Para conseguir ser mais efetivo em relação as realizações pessoais e profissionais é necessário que se saiba exatamente o que se quer, traçar um plano e partir pra ação. Não existe fórmulas miraculósas que ao piscar de olhos tudo se resolve, é preciso certo empenho e ter em mente que sem sair da zona de conforto não vai se atingir o que se espera. Vejamos alguns dados interessantes sobre o assunto:
– Um estudo realizado pela universidade de Harvard sugere que 83% da população não tem metas definidas, dos 17% restantes, 14% tem metas porém essas são metas gerais e somente 3% tem suas metas bem claras e definidas.

– Das chamadas promessas de ano novo, 92% não são cumpridas
– As pessoas que escrevem suas metas e relembram elas regularmente tem 50% a mais de chance de concretizá-las

“Todos os caminhos estão errados quando você não sabe aonde quer chegar.” – William Shakespeare

Entendendo um pouco melhor o porquê

Imaginando uma pessoa sem objetivo ou mesmo com um objetivo muito amplo, essa pessoa pode estar andando em zigue-zague, sem nem ao menos se dar conta disto, pode estar andando em círculos ou até indo e voltando nesse caminho porque ele é muito amplo. Ainda utilizando de metáforas, outra pessoa tem uma linha reta a seguir pois o objetivo de chegada dela é nítido, periodicamente essa pessoa tem pontos de checagem para medir sua evolução no caminho.
Qual dos 2 têm mais chances de chegar ao objetivo? De chegar lá em menor tempo? E, principalmente, de não desistir no meio do caminho?

A diferença entre um obejtivo específico e um objetivo geral

Um objetivo geral poderia ser “quero perder peso” ou então “quero um aumento de salário”, dessa forma a tendência é a pessoa planejar de forma geral também, ou seja, “devo comer menos”, “devo praticar exercícios” ou, no outro caso, que “devo trabalhar mais duro” ou “preciso demonstrar melhor meu trabalho”, certo?

Agora vamos para os objetivos definidos, “quero perder 8 quilos em 2 meses” ou “quero um aumento de 12% até o final deste ano”. Provavelmente essas pessoas já vão pensar diferente: “tendo 2 meses para perder 8 quilos, na média são 4 por mês, para eu perder 4 quilos esse mês vou correr uma hora por dia de segunda a sexta e visitar um nutricionista para adequar minha dieta”; no outro caso: “vou pensar em uma maneira de reduzir os custos de impressão no meu setor e com essa redução de custos posso me promover como profissional e ainda justificar meu aumento”. Como podemos notar nesses simples exemplos, objetivos definidos geram planos definidos e planos definidos são mais efetivos e mensuráveis.

A importância dos pontos de checagem

Os checkpoints têm um papel fundamental no sucesso do seu objetivo. É através deles que será possível medir nossa evolução, o que é de crucial importância. Se o objetivo é a médio ou longo prazo, será através dos checkpoints que poderemos controlar o ritmo do nosso esforço em prol do objetivo e comemorar as evoluções, obtendo a motivação necessária para continuar. Essas comemorações podem ser pequenos agrados a si mesmo, porém é importante que sejam diferentes do que se tem no dia a dia, pois elas marcam a sua vitória.

Trouxe alguns exemplos simples, porém o objetivo é que você pegue esse princípio e aplique a qualquer situação, fazer você pensar um pouco fora da caixa e trazer uma visão que às vezes não temos na correria do nosso dia-a-dia.

“Você nunca sabe que resultados virão da sua ação. Mas se você não fizer nada, não existirão resultados.” ― Mahatma Gandhi