Sempre projetamos metas que estão longe da realidade atual e não consideramos importante, essas realmente são as pequenas partes (pedrinhas) a serem eliminadas por primeiro. 
As circunstâncias são as maiores queixas que nos cegam por não serem levadas em consideração no planejamento diário. É verdade que o trânsito é estressante, os filhos precisam de atenção, o empregado ou chefe é arrogante, falta tempo para estudar aquele grande sonho... Então eu te pergunto nesse momento: quais conclusões tiraríamos se parássemos, uma vez na semana, para refletir mais a fundo sobre as raízes dos problemas? As circunstâncias são comuns a todos. Meditando sobre isso chego a seguinte questão: Por que indivíduos de sucesso chegaram exatamente onde querem?
Conhecendo o coaching são notáveis os princípios básicos para construir o diferencial dessas pessoas. Elas detectam barreiras minúsculas, mas determinantes no processo das conquistas relacionadas aos seus objetivos. Enfrentam os problemas em partes menores e caminham removendo esses primeiramente. 
Identificam os impedimentos e lutam contra a preguiça nas mais íntimas aparências que não somam produtivamente. Reformulam sua disciplina ao que de fato é relevante ao seu cotidiano. Pensam em fatores menores e alinham-se rumo ao sucesso com a extrema certeza de que aquilo estava conectado as suas metas. Então, o sucesso vai progredindo aos poucos. Existem planos pragmáticos retirando as circunstâncias do vocabulário, uma graduação organizada das partes necessárias para a evolução (o sucesso em partes).
Vamos ser realistas. Não é fácil para ninguém, contudo todos nós viemos do nada e reproduzimos a educação dos pais. Pouco importa o berço de ouro, quero falar do desenvolvimento humano específico de cada um. Filhos ricos podem escolher caminhos turbulentos, semelhantes aos filhos pobres. O sucesso é muito pessoal e nesse processo temos total influência sobre ele, ou não.
Aprendi no coaching que atribuir o nosso fracasso a questões extremamente externas sem raciocinar sobre isso é a maior limitação que temos. Não fracionar em partes menores, estrategicamente posicionadas, levando em conta diferentes fatos e evidencias, é aceitar seu estado atual. Parei e me veio a pergunta: Estou repartindo as minhas batalhas rumo a um processo gradual da vitória? A resposta veio em forma de outra pergunta: Qual foi o momento racional que pude ganhar com todo esse processo? Vou compartilhar brevemente aqui.
Sempre fui apaixonado por esportes e nunca me vi distante dessa área. Quando comecei a estudar profissionalmente educação física, fui me apegando a cada aula, a todos os professores. Simplesmente tive tanta afinidade que pude me desafiar cada vez mais, sem perceber as frações separadas no meu desenvolvimento nessa área de atuação. Hoje, percebo o passado muito mais maduro e a importância do processo na performance de resultados positivos.
Inicialmente, incorporei o papel do professor formado. Uma transformação ideológica sobre mim. A mentalidade favoreceu as atitudes vencedoras que eu deveria ter no meu cotidiano. Essa era uma parte a ser alterada (não sou mais estudante). Todos os trabalhos eram entregues das perspectivas de alguém formado, levantando critérios de profissionais sobre aquele assunto. Tenho a plena convicção que a mentalidade focada no desempenho elevado retirou do caminho muitos fatores voltados ao problema. Consigo comemorar essa conquista hoje! Às vezes não fazemos isso, entretanto, reconhecer, indica sua intenção consciente superando essa parcela necessária ao grande objetivo principal.
Estava preparado, utilizando minha visão de mundo a meu favor. Todavia o processo não para, só se você quiser parar. Agora precisava entender mais, os meus professores atuaram na formação de profissionais críticos e atualizados, aprendi o que com isso? Eu adorava a faculdade, principalmente, pelo fato de não me sentir obrigado ou cobrado. As aulas possuíam aplicações em uma ordem crescente, daquilo que deveríamos aprender primeiro. Nunca me preocupava em entregar notas boas, eu estava preocupado em não deixar brechas no meu conhecimento, resultado? Notas boas!
Não me importava com os dias de provas, eu foquei em estar pronto a qualquer sabatina, dentro do meu nível de capacidade no momento. A prioridade era aprender gradualmente, muito diferente de caçar notas boas. Isso era só um detalhe, fiquei confortável e motivado, não me abalava precisar saber mais, pelo contrario, o processo é muito divertido. Quem prefere trabalhar com aquilo que ama? Se sentir estimulado ao conhecer sempre mais? Ser remunerado por algo que pensa? Marque o exame para quando quiser professor, minhas habilidades retidas não dependem desta prova.
Algumas pessoas podem estar atribuindo a mim uma visão arrogante, egocêntrica. O intuito é fazer explorar a capacidade que temos ao focar no conjunto de coisas importantes e essencial no sucesso. Pense na sua vida, resgate suas vitórias, vá ponderando as partes onde cresceu progressivamente e retire ensinamentos. Acima, relatei os meus e você também os tem.
Finalizando, acrescento a transformação que o Coaching promove, exclusivamente por nos ambientar e expor as partes sucessivas em direção a sonhos realistas e realizadores. Priorize o processo, adquira uma mentalidade voltada à solução, pratique! Saiba nesse momento, um coach pode te apoiar além disso!
O restante do caminho? Venha dividir comigo! Abraços 



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.