáculo ao nosso crescimento, pois uma simples experiência negativa leva o sujeito a achar que todas as outras também serão malsucedidas.
Os derrotistas dirão: um cavalo com sela só passa uma vez, ou seja, a oportunidade só aparece uma vez. Isso é uma crença limitante. Se isso fosse verdade, a humanidade não teria evoluído em tecnologia, ciência, medicina e empreendedorismo. Não são raro os casos de pessoas que foram demitidas e viraram empreendedores de sucesso.
Alguns exemplos são emblemáticos. Walt Disney foi demitido do seu emprego em 1921 por falta de imaginação. Ele trabalhava em um jornal. Logo depois que saiu do seu emprego, criou o famoso personagem Mickey Mouse e a empresa Disney com o seu irmão. Outro caso é o de Steve Jobs que foi demitido de sua própria empresa, nada mais nada menos que a Apple e depois criou a Pixar. Ricardo Nunes também ficou famoso; depois de passar por dificuldades terríveis em sua visa, deixou de vender tangerina e liquidificador e criou a Ricardo Eletro. 
As oportunidades podem acontecer ou você pode fazer acontecer, como diria uma música bem antiga: “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”.
Os erros fazem parte da história de quem tenta, caminha, vive. Uma criança sempre cai antes de aprender a andar. E depois que aprende a andar, ela também cai nas muitas tentativas de correr. Mais tarde, esse infante poderá ser multicampeão de maratona como Usain Bolt.
Erros são erros, mas os acertos nem sempre vêm de acertos, mas provêm de correções de erros e de uma visão concreta, direta e constante em direção à meta.
De que forma você olha para os erros? Se os desacertos te paralisam, você ainda não aprendeu a olhar corretamente para eles. O distanciamento, objetividade, foco na solução e perseverança em direção à meta é olhar essencial dos grandes nomes da humanidade.
O processo de Coaching pode fazê-lo olhar para os erros como acertos na medida que tentamos acertar. Os erros não são acertos, mas é acertado errar tentando incansavelmente acertar. Siga para o alvo!
Umas das coisas interessantes dos pais é quando contam suas histórias para os filhos:
– Filho, está venda essa marca no joelho, eu caí de uma árvore quando tinha sua idade.
O filho pergunta: – Doeu pai? 
– Claro filho! Mas, valeu a pena! Responde o pai.
No filme Batman Begins, o Sr. Wayne diz para Bruce após ele ter caído em um poço: 
– Bruce, sabe porque caímos? Para aprendermos a nos levantar!
O método Coaching é a mão de Thomaz Wayne (pai do Batman) levantando o filho e dizendo: levante filho, seu futuro ainda não chegou! Você será brilhante!



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.