Colocar em prática iniciativas diferenciadas é algo que traz transtornos, sem dúvida alguma. Obstáculos vão aparecer. Afinal, lidar com pessoas é difícil e cada indivíduo tem visões distintas a respeito dos mesmos temas. O primeiro passo é agir com convicção.

Estar convicto sobre a importância de determinada ação é fundamental para convencer seus colegas, subordinados, superiores e clientes. É preciso mostrar que você está firme e que não vai desistir por causa da primeira pedra no caminho. Reúna dados e apresente os argumentos.

O segundo passo é alinhamento com o projeto original. Uma vez que você definiu o ponto de partida, garanta que qualquer alteração faça parte de uma mesma lógica. A falta de monitoramento e de feedback, por exemplo, pode fazer com que haja perda de foco.

Terceiro: seja flexível. Você já está de parabéns por ter dado o pontapé inicial. Acreditar que só suas ideias são válidas é uma atitude arrogante e tende a gerar o desinteresse dos outros. Ouça atentamente, esteja aberto a novos conceitos e corrija o que for necessário.

Para encerrar, siga em frente até o fim. Para Jason Fried, ideias são como um toque isolado na guitarra. Você precisa agir enquanto as cordas estão a vibrar. Se esperar, as coisas esfriam, o trem passa e lá se vai mais uma iniciativa que poderia render milhões pra empresa.

Volta e meia, ouço desabafos sobre o quão complicado é colocar projetos importantes em prática. A maneira que encontrei para incentivar meu interlocutor é perguntar: “Quem disse que iria ser fácil?”. O mercado de trabalho é complexo mesmo!

Ouvi uma frase curiosa certa vez. Afirmava o seguinte: “Quer moleza? Mastiga água de cabeça pra baixo!”. Imagine se Steve Jobs tivesse desistido dos iAparelhos da vida. Pense em Romário com os pés congelados na Copa do Mundo de 1994, com medo de fazer história.

No programa Ofício em Cena, da Globo News, a apresentadora Bianca Ramoneda citou uma frase do grande Antônio Abujamra, durante uma entrevista com Thiago Fragoso. Toda vez que ele via um ator tomado pela soberba, ele dizia: “Você está precisando de um fracasso!”.

Isso me fez lembrar que um obstáculo pode ser fundamental para o nosso desenvolvimento, tanto na área pessoal quanto profissional. Quem fez a diferença no mundo usou os percalços a seu favor. Como afirma Paulo Vinícius Coelho, um time campeão é formado por cicatrizes.


Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

  0   0

KHALED SALAMA

Master Coach

Khaled Salama é jornalista, executivo, palestrante e coach. Escreve semanalmente sobre mundo corporativo para diversos veículos de comunicação. As palestras são nas áreas de atendimento ao cliente, trabalho em equipe, liderança e motivação. Para a trajetória completa e mais informações, acesse o site: www.khaledsalama.com.br.