Roda da vida: identificando prioridades
Segundo Albert Einstein "não são as respostas que movem o mundo, são as perguntas". E nessa reflexão, te pergunto:  “Você está, realmente, satisfeito com a vida que está vivendo? Você está dando atenção suficiente para todas as áreas de sua vida? Qual delas merece uma atenção especial nesse momento? Em qual dessas áreas você está disposto a dedicar seu tempo, capacidades, recursos e energia? Aonde você quer chegar? Quem é você agora? Quem você quer se tornar? Qual o seu estado desejado? Você realmente está fazendo o que quer fazer?

Se você deseja chegar em algum lugar, é essencial saber para onde quer ir. Para isso, se faz necessário uma pausa para visualizar o caminho que se está seguindo, ponderar suas metas e seu estado desejado, somente assim você não se perderá pelo caminho e alcançará seu objetivo.

É se conhecendo, entendendo o que realmente importa na sua vida, que você conseguirá visualizar quais são as áreas que precisam de atenção especial para avançar e se desenvolver, e assim obter alta performance.

O que é a roda da vida?


É uma ferramenta utilizada pelo coach de autoavaliação e autoconhecimento, ela busca mapear as principais áreas da vida de uma pessoa em um determinado momento, gerando autorreflexão, e assim, contribuindo para identificar quais os aspectos da sua vida não têm obtido o sucesso desejado, e dessa forma, traçar metas que busquem a solução mais adequada para equilibrar as áreas deficientes.

Dessa forma, é dada uma nota de 0 a 10 para avaliar o nível de satisfação de cada área da sua vida, para que sejam traçadas as metas e os planos de ação com o intuito de nivelar os campos que apresentarem insatisfação.

As áreas da vida estão divididas em quatro, que se subdividem em outras três subáreas: Pessoal: saúde e disposição, desenvolvimento intelectual, equilíbrio emocional; Profissional: realização e propósito, recursos financeiros, contribuição social; Relacionamento: familiar, amoroso, social; Qualidade de vida: criatividade hobbies e diversão, plenitude e felicidade, espiritualidade.

Se alguma das suas áreas pessoais estão com o nível de satisfação elevado, você vai atribuir uma nota próximo a 10, por exemplo, o que significa muito satisfeito. Pode acontecer o oposto, se você está insatisfeito com uma determinada área e, consequentemente, lhe atribuir uma nota baixa, significará atenção.

Para começar a analisar as áreas de sua vida, inicie com as perguntas: Como me relaciono com a área X? Por que estou insatisfeito com essa área? O que está faltando para me sentir feliz em relação a esta área? Quando me senti satisfeito com ela? O que aconteceu que me deixou com essa insatisfação? Como anda a minha área de plenitude e felicidade, a vida social, familiar e amorosa, e a profissional? Quais os desafios enfrentei e as vitórias que conquistei nessas aéreas ultimamente?

Procure identificar quais as áreas que estão precisando de uma atenção especial e quais estão em nível satisfatório. Por exemplo, dê uma nota de 0 a 3 se você estiver totalmente insatisfeito com a forma como as coisas vem acontecendo nessa área específica. Notas muito baixas demonstram que você está triste, desmotivado e frustrado, nessa área. As notas entre 4 a 6 evidenciam que essa área está mais ou menos como você gostaria. Isso significa que não está como você gostaria, mas pode suportar essa situação tranquilamente. Há insatisfação, mas não é muito profunda. De 7 a 10 significa que essas áreas da vida estão exatamente da forma como você quer que elas estejam. Aqui há uma satisfação que deve ser mantida.

Após identificar o nível de satisfação em todas as áreas, selecione aquelas que você pretende elevar o seu contentamento, quais são as que você deve focar sua atenção e se dedicar para melhorá-las. O tempo estimado para se trabalhar cada área será estipulado por você, pois depende somente do seu foco, compromisso, disciplina e dedicação.

Para isso serão necessárias que as metas sejam específicas, mensuráveis, atingíveis, relevantes e temporais. Ou seja, ela deve ser clara sobre o que você está definindo; é preciso quantificá-la; as metas devem ser capazes de serem realizadas; devemos ter motivação para realizá-las, pois ela deve ser importante para você; uma boa meta deve ter dia, mês e ano definidos, o prazo tem que ser determinado para que possa avaliar os resultados de suas ações. Isso também vai ajudar a pensar em novas ações.

Escolha um número máximo de áreas da vida para se concentrar, não exagere na medida, lembre-se que a meta deve ser possível. Se você se comprometer com um número alto de áreas para se dedicar, não terá foco para desenvolver todas elas de uma só vez, assim, você estará se enganando. Concentre-se em um número possível de se trabalhar e obter o resultado desejado. Lembre-se, você não pode fazer tudo ao mesmo tempo.

Você vai perceber que é possível uma melhora gradual, desde que haja foco, compromisso e dedicação naquilo que se comprometer a fazer.

O início do percurso pode ser difícil, mas quando começar a visualizar seus avanços, perceber as mudanças e observar o resultado de suas conquistas, não vai mais querer ficar parado, seu compromisso maior será com você mesmo.

É importante fazer uma lista de metas que você deseja realizar em cada uma das áreas da roda da vida e após feito, se programe para realizá-las posteriormente, sem esquecer de dar um prazo determinado para sua efetivação. Você, também, pode optar por fazer a roda da vida por um período que escolher. Por exemplo, a cada três meses, escolha uma ou duas áreas para trabalhar e conquistar suas metas. 

Você pode ter metas e objetivos para todas as áreas de sua vida, mas precisa escolher qual delas vai ter seu foco e prioridade na execução do seu plano de ação. No entanto, não se limite.

A roda da vida vai trazer uma radiografia da sua situação atual, e é preciso conter-se para não se assustar se ela te surpreender. Primeiro aceite essa realidade, pois só assim você poderá transformá-la.

Há fatores externos que podem limitar seu progresso, e será necessário adaptação para extrair o melhor da situação. Mas, por outro lado, há os fatores internos que podem ser totalmente remodelados para que você alcance sua alta performance.

Seja o mais sincero ao se questionar a respeito das áreas da sua vida, pois somente assim, saberá o que realmente precisa ser trabalhado, otimizado ou transformado em sua vida. Não busque o que as pessoas esperam de você, mas sim a sua verdade, aquilo que vai te deixar pleno e feliz, busque a sua evolução e o crescimento. Lembre-se que tudo pode ser melhorado em nossa vida. Tire seus planos, sonhos e projetos do “e se”, construa o futuro que sempre quis, pois, a única pessoa responsável pela sua felicidade e crescimento é você mesmo. Então busque e lute pelo seu melhor.

Então, vamos fazer o exercício da roda da vida? O tempo que você vai gastar pensando nas suas áreas de vida e medindo o seu nível de satisfação com elas atualmente é o melhor investimento que você pode fazer pelas suas metas. Reconhecer o seu estado atual e planejar o seu estado desejado, vai fazer toda a diferença na sua vida.

Quando terminar esse exercício, selecione suas metas mais importantes, aquilo que é essencial transformar agora, faça um diário e diga tudo que deseja melhorar e conquistar em um determinado tempo. Seja autêntico e o mais verdadeiro possível, depois compare com quem você vai se tornar. Será gratificante fazer essa comparação.

Crie uma vida diferente, a vida que valha a pena ser vivida.

"Eu passei a ver o mundo de outra maneira. E não foi ele que mudou. Fui eu..." Anaïs Nin



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.