Talvez você também esteja com sobrepeso, ou sua esposa(o), seu filho(a), você se preocupa com isso? Pode ser que tenha tentado muitas dietas, se matriculado em uma academia, já tentou muitas vezes e ainda não obteve sucesso. Ou quando obteve, este não durou por muito tempo. Por que temos dificuldade de mantermos novos hábitos, mesmo eles sendo saudáveis e mais apropriados? Por que mesmo tendo consciência do que deve ser feito é tão difícil fazer? Por que iniciamos as coisas e não terminamos? E como nos sentimos quando isso acontece? Frustrados? Fracassados? Cansados? E o que você faz diante disso? Diante das dificuldades, desiste? Ou encontra forças e recomeça? O que faz você desistir? E o que faz você persistir mesmo diante das dificuldades? Você sabe? Parou para pensar nisso? Quer saber? E o que você faria se soubesse? Faria diferença para você? Como isso poderia te ajudar?

O autoconhecimento é a âncora da motivação, quem conhece a si mesmo é capaz de qualquer coisa! Você se conhece bem? Gostaria de se conhecer melhor? Quando conhecemos bem alguém ou alguma coisa, nos sentimos mais seguros, temos medo daquilo que não conhecemos, e diante do medo paralisamos. Diante de situações inesperadas, adversidades, muitas pessoas perdem o equilíbrio emocional, e nesse momento, começam a se perder e a perder o foco dos seus objetivos, se autoboicotam, se justificam, criam desculpas e tendem a jogar a culpa no outro ou no contexto da situação. Porem não percebem que estão se afastando dos seus objetivos e adiando seus sonhos de sucesso e realizações. Quando se dão conta desta situação, pode ser tarde demais, e muito difícil para recomeçar.

Nessas situações nossa autoestima oscila em função principalmente de nossos sentimentos e da nossa capacidade de resiliência, como então podemos mudar isso? Como podemos interferir num padrão de comportamento negativo, indesejado? É possível? A neurociência nos mostra que o nosso padrão comportamental tem origem nas nossas experiências vivenciadas, padrões desenvolvidos cada vez que ouvíamos, observávamos exemplos de pessoas que admiramos, bem como quando vivenciamos experiências principalmente em nossa infância. Se essas forem positivas, teremos maior autoestima e segurança emocional para enfrentarmos as situações adversas. Isso significa que estamos fadados a ser assim, termos o mesmo padrão comportamental para sempre? Não, claro que não! Já sabemos que esses padrões podem ser reprogramados, a partir de novas experiências, ou seja, precisamos seguir alguns passos: 

1. Ver - é preciso tomar consciência dos fatos, situações e comportamentos que nos fazem mal e não queremos mais (autoconhecimento).

2. Desejar mudar -  avaliar se queremos ou não continuar tendo aquele comportamento.

3. Visão do que eu quero -  é importante visualizar o que e de que forma eu quero que aconteça, quanto mais completa for a sua visão do que você quer realizar ou como quer se comportar daqui para frente, mais próximo da mudança você estará.

4. Acreditar, estabelecer uma nova crença - em que eu acredito agora? Acreditar que é possível realizar, encontre valores fundamentais que regem o que você é, respeite-os e procure evidências de que esta nova forma de pensar é melhor para você e para as pessoas com quem você se importa.

5. Ressignificar -  o próximo passo é reestruturar o meu novo modelo de pensar a respeito daquela situação ou comportamento, dando um novo significado, clarificando o que você ganha com esta nova maneira de pensar.

6. Verbalizar - é preciso falar em voz alta para você mesmo ouvir em que você acredita, quando verbalizamos algo, reforçamos nossos pensamentos em relação aquilo que acreditamos e nos propulsamos para a ação.

7. Planejar - imagine-se agindo, avalie suas forças, seus recursos, suas habilidades, competências, inclusive os pontos de fragilidade, as dificuldades que vai encontrar e os obstáculos; então, faça o seu plano de ação com estratégias para superar as adversidades e metas claras, detalhadas, mensuráveis; determine o local onde vai agir, se vai precisar de ajuda, defina como e com quem e delimite o tempo para alcançá-las.

8. Agir - não basta acreditar, é preciso agir. Somente na ação podemos avançar para alcançar os objetivos e metas desejadas. Permaneça firme no caminho, só pare quando terminar. Quando estiver difícil de continuar, lembre-se da sua visão e de seus valores, por que você está fazendo isso? Para que? Para quem? Quem mais vai se beneficiar com isso?

9. Avaliar - toda ação tem uma reação, devemos estar preparados para ela e avaliarmos como estamos conduzindo o movimento destas forças.

10. Reprogramar - sim devemos muitas vezes após uma avaliação, reprogramar aquilo que havíamos planejado, ajustar o rumo e a direção de nossas vidas.

11. Comemorar, cada vitória, cada etapa vencida, cada superação - pois uma grande conquista é alcançada dia após dia, vencendo cada desafio e cada obstáculo que a vida lhe trouxer.

12. Agradecer, sim devemos agradecer sempre, pois uma pessoa agradecida é mais feliz, a gratidão é um estado mental extremamente positivo, devemos agradecer as pessoas que encontramos pelo caminho, as oportunidades, e inclusive pelos obstáculos e pelas pessoas que dificultaram o nosso caminho, pois nos tornaram mais forte.

Convido você a fazer esse exercício, tente seguir os passos acima, faça esta autorreflexão e tente deslumbrar novas possibilidades, procure não repetir comportamentos velhos, tente fazer de uma forma diferente, pois se você não está feliz com o que tem hoje, com os seus resultados, é porque precisa mudar, caso contrário, estará fadado a continuar reproduzindo o mesmo padrão comportamental e infelizmente você não terá os resultados que deseja. Tente, permita-se! Se não conseguir sozinho, procure um coach, este é um profissional que tem competências para te ajudar, encontre alguém que você confie e desenvolva você também suas potencialidades.

Por fim, quero dizer a você que leu até aqui essas minhas palavras, eu acredito em você, porque você já deu o primeiro passo, está no caminho do autoconhecimento, parabéns! Continue, persista e nunca desista, pois você pode muito mais que imagina!



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade da autora identificada abaixo.